35 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. proponho um cordão humano, do tamanho do rectângulo, de desempregados com o objectivo de entrarmos para o guiness como os maiores comedores de cravos e cravinas. ora a determinada hora cada desempregado do cordão teria de começar a comer o máximo de cravos possível até arrotar. e nesse dia havia de se respirar fartura e saúde e justiça.

    (prefiro a sonoridade da palavra passismo em vez de passadismo – apesar de a narrativa desta segunda ser mais rica por evocar aquilo que se quer esquecer)

  2. na assembleia, com um discurso lido por outra pessoa que não cavaco,(mas em seu nome) que imitasse na perfeiçao a voz do querido lider salazar.os deputados da oposiçao todos vestidos de preto,mas com aquelas batas de cangalheiro até ao joelho.para compor o ramalhete contratavam as carpideiras do costume,(tipo avilez, medina caganeira mais os contabilistas opositores a socrates como o cantiga esteves) por fim, para dar um toque de alegria , bem visivel nos seus rôstos pela actual situaçao que vivemos, os lideres do comite central dos social -fascistas do pcp!

  3. Mas que chato ter que ao 25 suceder o dia 26.

    Mas quem é que adivinha esta sequência?

    Após um dia tão lindo e promissor sofrer um “after day”! Que para alguns foi bom, eles aí continuam rijos e valentes|

  4. Obrigar Passos e seus “muchachos” a ouvir “Os Meninos de Huambo”, “Grândola Vila Morena” e “Os Vampiros” de enfiada, cantadas por todos os desempregados, enquanto se hasteava a bandeira ao contrário.

  5. uma excursão a Santa Comba Dão para por umas rosinhas ao botas e pedir-lhe desculpa de joelhos …ele lá sabia pq tinha as hienas açaimadas , a gente só o soube há uns 15/20 anos , desde que caímos numa ditadura , mesmo das sérias , económicoestatal e os tipos mostraram todos os seus dentes sem vergonha nenhuma.

  6. Cantar o Hino da Moçidade Brutoguesa, dirigido pelo Maestro Victor Kasper, num andamento “molto lento e maestoso” e com imagens do Minho a Timor, em fundo, incluindo certas paisagens da Ilha do Sal, de Nambuangongo e de Wyriamu.

    O traje poderia ser, para os homens, uma tanga (em pele de suíno) e, para as senhoras, os “figurinos” reais da personagem principal da peça “O Rei Vai Nu” (de um tal Hannibal C. S., se não estou em erro).

  7. Fazer uma reencenação teatral das cenas do terreiro do paço, com o subamarino do portas no tejo, comandado pelo próprio, a levar com uma bola de tanque a partir de terra – submarino ao fundo. Entretanto, Passos Coelho, amedrontado, refugia-se no Largo do Carmo e é discretamente levado para a sua terra, Angola.

    O povo sai à rua e começa um governo de salvação nacional de nomeação governamental designado por Cavaco, que esse não sai de maneira nenhuma, só se lhe empurrarem a cadeira.

  8. E aqui no aspirina, como tencionas comemorar?

    Se tiver tempo, vou continuar a ideia:música revolucionária do antes, durante e pós 25/4.É uma amneira de comemorar, que a cantiga é uma arma. Passadismo e passismo, para mim não qualificam para marcar calendário. Só para marcar Passo.

    Antes do 25…
    http://www.youtube.com/watch?v=ytzBVxL1llU

  9. Encharcar o palácio de Belém com bombinhas de mau cheiro, vulgo peidos engarrafados, mas guardando algumas para o flausino do Largo do Caldas e outras tantas para os vários departamentos do Terreiro do Passos.

  10. joaopft,

    o teu estado de espírito é de beleza absoluta. Que não nos esqueçamos desta beleza (refiro-me à orginal, do Zeca). Qu ele é que vingará sobre tofas as folhas de excel do mundo. (pronto, chega o 25, fico sentimental e nostálgica). è todos os anos isto, e nos intervalos também.

    Mas também dá ganas à Zé Mário e já o Camões dizia:
    http://www.youtube.com/watch?v=Xc_fMCp36mI

  11. ignatz, quanto aos prés que mandaste, muito fresco: eram os oito ou nove que em Portugal ouviam beatles. Dancei na cadeira…

  12. por partes:
    os bacanos do pesadelo ácido (já tinha ouvido quando era muito xovem) são bons! Gosto.
    Agora vou ouver o resto.

  13. estamos a minutos do dia 25 do A, a data mais nostálgica da actualidade- para mim. Eu e o ignatz temos estado a celebrar. Quem fez a pergunta e os outros aspirínicos? Cada um à sua maneira, quero acreditar. Eu quero muitas coisas improváveis. But I’m not the only one.
    http://www.youtube.com/watch?v=yRhq-yO1KN8

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.