Putos e paneleiros

Portugal é um dos países, em todo o Mundo, onde a mortalidade de crianças até aos 5 anos é menor. Estamos ao nível da Alemanha, Dinamarca, Espanha, França, Japão e Noruega, por exemplo. Segundo a oposição, contactada por telepatia, a culpa por esta embaraçosa situação é totalmente de José Sócrates e das suas políticas de saúde e assistência social.

O PS não tinha prometido legislar sobre o casamento homossexual na presente legislatura. E a questão merece um amplo debate que, também por isso, não tinha agenda. Caso o PS tivesse viabilizado o projecto do BE em Outubro passado, toda a oposição viria dizer que Sócrates tinha sido eleitoralista, demagógico e irresponsável.

Eis a nossa oposição: uma súcia de putos e paneleiros.

26 thoughts on “Putos e paneleiros”

  1. “uma súcia de putos e paneleiros.”

    Que elevação de discurso!

    É com gente com discursos deste tipo que me aconselha a alinhar?

    Obrigada mas, não me parece.

    Bye, bye

  2. Muito obrigado, João. E que propões para reduzir esses números? A defenestração do Sócrates? A entronização do Louçã? Alguma coisa pelo meio?

  3. Valupi, você ganhava mais em ser menos ingénuo. Deixe-se de lirismos que é como quem diz, deixe de considerar o Socra responsável pela política e pelas acções do Governo. É o mesmo que considerar o Cadilhe responsável pelo que se faz na SLN. São profissionais bem pagos para fazer aquilo que lhes mandam. Mais tarde recebem uma reforma choruda para calarem o bico.

  4. Heredia aquilo não era para ti, era para o Valupi, se clicaste lá saberás tu porquê, e se coraste ainda mais,

    mas é sobretudo para o Alexis, gato corajoso, sangue grego pois claro

  5. Caro Valupi,

    creio que a oposição não tem só putos (cá em cima chamamos-lhes miúdos) e homosexuais, também tem oportunistas, trafulhas, aldrabões, idiotas, borracholas, estúpidos, ateus, agnósticos, religiosos, pedófilos, chatos, etc. e tal, mas o PS também os tem, por aí não vai haver mal ao mundo, no entanto fazer recair tudo em cima do Sócrates é que acho um verdadeiro exagero… quanto aos miúdos com menos de cinco anos atropelados nos passeios creio que serão bastante menos, e a culpa será na maior parte dos casos dos adultos ou maiores que os acompanham na maior parte dos casos.

  6. Manolo Heredia, tens de transmitir à oposição as tuas ideias, porque ela é que tem feito de Sócrates o mau da fita.

    Mas que propões, já agora? Deixar de votar? Quais são as tuas soluções?
    __

    Z, ora aí está uma bela palavra (e ideia!), hierofania.
    __

    teofilo m., ainda bem que apareceste para me dares a oportunidade de explicar: paneleiros são os que fazem panelas. Isto é de dicionário. Ora, quem faz panelas mais facilmente fará tachos. Maneiras que a oposição está cheia de paneleiros, que ninguém duvide.

  7. «Ora, quem faz panelas mais facilmente fará tachos. Maneiras que a oposição está cheia de paneleiros, que ninguém duvide.»

    Conta-nos valupi estamos ansiosos! Seguramente disso poder-nos-às dar conta da tua experiência!

  8. A cabotinice do mês: “…em certo tipo de mortes de crianças, não estamos bem ao nível da Suécia.” E em cabotinismo, estaremos ao nível da Suécia?

  9. da Fernanda Câncio, no Jugular, para ajudar a não esquecer:

    f.

    1974 A associação dos psiquiatras americanos retira a homossexualidade da lista das patologias. Em Portugal, um manifestode homossexuais é repudiado pelo general Galvão de Melo na TV: “O 25 de Abril não se fez para as prostitutas e os homossexuais reinvindicarem”.

    1976 É aprovada no parlamento eleito a Constituição da República, que estabelece a igualdade de todos os cidadãos perante a lei, assim como a reserva da vida íntima.

