45 thoughts on “O ódio como afrodisíaco”

  1. é de uma imensa tristeza que os meios de comunicação, incluindo os blogues, se tenham tornado em meros vomitórios sociais. é urgente controlar tanto os ódios afrodisíacos como os ódios aos ódios afrodisíacos – é que comportamento gera comportamento e passamos a andar em ódios de rotundas. fico mesmo triste.

  2. a culpa é da comunicação social que encomenda estas filhas-da-putice a chulos tipo galã de viseu, ressabiados de incompetência própria. diria mesmo, um manel alegre com mais plástico e funções que não servem para nada.

  3. oh linda! andas a perder óleo nas rotundas? deve ser do desaparafusamento, vai ao afromecânico que ele faz-te feliz.

  4. o ódio e o ressabiamento doentios que não conhecem limites de decência, os deste professor presunçoso, político falhado e ‘diplomata’-desastre que não sabe o que é vergonha! um nojo!(sei que se abusa da palavra ‘nojo’, mas não me ocorre para tal nojento).

  5. Agradeço ao Valupi ter-me dado a oportunidade de ler o artigo que me passou ao lado.
    Só questiono a oportunidade do comentário. De resto o Carrilho dirá o que quiser. Mas estou mais perto do que ele diz acerca do Sócrates do que nos dizem os seus defensores.
    É que o Carrilho também fala de factos e não se pode falar de ódios e de ressabiamentos
    quando se fala de factos.

  6. “Para mim, o socialismo democrático … traduz-se … numa lúcida desmontagem das ilusões das novas tecnologias, e numa inequívoca reivindicação de autonomia face à voragem mercantilista da comunicação. O socialismo democrático deve ser um projeto de emancipação, e não um carrossel de anúncios e de equívocos.”
    Alguém, por favor, me traduz esta merda e, já agora, faz a ponte com o contexto actual em confronto com o então vivido período de 2004-2010.
    Bem não se dêem ao trabalho, pelo resto do texto, vê-se que estamos diante de um excelente exemplo de alto nível execratório só ao alcance de iluminados como o professor Carrilho.

  7. Goste-se ou não de Carrilho, o que ele escreve sobre Sócrates é verdade e não é a primeira vez que o faz. Obviamente que Sócrates nunca foi socialista, não lhe sendo conhecido qualquer pensamento ou acção digna desse nome. A menos que socialismo (para os bajuladores de Sócrates) seja uma mescla de pragmatismo e voluntarismo, assentes no marketing político, que durante anos serviu para disfarçar a falta de consistência política e ideológica deste ex-primeiro ministro. Um oportunista da pior espécie. Tenham juízo!

  8. falo da saga da licenciatura
    falo do pedido feito a Paris para ir para a Universidade
    falo do que Sócrates disse acerca de Sarkosy
    falo sobre o facto do Carrilho não ter sido reconduzido porque não aceitou apoiar a nomeação de um crápula a pedido de um outro

  9. O nível intelectual aumenta, não vou conseguir acompanhar:

    “A menos que socialismo (para os bajuladores de Sócrates) seja uma mescla de pragmatismo e voluntarismo, assentes no marketing político, que durante anos serviu para disfarçar a falta de consistência política e ideológica deste ex-primeiro ministro.”, rui mota

    o que me safa é a wikipédia Socialismo: “…uma sociedade caracterizada pela igualdade de oportunidades/meios para todos os indivíduos com um método mais igualitário de compensação”

    A minha dificuldade nem é perceber o que é o socialismo nem se se Carrilho fala a verdade ou não. É perceber que raio de idealismo defendem os que atacam Sócrates.

  10. A dor-de-cotovelo do insignificante Carrilho é descomunal. Visto de fora do PS, é o discurso típico de um Bojinov choramingão e sempre preterido pelo Treinador, mas que se ufana de ser de longe o melhor jogador da equipa, quiçá do Mundo, só que o Mundo não está, óbviamente, à altura de o compreender.

    Visto de dentro do PS, é um libelo patético, um hino à sua própria impotência e um atestado de menoridade intelectual e política a todos os dirigentes históricos socialistas, Mário Soares incluído – pois não foi ele quem deu o mote a todos os outros, coligando-se com o CDS e o PSD e, pior do que isso, metendo o Socialismo “na gaveta”? -, que no fundo, enquanto governantes, apenas se distinguiram de José Sócrates por dois motivos bem simples: uma profunda incompetência e inépcia políticas (sobretudo com Guterres) e uma flagrante e confrangedora incapacidade para obter vitórias eleitorais sólidas, em especial uma maioria absoluta em Legislativas.

