Mas conversar do quê, Jerónimo?

“Como entender esta posição política do PS que tem lá a assinatura, em como está de acordo, e depois vem para Serpa ou para outros lados dizer que esta política da troika, do Governo, não serve. Retire a sua assinatura e então podemos conversar. Enquanto não o fizer, responsabilizamos o PS por esta política que realiza contra o nosso povo”, desafiou Jerónimo de Sousa, num almoço com cerca de 800 apoiantes, em Serpa.

Jerónimo de Sousa responsabiliza PS e chama atenção para desemprego

__

O PCP conversaria com o PS caso este decidisse apoiar a saída de Portugal da União Europeia. Como o PS insiste em apoiar a presença de Portugal na União Europeia, o PCP não conversa com o PS. Isto é à prova de estúpidos. E está bem. É uma ideia, uma posição. Porque não? É tão legítima como outra qualquer. Recapitulemos: caso o PS queira que o PCP aceite conversar consigo, é favor anunciar que isto da União Europeia já não presta, vamos tentar viver de outra maneira. Ok.

O que me encanta é o exercício de imaginar o que seria essa conversa. Como o PCP não admite ceder nem um milímetro nas suas ambições políticas, tal situação levaria um grupo de arrependidos ao encontro de um grupo de juízes. A malta do PS entraria na sala curvada, de cabeça baixa e a choramingar, batendo no peito enquanto gritava “Perdão, camaradas!”, “Não voltaremos a cair nos braços da direita!”, “Viva o povo e o seu único defensor, o PCP!”. À sua frente estaria Jerónimo com um sorriso misto de desprezo e paternalismo, enfastiado por ter de gastar uns minutos a explicar aos socialistas o que deveriam fazer em ordem a dissolverem o PS e entregarem todos os bens ao PCP, o único partido que se justifica existir dado que a verdade não é plural – muito menos à esquerda, como Marx ensinou, Lenine aplicou e Estaline consumou.

Em nome de 7,8% do eleitorado, o PCP foi cúmplice do PSD e do CDS contra um Governo socialista numa situação em que estava em causa o interesse nacional num momento crítico da nossa existência comunitária. Para os comunistas, ajudarem esta direita de trastes a terem carta branca para empobrecerem Portugal literalmente à doida equivale a estarem a defender o povo e os trabalhadores. Tamanho vanguardismo democrático faz-me ter esperança de que um dia esse mesmo povo e esses mesmos trabalhadores tão exemplarmente defendidos pelo PCP se lembrem de ir conversar com o Jerónimo. É que o Jerónimo não tem lá a sua assinatura no papelucho, mas a História regista que sem a sua assinatura laranja no Parlamento tal papelucho talvez nunca tivesse aparecido. Creio que o materialismo dialéctico também abarca fenómenos desta tipologia.

48 thoughts on “Mas conversar do quê, Jerónimo?”

  1. este problema da troika,veio interromper quase 4o anos de dialogo e cooperaçao com os comunistas! que os pariu,mais as suas patranhas para militante ver.obrigado val, por mais uma vez estares ao serviço da deçencia e da democracia!

  2. Eu ouvi aquela alarvidade do comunista. Só não compreendo que ninguém do lado do PCP apareça a denunciar o conluio do PCP com a direita no chumbo do PEC IV, direita que o PCP e BE levaram ao colo para agovernação e agora está a arrasar Abril. Não há comunista que se cruze comigo que eu não lhe atire à cara a traição comunista ao 25 de Abril. Pensam que algum mostra o mínimo arrependimento? Fariam tudo na mesma! Infelizmente, a maioria dos votantes CDS e PSD também vão seguir os seus partidos. O massacre desinformativo em curso e a nulidade que é Seguro compõem o ramalhete.

