Passos, o salvador de Portugal

Não dizemos uma coisa num dia e outra coisa no outro. Não é pelo facto de o Governo agora aparecer, com algum desespero, a comunicar ao país que, afinal, a crise pode ter consequências imprevisíveis e gravíssimas para Portugal que o PSD agora deverá tomar as dores que o governo não tomou quando devia ter pensado nisso previamente”.

“Chegados a este ponto, aquilo que deve preocupar os portugueses e a comunidade internacional não é saber se vamos fazer um alimentar de divergências com o governo, é saber como é que o país pode sair desta situação, em que um governo não procede em termos leais com o país nem com as instituições e depois confronta o país com o precipício de uma crise se aquilo que ele próprio apresentou não for aprovado. Não é assim que tratamos Portugal e não aceitamos tratar assim Portugal”, defendeu.

“Portanto, eu espero que, por mais dificuldades que tenhamos de enfrentar, e o país vai enfrentar dificuldades, está a enfrentar dificuldades, nós teremos de as vencer, não para salvar o Governo, mas para salvar Portugal.

Passos Coelho disposto a tudo para ir ao pote e falando do seu actual Governo com dois anos de antecedência

9 thoughts on “Passos, o salvador de Portugal”

  1. Tudo certo, Val.

    Mas o que é que distingue substantivamente, digo substantivamente, o PS do PSD ?

    Não se têm alternado nas políticas desastrosas para o País, desempenhando, alternadamente, o papel de Pide bom e de Pide mau ?

    Ora diga lá de sua justiça…

    João Pedro

  2. João Pedro, de que adianta tentar dialogar contigo se começas por anunciar que não reconheces diferenças entre o PSD e o PS? Milagres que te consigam restituir a visão não se fazem neste blogue, que eu saiba.

  3. @João Pedro, e é por tu não veres alternativa (ou não haver de todo, consoante as opiniões) que o PSD tem valor? Mas já chegámos ao reino da parvoíce? Ah, espera…

  4. Ia-me dando um fanico ao ouvir o ministro primeiro a dizer, com aquela expressão imbecil que lhe calhou na rifa, que o PS está com pressa de ir para o governo, sem atender às condições do país.
    Dito pela mesma alma que, há dois anos, desencadeou o derrube de um governo a meio do mandato, com um plano aprovado pelos chefões europeus para evitar a intervenção da troika, portanto na pior altura possível para os interesses do país.
    Pensarão eles que somos todos uns desmiolados?

  5. Meu caro Val:

    Se eu me dispuser a torturar a verdade talvez consiga descortinar as diferenças SUBSTANTIVAS entre o PS e o PSD.
    Faço notar que o próprio PSD (e o CDS) não vêem tais diferenças, quando, por exemplo, vos dizem que pertencem, todos vós, ao arco da governação, à troika nacional.
    Quem não quer ver, Val, e já agora, Xavier, são vocês, sendo que, como diz o nosso povo, o pior cego é o que não quer ver.
    PS: Sim há uma alternativa que acabará por emergir, porque o Mundo move-se, chama-se PCP, instituição quase centenária, consistente, coerente, consequente.
    Cito, a terminar, Zé Gomes Ferreira: ACORDAI !

    João Pedro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.