    O senhor Carrilho que continue pois a elaborar os seus complexos “tratados” de retórica política oca e datada, que nunca há-de convencer ninguém. Vi-o uma única vez ao vivo, num debate autárquico, a ser sovado pelo Ruben de Carvalho e arrasado pela defunta M.ª José Nogueira Pinto e fiquei esclarecido para todo o sempre.

    Precisa de afrodisíacos? Ora, lambuze-se no seu próprio veneno, ou coma muito pimento vermelho (“Viagra” naturale, como dizem os italianos…), mas deixe-nos em paz.

    Quanto ao Rui Mota, o “rasgado”, tome ele juízo antes de o recomendar, assim tão levianamente, a quem ele supõe estar “roto”…

  11. Valupi,

    Vivi trinta anos na Holanda, nessa época governada por coligações de centro esquerda e centro-direita, e havia mais “socialismo” sob governos cristãos-democratas do que em todos os anos do PS de Sócrates: menos desigualdade social, mais apoios em áreas fundamentais do desenvolvimento humano (saúde, educação, rendimento per capita), mais medidas de integração de grupos fragilizados da sociedade (desempregados, incapacitados para o trabalho, idosos, viúvos/as), mais apoios para a cultura e as artes, do que alguma vez existirá em Portugal. Para além disso, havia (penso que ainda há alguma) ética na política (o Max Weber explica) que é um valor que os portugueses não cultivam e que o Sócrates (um mentiroso compulsivo) nunca praticou. Dir-me-ás: mas a Holanda não é um país socialista. Pois não, por isso é que espanta ter mais medidas sociais e de equidade, que um partido que se diz socialista (e governou um país com maioria absoluta) nunca foi capaz de implementar. Gostava de saber porquê…

  12. joao, que sabes tu da licenciatura que tenha escapado ao Ministério Público que a investigou? Que sabes tudo do pedido feito a Paris (??) para ir para a universidade? Que disse factual e contextualmente Sócrates de Sarkosy e qual a importância dessas palavras para ti? A quem é que estás a chamar crápula?
    __

    rui mota, em que te baseias para dizer que Sócrates é um mentiroso compulsivo? Que culpa temos nós por teres vivido na Holanda e achares que de 2005 a princípios 2011, e com as duas maiores crises económicas e financeiras das nossas vidas, Portugal deveria ter alcançado os níveis de um país rico do Norte da Europa? O que é a ética na política e quem é que a pratica por cá segundo a tua abalizada opinião?

  13. eu vim trazer uma sugestão: em vez de ódios afrodisíacos, macarrão com leguminhos espertos que não deixam a língua a arder mas sim, sem cardos e sem rosas, a vontade daninha crescer. :-)

  14. Ó valupi
    os meus julgamentos são éticos não são jurídicos.
    Também não preciso que o Cavaco seja condenado no caso BPN para achar que é um traste.
    Crápula é o Murabak e o antigo ministro da Cultura egípcio, Farouk Hosni que Socrates queria ver como Diretor Geral da UNESCO
    Sócrates é só um erro, que estamos a pagar bem caro.

  15. eu diria mais:

    Sócrates é só um erro, que estamos a pagar bem caro, pra caralho, com a fé e patrocínio do aspirina b, sua hierarquia religiosa secular e demais acólitos, crentes e simpatizantes babuínicos.

    Ps – aquela oh linda, apesar da conversa repeteca de sacristia, acende-me a “curiosidade” de dar umas voltas a derrapar nas “rotundas”

  16. fico muito contente, pagador convicto, que me vejas como aformeseadora de conversas.

    (mas agora deixa-te, vá lá, de cúpulas arredondadas. ou, então, continua a derrapar.) :-)

