Responsável, eu?

Luís Filipe Menezes, ex-líder do PSD, corrido ao fim de alguns meses por manifesto desnorte, e atual presidente da Câmara Municipal de Gaia, a segunda mais endividada do país (255 milhões de euros), permite-se criticar a “irresponsabilidade” do anterior governo e dar conselhos a António José Seguro sobre o PS que ele, Menezes, gostaria de ter como oposição. Um querido que tem razões para pensar que vai ser ouvido. Este pândego, que pode emparelhar com Alberto João no basismo e no descaramento, considera preocupante a herança deixada pelo anterior executivo.

«Para o antigo líder do PSD, sendo o PS “incontornável e fundamental” para a democracia portuguesa, “é importante que haja uma imagem do partido que não tenha a ver com a responsabilização desse passado, que foi hiper-negativo, muito mau e cujos resultados estão aí à vista”.

Questionado se considerava preocupante o Governo ter decidido congelar as reformas antecipadas, o autarca de Gaia afirmou que “muito preocupante foi, em democracia, Portugal ter chegado à situação em que está”.

“Preocupante é ter como herança um país em que se cava a Águas de Portugal e só há buracos, em que se cava na gestão das empresas públicas e se vê que foi gastar aos desbarato, isso é que me preocupa”, sustentou.»

6 thoughts on “Responsável, eu?”

  1. Essa gente é perita em criticar aqueles que não têm moralidade para criticar. E o pior é que nem se apercebem da hipócrisia e contradição em que caiem.
    Porque o que é mau nos outros, neles têm sempre justificação, quando apanhados a pregar o que não fazem.
    A desculpa da herança já cheira é mal e não chega para mascarar comportamentos incompetentes, indecentes e de puro chico espertismo que caracteriza esta desgovenança.

  2. Porque é que esse individuo não geriu as contas do municipio que dirige com acerto e chegou a tão monstruoso défice? Ah!, pois é; quiz fazer obra e teve que se endividar. No fim de contas, não descola da banalidade dos politicos portugueses: todos querem fazer obra e ganhar as eleições seguintes. Só que totós como este deviam era ter um pouco mais de vergonha na cara. Só que no seu ataque ao anterior governo não tratou de saber o porquê do defice disparar. Não se apercebeu que houve a maior crise dos últimos 80 anos; coitadinho, não soube que FOI POLITICA ACONSELHADA pela UE o endividamento dos Estados para fazer face à crise economica e relançar a economia, já que os investidores privados deixaram de investir e a ameaça da recessão pairava. Não se apercebeu que em 2007 o governo já tinha praticamente controlado o défice que os seus apaniguados deixaram Quando se quer ser demagogo barato qualquer coisa serve. Tenha juizo, miniatura d’homem

  3. É isso José, “miniatura de homem”, do mais “rasteiro” que se possa imaginar. Os portuenses que se aprecatem se ele vier a ser candidato à Câmara do Porto. É que das duas uma: Se ele perde, chora ele; se ele ganha vão chorar os munícipes.

  4. Esta não é o mesmo que andou meses a fugir à notificação do tribunal que o queria julgar pela burla cometida enquanto deputado com as “viagens” de milhares de contos(não havia euros)em prejuizo do erário publico para si e toda a família?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.