    1982 É revogado o CódigoPenal (CP) de 1886, que no artigo 71º punia com “medidas desegurança — internamento “em manicómio criminal”, “casa de trabalho ou colónia agrícola” (por período de seis meses a três anos, para trabalhos forçados), “liberdade vigiada”,“caução de boa conduta” e “interdição do exercício de profissão”– quem se entregasse “habitualmente à prática de vícios contra a natureza”, práticas essas que “agredissem” o “princípio básico da moral sexual” e “o primado da sexualidade genital e da reprodução”. Mas cria-se um novo crime (artigo207º),“Homossexualidade com menores”, punindo com prisão até três anos “quem, sendo maior, desencaminhar menor de 16 anos do mesmo sexo para a prática de acto contrário ao pudor, consigo ou com outrém do mesmo sexo”.

    1989 Uma portaria de inaptidões para o serviço militar classifica como doença mental os “desvios e transtornos sexuais: homossexualidade e outras perversões sexuais” . Quem manifestar tal “desvio” é inapto.

    1991 Surge o primeiro grupo organizadode defesa dos direitos LGBT. É o Grupo de Trabalho Homossexual, integrado no Partido Socialista Revolucionário, um dos partidos que virá em 1999 a unir-se no Bloco de esquerda.

    1992 A Organização Mundial de Saúde retira a homossexualidade da lista das patologias.

    1995 Nova revisão do CP substitui o artigo 207º pelo 175º, “Actos homossexuais com menores”. Prevê-se que “quem, sendo maior, praticar actos homossexuais de relevo com menor entre 14 e 16 anos, ou levar a que eles sejam por este praticados com outrem, é punido com pena de prisão até 2 anos ou com pena de multa até 240 dias”. Entre pessoas da mesma idade mas de sexo diferente, só há crime se houver “abuso de inexperiência”.

    1996 Os Verdes propõem incluir no artigo 13º da Constituição a proibição da discriminação em função da orientação sexual. Abstenção do PS e votos contrários do PSD e do PP impedem aprovação. São criadas a associação ILGA-Portugal e o Clube Safo (associação lésbica).

    1997 É publicado o despacho do Ministério da Administração Interna n.º 13/97, que declara inaptidão à admissão na PSP de “personalidades psicopáticas de qualquer tipo, particularmente anormais sexuais, em particular invertidos”. É celebrado o primeiro arraial pride no Príncipe Real, fundadada a associação Opus Gay e ocorre o I Festival de Cinema Gay e Lésbico, com o apoio da Câmara de Lisboa.

    1998 É publicado o manifesto dos grupos homossexuais, com várias exigências, entre as quais a inclusão da não discriminação em função da orientação sexual no artigo 13.º da Constituição, o reconhecimento das uniões de facto e do acesso à adopção. O casamento não faz parte das reivindicações.

    1999 Entra em vigor o Tratado de Amesterdão, que consagra a proibição da discriminação em função da orientação sexual . É, em Março, revogada a tabela nacional das inaptidões aprovada em Janeiro e na qual a homossexualidade surgia como “deficiência”. O provedor de Justiça declara “constitucionalmente intoleráveis” as restrições constantes nas tabelas de inaptidões do serviço militar e da PSP. É aprovada uma lei das uniões de facto, proposta pelo PS, que exclui casais do mesmo sexo.

    2000 Primeira parada do Orgulho Gay desce a Avenida da Liberdade, em Lisboa.

    2001 O Parlamento aprova uma lei das uniões de facto que inclui os casais do mesmo sexo, excluindo-os da adopção.

    2003 O novo Código do Trabalho proíbe a discriminação do trabalhador com base na orientação sexual.

    2004 A orientação sexual é incluída no artigo 13.º da Constituição, em votação parlamentar.

    2005 A ILGA-Portugal lança uma petição pela igualdade no acesso ao casamento. Recolhe mais de 7000 assinaturas. O Tribunal Constitucional (TC) reputa de inconstitucional o artigo 175.º do Código Penal.

    2006 Teresa Pires e Helena Paixão tentam casar-se numa Conservatória de Lisboa. Sucessivas recusas levam o caso até ao TC, onde aguarda decisão.

    2007 A revisão do Código Penal elimina o artigo 175.º e inclui, no novo crime de violência doméstica, os casais do mesmo sexo, assim como, entre as circunstâncias agravantes dos crimes, o ódio baseado na orientação sexual.

    2008 A secretária de Estado Idália Moniz garante que os casais do mesmo sexo estão excluídos das candidaturas a família de acolhimento, apesar de a lei admitir unidos de facto. Decorre, a 3 de Outubro, a audição parlamentar de apreciação da petição a favor do casamento das pessoas do mesmo sexo. A 10 de Outubro, será votada a petição, assim como os projectos de lei do BE e de Os Verdes sobre o mesmo assunto, com chumbo anunciado.

