Não é um Governo, é um traseiro

Governo recua nos cortes ao subsídio de desemprego
.
Governo recua e só despede 10 mil contratados a prazo
.
Governo recua no IMI
.
Governo recua no corte salarial aos gestores de entidades reguladoras
.
Governo recua e mantém taxa sobre gorjetas em 10%
.
Governo recua na compra da Caixa Seguros e Saúde à CGD
.
Governo recua nos exames do 12.º ano
.
Governo recua no regime de mobilidade da Função Pública
.
Governo recua no despedimento por inadaptação
.
Governo recua na lei do tabaco
.
Governo recua na excepção aos cortes aplicados na CP
.
Governo recua e admite entrega da casa ao banco para saldar dívida
.
Governo recua e abre corrida às reformas na função pública até ao final do ano
.
Governo recua na TSU
.
Governo recua e mantém RTP2
.
Governo recua e garante que não vai alterar tabelas salariais
.
Governo recua na Lei dos Compromissos para o Superior
.
Governo recua na eliminação das “férias frias”
.
Governo recua nos 30 minutos extra de trabalho diário
.
Governo recua na mudança de vínculo dos docentes
.
Governo recua e volta a conferir estatuto especial ao Turismo de Portugal
.
Governo recua nas restrições a empresas municipais
.
Governo recua no IVA sobre a cultura
.

Governo recua na venda de centro de secagem de Alcácer do Sal
.
Governo recua na extinção da Parpública
.
Governo recua no RSI e volta à fórmula de Sócrates

24 thoughts on “Não é um Governo, é um traseiro”

  1. mesmo bem escolhida a tua palavra. ora ouve: dizem, verdade relativa, que o traseiro pode levar ao céu. já irrefutável é a verdade absoluta que vai sempre dar à merda. :-)

  2. googlarmos “governo avança” e “governo recua”, páginas portugal, todos os sites, para os últimos 18 meses de sócrates obtemos 20.500 recuos e 53.100 avanços contra 77.200 recuos e 104.000 avanços do coelho em igual periodo´de tempo. com socrates de saída governava-se à velocidade de 2,59 e coentrada de coelho desceu para 1,35.

  3. Cara Edie,

    Consideras que o governo tinha a obrigação de conseguir que o Tribunal europeu rejeitasse o recurso, ou achas que o governo actual deve ser responsabilizado pela legislação existente em 2009 ? Nesse ultimo caso, não deveria também ser responsabilizado pelo ultimato e por Alcacer Quibir ?

    A sério : estes posts são contraproducentes (este, o link para o artigo do João Pinto e Castro de ontem, etc.). Apenas me convencem de que, da proxima vez que fôr necessario ir a eleições, o voto no PS ira objectivamente reforçar as hipoteses de que fique tudo na mesma…

    Assim não vamos la !

    Boas

  4. O governo é uma especie de individuo que vai na estrada e só vê placas de localidade sempre com o mesmo nome” Recua.obviamente que ao fim de pouco tempo fica perdido,e o povo tambem.isto não saõ recuos,é uma estrategia montada com alguem com poucos, ou nenhuns escrúpulos . primeiro tiram 100 e no dia seguinte vão para o valor pretendido. e o povo fica mais aliviado! ontem o “gasparinho” num rasgo de” humildade” diz que se enganou nos efeitos da austeridade.pura mentira, pois com” ela” continua. pergunto com tanto curricula, não sabe que se eu for para o desemprego não consumo? um ministro das finanças tambem não sabe se uma empresa falir, deixa de pagar impostos tal como os seus trabalhadores? Esta politica interessa ao governo para conseguir resultados positivos na balança de transaçoes correntes e para banir as empresas que não exportam. e que encomodam as outras no mercado interno. por ultimo,ouvi um resumo da entrevista de jorge sampaio,gostei do que ouvi.a seguir veio a “nossa fatima” entrevistar o macedo e o outro direitolas pina moura. para iniciar” rapa” logo de uma frase tirada do contexto e apresenta-a ao dois ilustres paineleiros que começaram logo por a designar por” rocambolesca” mas sem direito a contraditorio.enfim o tal da ponte (não é o sousa …) o da rtp está a fazer o trabalho de casa.Socrates,não precisa que ninguem o defenda,o tempo faz esse serviço todos os dias!mas cobrando juros muito altos ao desgraçado povo.

  5. ehehehe, post divinal (mesmo que deixe o viegas furibundo). posso juntar o recuo na existência de tarefas bi-horárias na electicidade mas creio que ainda haverá algumas mais a acrescentar. este desgoverno é uma desgraça completa e foi uma desgraça que aconteceu ao país. por culpa da comunicação social desprezível que temos e que puxa o país para baixo.

  6. Este post é dos mais inpiradores para umas anedotas de bom humor se não fosse um retrato tão fiel de nós mesmos na totalidade.

    Quem será que nos levará a avançar sem “arrecuas”?

    Gaspar já não será, terá que passar o testemunho a outro.

  7. Renato, excepto que foi visto na TV, em intervenção paralamentar o anúncio das medidas pelos próprios, não pela Gazeta. E como fica agora a sequência de acontecimentos lá na parreira?

  8. uma das partes mais deliciosamente corporativo-mafiosa da notícia que o Utópico linkou é aquela em em que a ministra pede aos magistrados para não comentarem o recuo na comunicação social. Eu compreendo: é aborrecido andar a tentar cortar nos complementos dos idosos, no RSI, nos subsídios de desemprego e óspois ter que fazer o discurso de que o sacrifício é para todos, e tal, com estas notícias inconvenientes a aparecerem nos jornais…

  9. não desfazendo na excelente compilação do Valupi, está aqui tudo desmontado tintim por tintim, e o Alfredo Barroso acaba de citar, na porqueira do crespo, 3 dos 14 factos contra os quais não há argumentos demagógicos que cheguem para se aguentar a teoria de que a situação foi criada pelo governo anterior. O Telmo Correia ficou tão à rasca para rebater que…não rebateu.
    Eis:
    http://www.corporacoes.blogspot.pt/2012/10/tudo-o-que-sempre-quis-saber-sobre-as.html

  10. (como repararam, uma boa parte das pistas levam ao Cavaco, que neste momento não mete baixa porque o subsídio de doença está uma miséria, com o novo orçamento).
    Outra farsa:estamos sem PR. O homem está demente, no sentido literal. Diagnóstico conhecido de alguns, mas pegar na bomba atómica, dados os machados que pesam sobre a comunicação social, torna-se complicado, neste momento em que cada um tem de cuidar da sua vidinha (é mesmo assim). Guida, a tua interrogação no post atrás é legítima, mas há perguntas qe neste momento não podem ter resposta, por causa das crises políticas. Como se elas não estivessem já instaladas.

  11. PENSO QUE NÃO EXISTEM ARRECUAS NENHUMAS DESTE DESGOVERNO, O QUE EXISTE SÃO OBJECTIVOS CLAROS QUE ESTÃO BEM Á VISTA DESARMADA, SE NÃO OS CORRERMOS COM URGÊNCIA ESTAMOS MUITO MAL TRAMADOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.