O vulcão espanhol

Para já, o que a greve selvagem configura é apenas isto: uma corporação pode deitar abaixo um país, e afectar dezenas de outros, ao arrepio de qualquer responsabilização pelas consequências. Basta que tenha o controlo.

30 thoughts on “O vulcão espanhol”

  1. O que revolta, neste caso, é também os salários exorbitantes que estes controladores auferem. Vai ver ao El País. Chegam a receber entre 300 000 e 500 000 € anuais. Sei que a profissão é de altíssima responsabilidade, mas caramba, não é a única! E, em tempos de austeridade, duvido muito que a população os apoie.

  2. é… e não me admiraria nada que a esquerdalhaça (tipo pc mas sobretudo be) viesse em defesa desses previligiados tal como fazem cá no sítio. os fracos e os desfavorecidos já ninguém os defende.

  3. Isto não é greve, ahí o problema. Se faz greve, estas a anunciar, fas ums servizos mínimos, a cidadanía está em aviso etc. Da noite para manhá sem aviso todos a um tempo deijam de fazer o controlo. Os soldos a cobrar são certos. São uma elite que vive noutro mundo. Istes pertezem o sistema de quanto pior melhor quanto de voltear o Zapatero. (esta música é conhecida em Portugal não sim?)

    Iste governo atuou a um alto nivel de eficacia. O ministro de Fomento , Blanco, ditou normas para ponher os gajos um bo0cadinho a ordem, e esta é a resposta.

    A direita, melhor dito a direita estrema que está denmtro da direita, o PP, pois aqui tuda a pulhice e a esterqueira fica junta, apoia esta merda, duma maneira ou outra. O que dia apoio a isto so tem um nome terrorismo, assim que caros, a direita que há em Portugal e bem morninha com respeito a esta.

    Foi decretado o ESTADO DE ALARMA, isso é a primeira vez que se fai na democracia espanhola. Permete a expropiação e o controlo de propiedades e a obriga emtre outras de que qualquier pessoa o funcionario de todo tipo fica disponivel as ordes do estado. Essa é a situação. Foi a única maneira de obrigar estes individuos a irem o trabalho, estam agora mesmo todos trabalhando e estase ja à operar em Barajas com cem voos.

    De não irem a trabalhar poderiam serem culposos dum delito de sedição com penas até oito anos de cadea.

    Segue a propaganda de que o culposo é Zapatero. Tenho que dizer que a forma e a actuação do governo foi a melhor, rápida e eficaz, sinto-me orgulhoso, ainda que está meio pais a fazer “Vudu” com Zapatero, como o culpavel de todos os males. Ë o boneco de trapo no que os ranhosos cravam alfinetes, como se fosse o culposo dos males do mundo.

  4. Quero engadir que esta é uma semana quase completa de ferias em Espanha, é feriado a segunda feira é a quarta. Eis à questão do tão grande mal feito , sobor nestes tempos de crise. Num país de cuatro milhoes e meio de parados, fazem chantagem uns individuos os que lhe sacam cem mil euros o ano dos trescentos mil que cobrabam. Quanta solidaridade.

    A Zapatero ja lhe deu cheirinho que não foi a cimeira de iberoamérica, coisa bem curiosa.

  5. Pois sim, também meia dúzia de agencias económicas, banqueiros, especuladores podem deitar abaixo as estruturas democráticas de vários povos e a sustentabilidade. Ou preferem que tudo vá andando para o abismo sem contestação e luta? Sim já sabemos a resposta, estes tipos do controlo aéreo são uns priveligiados e não tardará que se diga que os trabalhadores da limpeza também. Amen.

  6. Gardate Zapatero !!

    “Vidal Quadras habla del alegato antisemita del Presidente Zapatero.

    En el programa radiofónico español ¨Mas se perdio en Cuba¨ de Intereconomia, Alejo Vidal Quadras dirigente del PP narro un suceso ocurrido hace unos meses entre el matrimonio Benarroch y la familia Zapatero. Por lo visto durante la cena, Zapatero profirió alegatos antisionistas y antisemitas de modo tan exagerado que los Benarroch (familia judía de peleteros) tuvieron que llamarle la atencion por el tono extremista de su discurso antisemita. Sin embargo, Zapatero estaba extasiado y continuo y continuo hasta que solto esta perla : ¨es que se entiende que haya quien justifique el Holocausto¨.