    2009 A 18 de Janero, na apresentação da sua moção para o congresso a ter lugar em Fevereiro, o secretário-geral do PS e primeiro-ministro José Socrates afirma como prioridade “o combate a todas as formas de discriminação e a remoção, na próxima legislatura, das barreiras jurídicas à realização do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo”.No dia seguinte, o ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, precisa: “A moção apresentada pelo secretário-geral do PS contempla a remoção das barreiras jurídicas à celebração de casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Não propõe mais nada. Se o congresso aprovar a moção, a posição do PS continuará a ser contrária à adopção de crianças por parte de casais formados por pessoas do mesmo sexo”.

    (cronologia abreviadíssima da luta pelos direitos dos homossexuais em portugal. publicada no dn de sábado 4 de outubro e actualizada)

  10. Valupi, não vislumbro solução, como também não sei como resolver o problema da falta de verdade desportiva no futebol. Os árbitros começam a aprender a viciar os resultados quando ainda têm as fraldas no rabo, e o mesmo se passa também com os jornalistas. Quando chegam a poder escrever em algo num jornal de referência já estão transformados em simples moços de recados. Por isso a democracia de hoje é uma caricatura da democracia que beneficia de informação independente. O Salazar era um menino de coro comparado com os galifões que por aí andam agora.

  11. Ibn, larga o vinho.
    __

    Nik, nem mais.
    __

    Z, a Câncio tem sido uma grande amiga da causa. Estão todos de parabéns.
    __

    Manolo, para quem não tem soluções, tu pareces estar muito bem informado acerca dos problemas. Ora, isso é suspeito. Porque, como dizem os sábios, onde está o problema é onde se encontra a solução. Vai na volta, não encontras soluções porque ainda não acertaste com o problema.

  12. A não-entronização do Sócrates, decerto. Quanto ao Louçã, quem é esse gajo?Não conheço, é alguém importante?

    Talvez o melhor a propôr seja a defenestração de todos os optimistas e todos os pessimistas. Fiquem aqueles que analisam os dados sem os escolher para manipular e propõem soluções.

    Por exemplo, acho que em termos globais, Portugal até está bastante cá em baixo em termos de pequenas empresas baseadas na inteligência e inovação, etc. Somos um dos países da OCDE que regista menos patentes e não temos um único gigante tecnológico. Há empresas de 3 ou 4 recém-licenciados cheios de pica mas em geral quando chegam aos 50 ou 100 empregados perdem-se e vão com o caralho, ou transformam-se em sweat-shops de programação “a la” ìndia.
    A ChipIdea prometia, mas está em falência … resta quê? A Efacec ? É pouco ou nada …

    Olha queres propostas: apoie-se a indústria e formação na produção de bicicletas, que tem vindo a crescer cada vez mais em Portugal ( sob liderança francesa com mais-valias a reverterem principalmente para frança) . Nisso somos os maiores da Europa: a produzir bicicletas. Já era hora de alguém dar uma mãozinha a essa indústria, fomentando o mercado interno, por exemplo. Digo eu

    tinha a sensação que já escrevi isto …

  13. Ah já percebi, estou a comentar no artigo errado. Mil perdões pelo mau jeito.

    Portanto aqui não quero defenestrações nem entronizações, quero revisão do código da estrada e o planeamento urbanístico.

  14. João Branco, afirmas acreditar em análises imunes à manipulação. Quero que saibas que isso faz de ti um perigoso optimista.

    Quanto ao achas do tecido empresarial e sua falta de inovação, só vens dar razão a Sócrates e à sua aposta no salto tecnológico. Toma cuidado, não reveles essas ideias no teu blogue.

  15. João Barnco,

    sabias que Portugal é um dos maiores exportadores europeus de tecnologias de ponta? Sabias que a balança comercial no sector das TI é positiva para Portugal (exportamos mais do que importamos)?
    Sabias que neste momento a procura de licenciados para estes sectores mais inovadores excede largamente a oferta dada pelas universidades?
    Sabias que Portugal tem dos maiores polos de investigação científica da Europa?
    Sabias que tudo isto aconteceu na era Sócrates?

    Eu trabalho neste sector, se quiseres mais detalhes é só dizer…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.