Temos azar com eles

Temos azar com os Presidentes da República. Ainda não apareceu algum que deixe saudades, quanto mais ser exemplo de sabedoria; ou sequer que tenha uma qualquer ideia de Portugal que faça um qualquer sentido para os portugueses. Fingimos, até ao ponto de acreditar, que não faz mal estarmos pauperrimamente servidos lá por Belém — mas continuamos a dispensar a parvoeira em tão importante função.

A hipótese mais votada neste país de taralhoucos, e de hipocondríacos, era a da doença. Cavaco estaria gravemente doente e iria anunciar o abandono. Só isso justificaria o funesto silêncio quanto à alocução das oito da noite. Ou, então, Sócrates tinha sido apanhado a trocar armas por droga, na Quinta da Fonte, e o Governo teria de ir abaixo. De facto, a sua comunicação resumiu-se a uma queixa ressabiada contra todos os partidos com representação na Assembleia da República, a propósito de questões consideradas legítimas pelo Tribunal Constitucional. Isto confirma o acerto da previsão: o tipo está doente da cachimónia e qualquer semelhança com a responsabilidade presidencial é pura coincidência.

O trágico do episódio, porém, estava guardado para as 10 da noite: observei-me, como em sonho, a concordar com o Luís Delgado. Ainda não tenho uma estimativa dos prejuízos causados por tal catástrofe, nem sei como irei recuperar da vergonha. Apenas juro, Cavaco, que jamais te perdoarei.

13 thoughts on “Temos azar com eles”

  1. val,
    tem mais uma coisinha:
    naquela parte do «Ainda não apareceu algum que deixe saudades, quanto mais ser exemplo de sabedoria», acho indecente teres esquecido os discursos do Dr. Jorge Sampaio.

  2. achas que se eu mantiver o ritmo posso assinar zazvn e ninguém nota?
    (sinto-lhe a falta, às vezes… não tem comparação com concordar com o LD, por isso não te aproveites)

  3. olha lá rapaz, não vi nada disso, mas deve ter sido a Maria que achou bem que antes da galhofa de Agosto os ‘filhotes’ levassem com um raspanço e encomendou ao pau. Que aquilo das massageens estava a fazer-lhe nervos… Tu vê lá se andas a dormir bem, senão fico preocupado

  4. Com tanta coisa importante a acontecer logo havia da falar de uma «super estrutura» jurídica. Deu gato por lebre…

  5. Rui, em ordem a substituíres convenientemente a zazie, não podes continuar nesse registo críptico que impede o mero entendimento das mensagens. Neste caso, falas de que limites e porquê?
    __

    Parafuso, concordo contigo.
    __

    z, durmo bem, obrigadinhos.
    __

    jcfrancisco, pois.
    __

    Marco Alberto Alves, não cheguei a ver a rata. Que pena.

  6. val,upi yours!
    I saw you comming that way!
    «e não te atrevas a pedir que especifique! não roubarás encanto aos meus tabus», remember?

  7. Rui, estás pior do que o Cavaco. A esse, pelo menos, ainda dá para perceber que anda muito ocupado com os Açores, essas ilhas onde se cozinha uma sublevação constitucional. Mas quanto ao que tu dizes, ou pensas, vamos ter de esperar pelos comentários do Luís Delgado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.