Némesis

Amanhã, Dias Loureiro irá ao Parlamento voltar a ofender Portugal na sede da democracia. Esta figura não é apenas um amigo de Cavaco Silva que goza da protecção do Presidente da República, é igualmente um Conselheiro de Estado e eminência parda do PSD ao longo dos anos 90 e seguintes. Representa a elite social-democrata e enriqueceu por ter sido ministro de Cavaco, mas não com o salário que recebeu do Estado. A área que tutelou, Administração Interna, é de especial importância e melindre — pelo que, na eventualidade de ter usado conhecimentos e relações obtidos nessas funções para proveito empresarial, ilícito ou lícito, a gravidade do caso atinge também moral e politicamente o PSD e Cavaco Silva. Sem piedade.

Entretanto, este homem continua a saber mais de Dias Loureiro do que os seus amigos mais próximos e com maiores responsabilidades perante o País.

19 thoughts on “Némesis”

  1. Nemesis? kouros->hybris->nemesis?

    como bem disseste noutro post, na pele de Marta repousa a fidúcia do sistema, e ao que me contavam, a hybris dos fogos florestais e dos negócios dos meios aéreos,

    biometrics, o nome não deve ser despiciendo.

  2. pois eu também acho, mas então Louçã como é possível que o Bloco se exclua à partida de qualquer plataforma governativa com o PS? Não faz sentido empurrar os outros para a ‘pior solução’ por desmarcação, ou seja: a responsabilidade política é evidente.

  3. Escrevo com a mão tapando o nariz. Este caso fede e o mais grave e triste é que o odor fica-se pela Calçada da Ajuda. Por outras palavras, não chega a Belém. Ou então há por lá alguém com problemas nas mucosas que forram as cavidades nasais. Sai um frasco de “Madeiras do Oriente” que era uma “eau de cologne” muito usada nos prostíbulos do “ancien régime”. Ora digam lá se não tem tudo a ver?

  4. Este caso deve ter esterco suficiente para pôr em causa a democracia. Não é de ânimo leve que se enterram dois mil milhões de euros numa fossa. Não é por nada, mas dava para pagar o troço de alta velocidade Lisboa – Caia.

    Obviamente, não tenho nenhumas expectativas relativamente à ida desta personagem à comissão parlamentar, mas ainda espero conseguir perceber um dia como é que é possível o Presidente da República acreditar piamente na palavra de alguém que assume publicamente não ter memória dos factos. Coisas.

  5. Rápido, rápido, fale-se do Fripór ou da licenciatura de Sócrates, ou isto acaba por prejudicar o Paulo Rangel e a Manela Leite!

  6. Isto só vai lá, rapazes e raparigas, com o Louçã nas Finanças, a Ana Drago na Educação e o Fazenda na Administração Interna.

    Já viram que o partido do seminarista abicha 12% na sondagem da Católica?

  7. Ainda falam na crise que está para vir?

    E a perspectiva de 12% de votos no BE?

    Os portugas estão a pirar!

  8. Ó Nik, tenha calma, a Ferreira Leite tem isto tudo controlado. Qual crise, qual carapuça. Já viu o orçamento dela para a campanha das europeias? Deixa os outros todos a milhas. São só 2,2 milhões! Não admira o nervosismo do Louçã…

  9. Trata-se do caso mais relevante de criminalidade organizada em Portugal e que traduz a incapacidade da investigação criminal em abordar estes casos. É preciso dizer que somos, nesta matéria, um Estado sem defesas, incapaz de prevenir, de investigar, de acusar e de julgar. Nota-se que a própria comunicação social não o aborda, preferindo o Charles Smith ou o Gonçalo Amaral. Nem a comunicação social nem o Pacheco Pereira.

  10. Naturalmente o verbo triunfar pode ser conjugado de muitas e variadas formas. Num país onde abunda o chico espertismo é difícil esperar surpresas.

