Nos extremos é tudo mais simples

Um dos aspectos mais interessantes dos debates entre McCain e Obama está na interpretação do acontecimento feita pelos profissionais da opinião. No caso da CNN, onde os tenho visto, constata-se que os comentadores do lado Republicano são os mais pobres na argumentação, o que pode resultar tanto da fraqueza do candidato como da cultura política dos Republicanos. De facto, a caricatura usual de um Democrata, no imaginário americano, é o de um intelectual, enquanto um Republicano aparece como um jogador de futebol norte-americano ou militar. Tendo em conta que, para um europeu, até os Democratas serão de direita, ou centro-direita, isso colocará os Republicanos na extrema-direita. Os extremos são sempre mais redutores, pois seguem uma lógica de exclusão, enquanto o centro é inclusivo, seguindo uma lógica de negociação.

Já como epifenómeno, temos o caso do Ricardo Lourenço, jornalista do Expresso, o qual assinou um incrível disparate, e agora regressa com mais um arroubo. Escreve:

Deu para vencer o debate por curta margem. McCain apostou na forma mas também na substância. Explicou como governará com menos Estado e, claro está, menos impostos e aprimorou a proposta (adiantada no segundo debate, há uma semana) de renegociar os créditos à habitação de milhões de famílias necessitadas. Tudo em forma compactada, numa primeira meia hora de arraso.

Factos: é opinião unânime em toda a imprensa, nacional e internacional, que Obama ganhou, e os dados das sondagens revelam que ele teve neste os melhores índices de sempre dos 3 debates. Mas para o Ricardo Lourenço, não. Porque ele arrasa, até as evidências.

13 thoughts on “Nos extremos é tudo mais simples”

  1. gostei do masculino: um lógica de negociação :)

    olha há uns anos escrevi sobre esta crise que se anunciava e acabámos dizendo então que o problema é o regresso aos valores humanos, contra a lógica de embuste que vigorou, tutelada por banqueiros e batalhões de economistas, físicos, juristas e matemáticos que venderam caro bolhas coloridas de sabão,

    regressar aos valores da frontalidade, honestidade, lealdade, combatividade, etc., acrescento agora e mais haverá; estes exemplos ajudam alguma coisa talvez?

    http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=113435

  2. O Lourenço deve ter ouvido a opinião televisiva do Nuno Rogeiro e foi atrás, coitado…
    Ainda um destes dias aconteceu à SIC Notícias ir atrás de um jornal qualquer e apontar o dedo ao Colégio S João de Brito na cena das rendas de 50 cents.
    Deve ser mal que anda na fruta.

  3. olá xatoo! Não é bem falso contraditório, eu e o Valupi não nos conhecemos que eu saiba, é conversa, e sobre as taxas de juro do BCE já nos engalfinhámos: delirava eu lucidamente e esta parte final foi obliterada. Ainda bem que apareceste tinha saudades de ir lá ao teu poiso, e já fui, ver números e raciocínios. O problema é que eu tento retêr o máximo e duvidar de todos não porque eu queira mas porque assim me obrigaram. Seja como fôr desde a sombra do abismo que eu me atirei ao mais alto nível a morder canelas, se te lembras…

    por cada dólar fiável que os bancos detinham dizes lá emprestaram trinta

    deve ser aquela coisa de que trinta é o limiar das amostras grandes em estatística para as barrigas dos banqueiros

    Mas aqui dou-te uma vitória: se houver aqui uma coisa a correr-me bem nestes tempos vou espatifar-me no meio de salsa às mordidinhas a habanos num tarda, hombre, e que bom que seria

  4. Segundo o Valupi, o Obama já ganhou, porque a imprensa “nacional e internacional” acha isso.
    Eu diria mesmo que, sendo os europeus quem vota, o Obama já ganhou (antes mesmo de ser candidato…).
    Em relação ao último debate, qualquer pessoa com um mínimo de senso só pode ter concluído que o vencedor foi McCain.
    Mas o Valupi não pertence a esse mundo, paciência.

  5. Z, obrigado pelo serviço de corrector.

    Concordo muito contigo, o embuste tem feito regra. O que vale é que o ser humano não tem limites, veremos o que se segue.
    __

    Bem visto, shark. Vai na volta, é só isso.
    __

    xatoo, o meu primo já troca o b pelo v, mas vou propor ao resto da malta a tua justíssima sugestão.
    __

    Ora porra, larga o vinho.

  6. oh, foste mudar! Não era corrector, eu achei mesmo bem um negociação, é isso que precisamos para o futuro, uma negociação está gasto olha no que isto deu,

    além disso é mais divertido

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.