Vítor Gaspar, o Educador da Maioria

Depois de já ter decretado que não existem gorduras no Estado e que isto das previsões em Economia é uma lotaria, Gaspar continua o processo de reeducação dos partidos, políticos e comentadores da maioria que lhe ofereceu a pasta:

A simplificação excessiva de assuntos complexos conduz, inevitavelmente, a mal-entendidos que, infelizmente, tendem a persistir ao ponto de serem considerados verdades demonstradas.

Fonte

13 thoughts on “Vítor Gaspar, o Educador da Maioria”

  1. ou de como um filho da puta se desdiz, chamando-nos os melhores ignorantes do mundo. acho que isto via acabar de maneira pouco democrática e que este moço vai ter de reforçar a segurança à porta de casa.

  2. Estes gajos deixaram completamente de ter vergonha na cara. Não só nos mentem descaradamente, nos espoliam e exploram, como ainda têm a desfaçatez de nos tomar por parvos.
    Estou como o Ignatz: irão acabar por ter um merecido castigo!

  3. O auto-convencido-e-pretencioso oráculo quer dizer que os portugueses não estão à altura de entender as suas mensagens enigmáticas.
    Sem um Tirésias que o decifre ainda vai tudo acabar em tragédia.

  4. não concordo nada com o gaspar , eu é mais : a complexificação de assuntos simples conduz a burocracia e corrupção que infelizmente tendem a persistir ao ponto de serem consideradas normais.

  5. ignatz, josé e josé neves,
    não sei se reparararam, mas estão a ofender por palavras violentas e por defesa de violência física um legítimo governante, está lá porque houve eleiçoes. E essa violência – de palavras e de actos – só pode legitimar mais uma acção de “pacificação” do género 14 de Novembro, como amplamente defendido aqui no blogue.
    Por isso é esperar até 2015 e não chamar nomes a este governo nem ao parlamento nem ao PR, baluartes da democracia em Portugal, como está à vista.

  6. Edie, não posso estar mais de acordo. Entretanto, o que aconteceu ontem na Nova foi apenas um fait-divers que a magnanimidade do Senhor Primeiro-Ministro e a boa vontade de um dos seus seguranças prontamente resolveu num gesto de alto significado democrático.
    Se a tudo isto se juntar o desejo, amplamente demonstrado, das forças de segurança em arejar os chafalhos, em defesa da ordem, democrática…naturalmente, esperam-se tempos de grande interesse e diálogo. Até lá registem-se também as vozes que surgem dos locais habituais, sempre pressurosas e apenas na defesa do altos interesses da Nação, a pedir a mais que necessária revisão da lei da greve na sequência do movimento dos estivadores. Mas não ligue muito Edie, isto são apenas teorias da conspiração. Até 2015, muito respeitinho…A BEM DA NAÇÃO.

  7. Em lugar de chafalhos, leia-se chanfalhos, ou cassetetes, ou mocas, ou bastões, ou cachaporras, mas sempre democraticamente e com…respeitinho. A BEM DA NAÇÃO.

  8. Eh pá, eu cá não proponho nada, deixo essa função ao teu humor tricolor. Aliás, as micções frequentes já me impedem grandes deslocações no mato, logo a operacionalidade na luta armada e a ter que comprar uniforme optava pela jardineira do avô cantigas. Todavia a ti que tens humor sibilino e a crítica apurada, sugeria-te começares a rememorar o “Lá vamos cantando e rindo…”. Ah é verdade, adquire também uma embalagenzita de Cetavlex porque é capaz de doer. Quem te avisa teu amigo é. Depois não te queixes.

  9. cá me queria parecer que o cetavlex não era indicado para a próstata. tamém não troco um muro caiado pela floresta na expressão da arte mictórica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.