Vamos meter a Ana em trabalhos

A nossa amiga Ana Cristina Leonardo fez um pedido. Parece sério, a avaliar pelo modo semi-envergonhado, mas ela esclarecerá. Para o que agora interessa, vou levá-lo a sério. E a quaestio é esta: não haverá neste País um lugar onde a inteligência da Ana ajude a criar riqueza? A pergunta pede esclarecimentos curriculares, complementos de competências, adendas do foro pessoal da pretendente, pois sim, mas para mim só o tema da inteligência aqui e agora interessa. Diga-se que um blogue é um portfolio por inerência. E não só para aqueles cuja vocação se realiza nas belle-lettres, qualquer exposição pública do pensamento revela tipologias psicológicas e traços de carácter relevantes para uma selecção laboral. Portanto, boa ideia e boa sorte.

Os empresários não sabem como aproveitar a inteligência, por isso produzimos tão pouco. Não sabem porque ninguém os ensinou e essa alquimia pede aprendizagem. A escola também não sabe, por isso os alunos saem de lá menos inteligentes do que eram ao entrar. Assim, é muito provável que o mercado de trabalho não saiba o que fazer com uma especialista em recensões literárias, autora de literatura infantil e autora de blogues com crescente interesse (to say the very least). Mas eu vou ajudar oferecendo sugestões óbvias:

Leitora – Ler, ser paga para ler. O cliente pagaria para ouvir leituras de livros escolhidos pelo próprio ou escolhidos pela Ana (a melhor opção, juntando-se a estética à pedagogia ou psicoterapia). As sessões poderiam ser individuais ou de grupo. Escuso de elencar todos os benefícios para a saúde mental, e boa forma da alma, que tais sessões promoveriam, pois estás com pressa.

Redactora dos discursos de Cavaco – É um dos maiores problemas do actual Presidente, a miséria que nos anda a ler. Alguém na Presidência que contrate a Ana urgentemente, faxavor.

Eixo do Mal – Falta lá mais uma mulher para que os níveis de estrogénio ponham alguma contenção na pesporrência da testosterona.

Directora do Público – Qualquer português maior de 18 anos, com ou sem carta de condução, daria um melhor director do que o actual.

Directora do Expresso – Idem, mutatis mutandis, com a vantagem de conhecer a casa.

Presidente do PSD – Idem, mutatis mutandis, com a vantagem de não conhecer a casa.

Presidente do CDS – Idem, mutatis mutandis, só com vantagens.

23 thoughts on “Vamos meter a Ana em trabalhos”

  1. Eixo do Mal, decididamente, se tu achas que a Ana dá conta do recado. Aquilo precisa de uma mudança total, ou entáo fechar. Fazer outra coisa, com outro nome e ideia, que aquilo já não se pode ver. Não adianta fazer pequenas mudanças, só uma nova equipa me pode fazer sentar outra vez em frente do écran.

    Não conheço a Ana nem o que produz, apenas fui uma vez censurado por ela na pastelaria, o que encerrou as nossas relações, apenas iniciadas. Como já não há a Direcção dos Serviços de Censura, não sei, não me ocorre mais nada. Eixo do Mal com ela!

  2. Nunca vi essa treta. Nem tv por cabo tenho

    ahahahaha

    Juro. Só vejo televisão em Londres. Assim é mais snob. Em Portugal só cinema.

    “:OP

    Eu ficava bem era no circo

    Nem imaginas como gosto de palhaçadas.
    ahahaha

  3. Para falar a sério acho que fico bem onde estou. Consegui pôr a render as minhas maluqueiras.

    Há sempre gente mais maluca do que nós próprios.

    E gostam. Gostam muito.

    “:OP

  4. Agora a Leonarda fica sempre bem em cima de uma secretária de empresário de 300. Sentado num guardanapo e a declamar filosofia de ponta, de xaile ao pescoço- como quem vai cantar o fado.

  5. Sentada. Ela é que se sentava no guardanapo. O empresário de 300 não sei em que posição ficava.
    Mas dava um belo quadro, lá isso dava. Com muito fog.

  6. Valupi, muito obrigada pelo link. O post não era semi-envergonhado, era apenas exacto. Quanto às sugestões, que agradeço:
    Leitora – uma vez na rádio até disseram que tinha boa voz (embora desafinada). quem sabe?
    Cavaco – apesar do senhor ser algarvio, como eu, ele é montanheiro e eu sou da borda d’água. Na estreitíssima fatia sulista, estão criadas, por esse facto, contradições ideológicas insolúveis
    Eixo do Mal – a única presença realmente fora dos eixos do Eixo era o Júdice. dito isto, tv, nunca. uma vez filmaram-me a falar da Murdoch e felizmente só se viam The Sea e as minhas mãos.
    Público/ Expresso – as máquinas da verdade não fazem o meu género…
    PSD – deixemos isso para o Pacheco
    CDS – esse não sei quem é…

    Zazie, já tinha reparado que eras muito impulsiva. Confesso, porém, que não te imaginava concierge… Esse lado da tua personalidade não te favorece nada. Tolda-te a inteligência

    Nik, não vou responder já que estamos de relações encerradas…

  7. Zazie toma cuidado se vens espetar farpas numa mulher desempregada à conta da suposta fragilização que torna a vítima apetecida, lembra-te que és toura e eu estou sempre ao lado dos esfarpejados e dou patadas de leão a tudo que me apareça a cheirar a hiena, e vão no ar de tripas de fora,

    solidariedade mínima, vá

    não aguces tu as unhas claudia que as minhas são de aço

  8. Claro que nem vou chatear mais porque aquele foi um pequeno momento de “coisa de provocação feminina” e eu não vou abusar mais.

    Está visto é que não tem nada de porteira porque eu não faço a menor ideia quem seja a Leonarda, tirando aqui a blogo. É imagem que ela me ofereceu com todo o gosto

    “:OP

  9. Áh, e para que não haja confusões. Eu só li este post do Valupi, não fui lá ao blogue da Pastelaria.

    Não fazia a menor ideia que o caso era verídico e seria de muito mau-gosto gozar com uma situação real de desemprego.

  10. eu sei que és humana zazie, mas às vezes podia dar-te para uma brincadeira de que nem vias os contornos cruéis, sou sensível à situação pelas mesmas razões e as pessoas para mim separam-se pela humanidade ou pelo cinismo

  11. Nunca me passaria pela cabeça que era coisa real mas também é mais melindroso quando se fazem posts a contar que se está com cancro e coisas assim e na volta depois dizem que até era engano.

    Mas, respondendo às dúvidas que ela por lá colocou, eu apenas responderia que se quer mesmo garantias vitalícias para ela e restante família, é claro que a Maçonaria é o melhor caminho.

  12. ah isso acredito, imagina que eu fui convidado duas vezes para lá e disse não, sem a menor idéia de que estava a ser ofensivo e queimar pontes de futuro. Sou mesmo pató.

    Entretanto este previu, acertou e vai dentro,

    e eu xonar não tarda muito,

  13. à Cristina aconselho que se finja de tonta e se inscreva num partido , enquanto poupa para se dedicar ao que gosta . Gostava que ela gostasse mesmo de literatura infantil onde passasse mensagens subliminares de que a política e mundos divididos para se conseguir poder já eram.
    A ti , V , ainda bem que a maior parte dos empresários , hoje , não reconhece a inteligência : significa que também não reconhece a burrice. Queres discriminar os pouco inteligentes pró trabalho e condena-los á exclusão? Não te esqueças que por enquanto servimos a economia e não ela a nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.