  3. Mais uma vez repito; – para o camarada Jerónimo e o comité central do PCP, o muro
    de Berlim ainda está de pedra e cal! Falam como se estivessem no pós 25 Abril na
    gloriosa década de 70 do século passado! Para eles Portugal não está na U.E. nem
    sequer pediu empréstimos … tudo se resolverá declarando que não pagamos!
    Basta seguir os figurinos algo diferênciados de Cuba ou da Coreia do Norte, haverá
    trabalho para todos e um salário mensal igual de 100 (cem) euros ou o equivalente,
    acaba-se com o parasitismo da partidocracia, corrupção e o nepotismo!
    Será suficiente, uma forte vanguarda da classe operária com os seus iluminados lideres
    enquadrados pelo PCP para nos levar aos cumes da alegria e felicidade!!!

  4. Pois é, a pergunta surge inevitável – foi para isto que chumbaram o PEC IV? Mas essa ninguém lha faz. Até eu percebi logo que o chumbo do PEC IV ia fazer entrar este rebotalho que governa o País, este lixo humano que está num pedestal. E quem o colocou lá?

  5. Concordo que o Jerónimo e o seu partido podem, muitas vezes, ser anedóticos. Como nesta declaração. Não vejo o que é que o PCP e o partido do Val e amigos tivesse para conversar.
    O partido do Val da Olinda e quejandos é um partido responsável, um partido de poder que muito bem governa, só ou acompanhado pelos seus parceiros com idêntica visão da política.
    O mal deste país (mundo) são os comunistas do PCP. não há volta a dar. Se os malandrões não tivessem votado contra os pacs hoje viveriamos lindamente porque o partido que estava no governo não cometeria nenhuma das maldades que os aliados do PCP, agora no governo, estão a cometer.
    Como sabemos o mal não está no acordo assinado com a troika. Aliás ainda não percebi porque é que o Sr. Seguro perde tempo a tentar convencer-nos que com ele tudo seria diferente.
    Os Valupis deste mundo acham mesmo que o problema sãos os 7% de PC´s ? sim ? incrivel !!!

  6. A intrujice dos comunistas não tem limites e a coligação negativa não é passível de revisionismo histórico.
    Conversem com o Louçã e ‘sus tupamaros’. Entretanto vão afiando as foices para regressar à rua quando o PS voltar a governar.

  7. Oliveira Carvalho, esses “míseros” 7% ( o Cavaco também se dizia mísero professor) foram suficientes para colocar este bando de canalhas no poder. E o chefe dos 7% sabia muito bem a quem estava a entregar o poder absoluto, com Cavaco a comandar as tropas. Queres atirar-nos poeira para os olhos como faz o Jerónimo aos míseros 7%? Por que não reconheces que o PCP luta pura simplesmente para “aguentar” o seu grupo parlamentar? Em 2011, minta-se e invente-se o que se inventar, o PS ficou sozinho a defender Abril. Perdeu, perante vocês todos coligados: PSD, PCP, BE, CDS. E agora aí está o resultado da vossa vitória retumbante coligada. Jerónimo obrigou a mão do PS a assinar a rendição, depois da derrota. Acorda, Oliveira Carvalho! Em alternativa (vou ser mal educada) vai para o caralho.

  8. “Em nome de 7,8% do eleitorado, o PCP foi cúmplice do PSD e do CDS contra um Governo socialista numa situação em que estava em causa o interesse nacional num momento crítico da nossa existência comunitária.”

    Precisamente. É a esquerda grande do Louçã.

  9. Começas logo com uma treta que é uma completa mentira. A de que o PCP tem a saída da europa como condição prévia para conversar com o PS.

    PCP e BE têm condições de discussão e nenhuma passa pelas que o PS e comentadores como tu atiram para cima da mesa.

    Código do Trabalho, o memorando, IRC, privatizações da água e CTT, PPP são assuntos que dividem. Integração europeia, saída do euro ou da nato nunca estarão em cima da mesa. Sugerir que alguma vez o PS negociou com PCP e BE é uma completa patranha.

    Quanto ao resto do texto é a cassete para consumo interno para dar a impressão que a esquerda tem de ser tutora das ideias e acções do PS. Se queriam passar o PEC IV tivessem negociado com quem lhes tinha aprovado orlçamentos e PEC anteriores.