  17. Valupi,

    Sobre as trafulhices de Sócrates, o ministério público pronunciar-se-á em tempo útil.
    Sobre as mentiras de Sócrates, em tanto que governante (as que me preocupam verdadeiramente), basta lembrar o discurso da “retoma económica” ou as obras faraónicas, anunciadas como meio de combater a crise, para ter uma idéia da “visão estratégica” do homem. Ao contrário do que ele sempre tentou “vender”, a economia portuguesa já não crescia desde 1999/2000 e, mais cedo ou mais tarde, os credores deixariam de emprestar dinheiro. Foi o que acabou por acontecer, ainda que ele (apesar de avisado) nunca quisesse reconhecer. Não é verdade que a crise financeiro-económica portuguesa tenha sido originada pela crise internacional. Já cá estava e toda a gente sabia: dos “opinion makers”, aos prémios nobéis, do INE à OCDE, do Eurostat ao FMI. A crise tornou-se insustentável em 2009/2010 e, mesmo nessa altura, a intervenção externa (ainda que não desejável) teria custado menos sacrífícios. Sócrates, como de resto Teixeira dos Santos, venderam sempre outra realidade, impondo os famigerados PEC’s como paliativos para uma doença estrutural. Paralelamente (e este não é um pormenor de somenos) davam-se todas as vantagens à banca e aos homens de mão do regime, através das parcerias público-privadas e das nomeações no aparelho de estado, enquanto se criavam taxas compensatórias na saúde e se privatizavam os principais empresas do estado.
    Do ensino e dos ridículos programas “novas oportunidades” e “magalhães”, nem vale a pena falar. Podia ainda referir as conhecidas pressões sobre orgãos de comunicação social adversos, mas imagino que esses desvios farão parte do ADN “socialista”.
    É verdade que ninguém tem nada a ver com o facto de eu ter vivido na Holanda. Se o referi é porque passei lá metade da minha vida e posso comparar duas realidades distintas no mesmo espaço europeu. É o meu privilégio. Acresce que, ao contrário do que pensas, a Holanda (3º país no índice do PNUD em 2011!) não é mais socialista do que Portugal por ser rico, mas é mais rico por ser mais igualitário. Se não percebes esta pequena “nuance” continuarás sempre a pensar que o Sócrates era socialista. Mas, não era. E nisso, Carrilho tem razão.

  18. que maneira mais oportunista de arrumares o assunto o Valupi.
    As minhas palavras como as tuas não valem nada.
    O mesmo não acontece com o que fez o Sócrates às pessoas do meu país.
    Ficamos assim.

  19. O Val chega para essa canalhada toda que aqui vem dizer disparates lidos em jornais sem a mínima credibilidade e escritos por pseudo-jornalistas. Isto é gente que empranha pelos ouvidos, sem uma única verdade, apenas e só suposições, coisas que gostariam que tivessem acontecido.
    Quanto ao Carrilho quem disse a esse marmanjo que era socialista. Até me apetece dizer um porra! Se a

  20. A porra toda é essa, João, quando se pedem factos, tu respondes com o “disse que disse”. Depois de investigado o “diz-se que disse”, e Sócrates foi o mais escrutinado dos PMs portugueses, sobra mesmo a calúnia. Os caluniadores ficam impunes, numa justiça que actuou como os velhos e depravados inquisidores.
    Deves escrever uma linda merda nos teus livros, se forem todos fecundados no “diz-se diz-se”.

  21. rui mota, se o Ministério Público irá pronunciar-se em tempo útil, isso implica, adentro da lógica das tuas afirmações, que estamos sem esse pronunciamento, levando a que o mentiroso aqui sejas tu – e mentiroso em versão de caluniador, o que ainda é pior.

    Quanto à tua visão da crise, o meu conselho é que tentes ir a votos para ensinar aos indígenas como se governa esta terra.
    __

    joao, concordo muito contigo: as tuas palavras não valem nada.

  22. oh joão! conta lá à malta o que é que o socras fez às pessoas do teu país? não me digas que lhes foi ao 13º e 14º meses e que os quer pôr a trabalhar de borla.

  23. Síntese sobre a desconversa do costume sobre “o socras”: uma aleivosia, ainda que um milhão de vezes repetida, matraqueada e amplificada pelos megafones mediáticos, nunca se metamorfoseará em qualquer verdade. Apenas desqualifica quem se deixa manipular por ela.

    Tanto tempo na Holanda e tão pouco proveito (intelectual, quero dizer…).

    E está tudo dito sobre este tipo de “análises” políticas à la Mr. Carrilhô. Por muito que ande (e que lhe custe), já “não vai lá”.

  24. É verdadeiramente doentio o ódio ao primeiro ministro Verdadeiramente reformista deste país, que lutou pelo Pa´si contra as corporações.
    O que leva este carrilho, com letra pequena, a vomitar agora o seu ódio? estará a candidatar-se a um tacho laranja? Que moralidade social e política tem este personagem para criticar quem quer que seja? esqueceu-se que engravidou uma sua aluna?esqueceu-se das obras no seu gabinete de ministro?esqueceu-se da sua má educação quando não apertou a mão ao seu concorrente autárquico? Esqueceu-se da sua miserável campanha autárquica que o levou a uma humilhante derrota face a um concorrente de 3ª linha?esqueceu-se que recebeu um tachão ( UNESCO) do Socrates, sem que houvesse qualquer justificação para tal? esqueceu-se que um representante do estado português deve obedecer às ordens do seu Ministro dos negócios estrangeiros?
    A campanha contra Socrates é verdadeiramente demencial, e este carrilho é um verdadeiro simbolo desse estado psíquico. tratem-se, e depressa.