    Despues de esta frase el matrimonio Benarroch se levanto y se largo de la Moncloa, donde se celebraba la cena, y desde entonces no han querido saber nada del presidente del Gobierno.”.

  7. kalimatanos: Tenha coidado com as fontes.

    Tudo vale, com tal de malhar sempre no mesmo, agua mole…..

    O programa citado é uma esterqueira e o Vidal Quadras… Uma cena privada como fonte de opinião dum presidente? não é fiavel.
    o programa é don canel intereconomía, ou seja: extrema direita, opus dei, pulhice, imperialismo espanhol, aznarismo. Nada do q

  8. ….nada do que faga o governo ou zapatero será não só posto em causa, desfeito.

    Cartago delenda est. como seja. Quanto piro melhor.

  9. mau maria: misturar alhos com bugalhos não nos leva a conclusão lógica para este e outros casos.

    So podo entender o que dizes se por a tua banda a um desconhecemento da questão ou demagogia.

    Quem diz que não contestamos comtra banqueiros e especuladores?, diz-me a min e a muitos que fazer e lá estaremos. Porque misturar os trabalhadores da limpeza?Estes não vão ter força para parar um país.
    Estes senhores, os controladores, não pertezem os sindicatos de clase, tenhem o seu proprio sindicato, ou loby de presão. Trabalham muito e ganham muito porque não deixam que emtre mais gente nos seus postos, porque os governos foram deixando passar, para não terem problemas, e assim chegaram onde ficam hoje.
    A greve, os direitos sociais foram feitos a força de que muita gente como os trabalhadores da limpeza foram forzados as lutas sociais para defenderem a mais elementais direitos. Para que haja uma jornada de oito horas no mundo houve mortos. Embora não estavam a pensar neste tipo de trabalhadores.

  10. É verdade, Val. É tão simples quanto isso e tudo pode acontecer. Às vezes, a ave-do-paraíso desce ao inferno do caos e nem sempre consegue sair de lá totalmente ilesa. Ás vezes morre e transforma-se numa Fénix.

  11. Meu caro Valupi

    Há males que vêm por bem. Esta greve selvagem é uma fonte de ensinamentos para os governos. E também a especulação financeira, não selvagem, mas diabólica, abriu os olhos dos governantes. Não acredito que tudo fique na mesma depois destas duas atitudes destruidoras. Se ficar, começo a descrer das esquerdas e direitas que nos governam e começarei a pensar na explosão da revolta dos povos.

  12. A solução para estes caso de greves selvagens é simples, os passageiros e entidades lesadas devem colocar quem prevaricou no tribunal.
    Todos os povos estão fartos de serem sempre uma meia dúzia a fazer borrada e nunca são penalizados. Já chega!

  13. É pá lembrei-me logo do Reagan que despediu 17 mil controladores aéreos nos EUA. Foi uma crise do caraças até porque ele prometeu apoiar os sindicatos americanos na melhoria das condições de trabalho que eram precárias. Roeu a corda e muitos deles não puderam voltar a trabalhar para o Estado.

  14. Deve haver cada vez mais gente a pensar que os sectores chave para a sobrevivência de um estado democrático devem ser colocados ao abrigo tanto de terrorismo económico como do terrorismo politico. Para que serve uma democracia que não protege «as muralhas da cidade»? Vai actuar depois da “carnificina”? Para onde caminha uma democracia complacente com a fúria especulativa ou a selvejaria de uma greve como esta?
    Se o governo de Sapatero deixar passar sem uma severa lição estes senhores, não merece nem mais um dia presidir aos destinos de Espanha. E se a UE não disser «basta» aos especuladores, mais vale pensar no seu enterro. Revolta tanta passividade. E os governos são co-responsáveis, ao elegerem uma figura decorativa para presidir aos destinos da UE, seguindo as pisadas das nações do mundo todo que escolhem para Secretário Geral da ONU alguém que náo chateie os “grandes”.

  15. jcfrancisco: bem lembrado . Aquí esta-se a lembrar muito.
    Acho que foram 11 mil. Cambiou o sistema , mentres militares fizeram os trabalhos de controlo, e nenhum dos despedidos pudo voltar a trabalhar para o Estado, assim foi a resposta a chantagem.