    No caso concreto consta que a estratégia do triunfo e da fortuna foi conjugada assim:

    eu concebo, concretizo e controlo
    tu fazes contactos
    ele diz que disse
    nós assinamos de cruz
    vós adiantais capital
    Eles… pagam a factura

    Como ainda nem tudo é um paraíso (fiscal), a crise internacional veio transformar a forma verbal de pretérito mais-que-perfeito para presente quase-perfeito.

    Resta esperar que a justiça lhes conjugue um futuro imperfeito.

  11. Caro Valupi, mesmo sem tempo, lá vai. Parabéns, um tema com sumo, mas vamos ver se sabe dar corda ao concreto. Este cavalheiro, se for preso, sabe que leva o Estado atrás de si. Eu estou convencido disso. Este homem tem ao seu serviço dois fantasmas, um no topo do Estado, outro no topo do PSD. Os outros ao seu serviço estão bem vivos da costa. Ofereço o primeiro para a lista J.C. da Mota e qualquer coisa.O homem do B.P. deve estar com pouca saúde, ou quer ficar sem nenhuma?
    Vá por ai e que não lhe falte…dinheiro para os gastos.

  12. Valupi: contaram-me hoje, sem nomes, que o buraco do PBN é o buraco bo Bloco Central e não só do cavaquismo, é o Buraco Português Nacionalizado e PSD e PS estão ambos feitos ao barulho numa escala impensável, daí a nacionalização. E daí também estes apelos consecutivos a um governo do bloco central por parte de gente do PS, Cravinho inclusivé. E Sampaio?

  13. Carlos Santos, a Índia, de facto, é uma democracia improvável. Só que a terra das castas é também uma sociedade onde a tradição continua a segurar o tecido social, e de uma foram que não a imobiliza, antes a protege. E isso favorece a democracia, sem dúvida.

    Ainda outro factor: a potentíssima intelectualidade indiana, fruto de um sistema religioso que é só o mais complexo da Humanidade.
    __

    Ana Paula, aqui vai mais uma vénia.
    __

    z, Némesis é uma divindade bem porreira. Temos de a chamar amiúde para este nosso cantinho.
    __

    jafonso, Belém tem as janelas bem fechadas, não entram odores da ruela.
    __

    Mighenri, e que tal a experiência de tuitar? Recomendas?
    __

    Ibn, não é só o que temos, há muitos outros portugueses. Quanto à protecção do PS, onde está ela?
    __

    tra.quinas, sem dúvida: o caso BPN, pela sua tipologia e envolvimento de tanto peixe graúdo, tem de chegar aos alicerces do regime.
    __

    Nik, por acaso, teria graça ver o Fazenda na Administração Interna e a Ana Drago na Educação. Sim, senhor, seria um fartote.
    __

    Fernando P, exactamente.
    __

    ramalho santos, o homem do B.P. tem mostrado estar do lado da verdade. Até agora, tem sido um exemplo.
    __

    z, estás a dizer que o Cravinho, só a figura mais importante do combate à corrupção, está feito com o Bloco Central para abafar o caso BPN?… Então, por essa lógica, quer dizer que a Ferreira Leite, Filipe Menezes e João Jardim, que declararam a sua oposição ao Bloco Central, estão do lado dos que querem tudo investigado e punido no BPN?…

    As teorias da conspiração não são boas conselheiras.

  14. pois Valupi, não sei. Não digas que não é suspeito o Cravinho ter saído a terreno dizer que o do BPP é ‘homem de bem’ logo a abrir, quando depois o da CMVM veio fazer o semi-paralelo com o mad&off. Isto quando há bué carcanhol metido ao barulho podem-se trocar as voltas.

    Sabes que há coisas terríveis na política, a política vive do verosímil e não da verdade. Até há quem faça por fazer parecer uma coisa quando procura o contrário. Como? Inserindo-lhe um vício inconstitucional que despoleta a negação.

    Uma coisa ainda tenho a certeza: tu desejas o melhor para Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.