  25. O filósofo Manuel Maria, que escreveu uma tese sobre a «gelatina» na política, é um «pensador» ressabiado. Desde o Congresso no Parque das Nações, onde bulsou contra Guterres, passando pela estrondosa derrota nas eleições para a CML, e até ser dispensado da UNESCO — por querer alterar as linhas da «política externa» nacional — e agora ao «consta-se que Sócrates está em Paris a cursar Filosofia», o narcisista, vaidoso e gelatinoso filósofo, vem vomitando veneno, periódicamente, contra Sócrates… Porquê? Porque Carrilho não gostaria que o Sócras estude Filosofia, pois receia ser ultrapassado pelo Sócras em filosofias. O Carrilho só vai calar-se quando tiver a certeza de que Sócrates não lhe vai fazer concorrência. Haja alguem que diga ao filósofo Carrilho para estar sereno. O Sócras optou por estudar Relações Internacionais. O Manuel Maria pode continuar a aprofundar a sua tese sobre «o poder da gelatina».

  26. Rancoroso, vaidoso, mentiroso, crapuloso Manuel Maria Carrilho!

    Atascado em ódio cego, o fulano considera “benevolente” a reportagem de Daniel Ribeiro sobre Sócrates em Paris…!!! E afirma que Sócrates foi admitido “por favor” na universidade parisiense, citando como fonte o mesmo jornalista, que nem sequer o tinha afirmado, mas apenas badalado o boato. Para Carrilho, o filo-sofista, é quanto basta: se é boato, embora categoricamente desmentido pelo embaixador, está provado.

    Poderia ter criticado o ministro dos Negócios Estrangeiros Luís Amado pela instrução que lhe deu de apoiar o egípcio na Unesco – e que ele ostensivamente não cumpriu, logo foi substituído. Mas não: responsabilizou Sócrates por isso. Luís Amado já provou em 2010 que Carrilho é um mentiroso, ao ter pretendido que soube pela LUSA da sua substituição em 2010, quando realmente isso tinha sido agendado meses antes entre os dois. Não teve lata para mentir outra vez: não desmentiu Luís Amado.

    As doutas considerações de Carrilho sobre o “socialismo democrático, tanto quanto isso possa ter algum sentido” (!!!) são imbecilidades de um lunático. A “lúcida desmontagem das ilusões das novas tecnologias” (outro que tem o Magalhães atravessado), a “inequívoca reivindicação de autonomia face à voragem mercantilista da comunicação” (???), etc. e tal, isso é que é “socialismo democrático”.

    A tentativa de Carrilho de descredibilizar Sócrates pelas suas boas relações com Sarkozy revela indigência mental e baixeza moral, lembrando argumentos de regateiras, putas e chulos. Este feto Carrilho acha que a “admiração” envolve necessariamente identificação política e ideológica. Ele não consegue entender que haja alguém em Portugal que admire Soares ou Sá Carneiro ou Cunhal sem nunca ter votado neles.

    Mas já gastei tempo demasiado com um reles peralvilho…

  27. Júlio: Apareça por aqui mais vezes. O seu comentário é fulminante, assertivo, demolidor. Não deixe de lutar contra os sonsos e gelatinosos. É preciso pôr travão às arrastadeiras anti-socráticas. O Júlio tem fôlego para esse combate. Obg.

  28. Excelente artigo. Carrilho é um raro socialista inteligente. Duvido que pertença aos 93 por cento que elegeram Sócrates e lhe fizeram um congresso norte-coreano. Curioso é como Soares sempre apoiou Sócrates, fizesse ele o que fizesse. Sempre dignos um do outro. Curioso é o apoio que Galambas, Zorrinhos e outros espécimes que estão na AR dão à justificação tardia do injustificável socratismo, pensando que é possível passar uma esponja sobre a porcaria que fizeram. Nem pensem.

  29. Não esqueces, não. Porque deves pertencer aos stenta e tais por cento que escolheram um Burro pigmeu para o lugar do Gigante.

    Carrilho será sempre um valor Seguro para a pseudo-intelectualidade impotente. Isso já todos percebemos e também nunca esqueceremos. Pode continuar a dedicar-se à pesca, enquanto pensa que está a escrever artigos sobre Política. Confrangedor. Mete dó…

  30. …este fulaninho carrilho dito de ‘socialista’…deve ser …só pode…porque causa da cor rosa….é o produto merdiático mais repleto que se conhece…a criatura é toda ela um show off para pacóvio desfolhar…nasceu/estudou/namorou/casou…comenta/escreve/é mal educado/finge que vive…espetado num qualquer ecrã perto de si…o tipo é um reality show com duas pernas…uma auto devassa…fala de Sócrates para obter comentários… 90% para o classificarem como idiota…que se lixe…para este cromo o pior castigo seria não aparecer….hélas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.