  16. Os parasitas:
    Há muito que venho protagonizando situações iguais à dos controladores aéreos espanhóis. As democracias são tolerantes e há classes que se aproveitam das suas fraquezas. Espero que haja uma resposta firme do Governo Espanhol com processos judiciais. Estas pessoas não merecem outra consideração.
    Em tudo há direitos e deveres. Os mesmos devem ser equilibrados. Se queremos usufruir deles também nos devemos responsabilizar pelos direitos dos outros. Adoecer tantos controladores aéreos no mesmo dia e à mesma hora só pode ser anarquia. E estes pouco se importam com os direitos dos outros. O que querem é que venha a nós ao nosso reino e que seja feita a sua (deles) vontade.
    Que sirva de lição. Os nossos Palmas, Martins, Nogueiras e outros tais que lhes sirva de lição. Não me espanta muito e pelas proporções que certas greves tem que um dia seja o consumidor a fazer justiça pelas próprias mãos.
    Ao governo Espanhol peço que seja implacável com esta gente. Não tenha compaixão com quem não teve com milhões de passageiros. Não tiveram consideração pelas vidas de milhares deles. Ainda bem que não houve nenhum desastre.
    Aos passageiros prejudicados pela tomada de posição dos controladores aéreos peço-lhes que formem uma comissão e que lhes movam um processo criminal por serem lesados nos seus elementares direitos. Façam isso para que o Governo Espanhol tenha mais força e sinta o vosso apoio.

  17. Uma simples pergunta a todos estes sábios.
    Os criminosos dos controladores são acusados de fazer uma greve selvagem, para garantir o pagamento de horas extraordinárias não remuneradas.
    Trabalho não remunerado é escravatura.
    Os senhores que estão contra eles são negreiros, ou paradoxalmente são escravos a aplaudir os negreiros?
    Com gente desta que pena tenho dos vossos filhos e dos vossos netos.

  18. Quem já se esqueceu dos tempos dolorosos dos anos 80 quando na Banca em Portugal se dizia que era preciso «tirar os retornados» do Rossio??? Muitos dele nem eram bancários e entraram na Banca porque havia 30 pessoas a assinar um papel a garantir que eram e que os seus papéis tinham desaparecido. Estive sete anos sem ser promovido e ainda aqui estou. Passavam à nossa frente porque era preciso moralizá-los.

  19. Ó Ratazana, pergunto porque é que em vez de haver 1500 controladores a ganhar 30 000 euros por mês (com horas pagas e não pagas) não há 5000 a ganhar 15 000 mensais? Consta-te que os desgraçados controladores tenham feito uma proposta do género, para acabar com a escravatura a que estão sujeitos? Olha que 15 mil mensais “dele” não é nada mau. E assim até ficavam com tempo para a familia…
    É claro que estas ideias não ocorrem… a um negreiro de verdade.

  20. ;Mário negreiro encartado,
    Se criassem mais postos de trabalho, já não havia horas extraordinárias não remuneradas.
    Def.

  21. Jojoratazana: Segundo li no El País, os controladores tinham um horário de base de 1200 horas por ano, ou cerca de 28 horas semanais, e depois faziam – com gosto, concluímos, dado que nunca protestaram – muitas horas extraordinárias, pagas a peso de ouro (por vezes o triplo da hora normal). Uma média de 400 h anuais. O que lhes compunha IMENSO o salário, já de si excelente. Perante esta realidade, e estando agora os controladores sob a tutela da AENA e vivendo os espanhóis um período de austeridade, o governo decidiu aumentar o limite de horas de trabalho normal por ano para 1670, reduzindo, assim, claro, as horas extraordinárias, que poderão ser apenas, no máximo, 80. O que há aqui de irrazoável?

  22. jojoratazana
    queres ser tratado por jojo ou por ratazana?

    Nem depois de te provarem que nao tinhas razao no teu 1º comentario, mudas-te o tipo de discurso oco e acéfalo que te caracteriza.

    Tiras-te um curso ou nasces-te assim?

  23. Trabalho suplementar, filhos, trabalho suplementar. Já não se diz horas extraordinárias. Vamos lá a utilizar a terminologia correcta, filhos, vá que eu não duro sempre e não gosto de dizer o que sei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.