Que saudades do tempo em que o Parlamento, ou mesmo a Assembleia, impunha limites e encontrava soluções

Aquilo que está a ser feito a este país tem de ter um limite. Esse limite passa por este Parlamento.

De uma coisa poderão estar certos: é que em democracia há soluções, as soluções de Governo passam por esta Assembleia.

Manuela Ferreira Leite, na tarde de 23 de Março de 2011, assim justificando a ruína e entrega do País a Passos e ao dr. Relvas

9 thoughts on “Que saudades do tempo em que o Parlamento, ou mesmo a Assembleia, impunha limites e encontrava soluções”

  1. uma confissão: por vezes evito vir ao aspirina, para travar o consumo de tabaco. Já estou com sentimentos de culpa, durante o dia, porto-me bem, depois se venho aqui frustrar-me com a realidade evidente e absurda e com alguns dislates menos evidentes mas igualmente absurdos (não me refiro ao post), tanto faz, dá no mesmo.
    Como sempre, anexo melhor expressão em forma musical.
    http://www.youtube.com/watch?v=4TV_128Fz2g&feature=watch-vrec

  2. reis,
    não consigo aceder ao youtube a partir do teu link, aliás, não consigo aceder ao youtube ponto.
    Se calhar esqueci-me de pagar a conta de utilizador abusivo. Isto deixou-me frustrada e fez-me fumar mais um cigarro. Mais um little damage “to my beautiful lungs”.

  3. Já vi. Muito bom. A dobragem castelhana dá um colorido muito especial. Por acaso já tinha reparado que nos filmes americanos actuais, os únicos personagens que fumam são vilões, psicopatas ou doidos varridos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.