    E Maria Abril (deve ser só até ao 24) e JCfrancisco escusam de vir com essa aldrabice de que ninguém pergunta a Jerónimo pq chumbaram o PEC IV. Jornalistas que engolem com isco, anzol e cana essa propaganda PS estão fartos de lha fazer e ele farto de lhe responder. O que não faltam são comentários jornalísticos nesse mesmo sentido.

    Os do sol na terra e chuva no nabal socrático só ouvem o que lhes apetece.

  10. nm, o pcp não precisa dizer que não quer a europa,basta ver as medidas europeias que não aprova em portugal,e o que anda a dizer aos seus militantes do seu partido.do seu velhinho programa de um seculo,só retiraram a ditadura do proletariado.digam aqui no aspirina que tipo de programa tem o pcp para portugal.vá ao canal memoria do vosso partido e retirem de lá medidas as governativas que apresentou aos portugues, durante estes anos todos de democracia!as do lado da despesa e do lado da receita! o pcp é unica empresa do mundo que sobrevive sem conseguir vender o seu produto!

  11. “PCP e BE têm condições de discussão e nenhuma passa pelas que o PS e comentadores como tu atiram para cima da mesa.

    Código do Trabalho, o memorando, IRC, privatizações da água e CTT, PPP são assuntos que dividem. Integração europeia, saída do euro ou da nato nunca estarão em cima da mesa. Sugerir que alguma vez o PS negociou com PCP e BE é uma completa patranha.”

    Sugerir que o PS poderá alguma vez negociar com o PCP, isso sim, é que é a verdadeira patranha.

    A simples ideia de que o PS/PSD/CDS são a mesma coisa, pela boca do Jerónimo, inviabiliza à partida qualquer acordo, pois, segundo esta lógica, um acordo com a “direita” seria uma traição aos trabalhadores e à pátria. E se há coisa que os comunas detestam é traidores.

  12. nm, estás a dizer que a recusa dos empréstimos sob tutela da troika não corresponde à saída da União Europeia? Nesse caso, faz o grande favor de explicar o que aconteceria nessa situação em que Portugal declarava que não pretendia receber esse dinheiro e passaria a financiar-se de outra forma.

    Explica lá, tu que não aldrabas ninguém.

  13. Tadinhos, não gostam que o PCP e o BE lhes digam o que acham das suas acções que se zangam e já não dialogma com eles.

    Só os PSD e os CDS é que lhes podem chamar tudo e mais alguma coisa – de mentiroso, a gatunos, de querer julgá-los, de os mandar prender – que estão sempre dispostos a dialogar com eles e a deixar passar códigos do trabalho e o mais que vier.

    Há insultos que magoam mais os meninos que outros. Os meninos que não falam nem aprovam cenas com os que lhes apontam a demagogia e falta de consistência social, mas sentam-se logo à mesa doas negociações que lhes chamam bandidos e mentirosos.

    Explica-me lá antes, Valupi, como se eu fosse sectário como tu onde é que os tratados forçam à expulsão dos países por não pagamento de uma dívida que gera um crise social nos países do Sul. Uma dívida que deixa sem emprego 27,8% da população grega, 16,5% de portugueses, 26,3% de espanhóis e 17,3% de cipriotas.

    Engoliste a sofisticação do discurso de um Gaspar ou de um Schauble e com esses teus incentivos ao amochamento ainda achas que se pode levar a sério aquilo que dizes ser a tua vontade de mudança?

  14. quando queremos dialogar com a direita,é certamente para tentar mehorar a vida dos portugueses. por muito que custe ouvir,a utilidade do pcp e bloco em termos de politica de esquerda é zero.até agora essa politica só tem servido de muleta à direita e por isso a colocaram mais do que uma vez no poder. a direita tambem nos trata mal, porque será?está no poder, graças aos suspeitos do costume!

  15. nota: a extrema esquerda é tão bem tratada pela direita,ao ponto de ser ignorada.estes respondem a esse desprezo,não com ataques identicos aos que fazem ao ps,mas estendendo-lhes a passadeira vermelha a caminho do poder!que os pariu!

  16. achas que mereces resposta. nuno cm? insultas e não dizes nada de útil, nem de verdadeiro.

    vocês dialogam sempre com a direita, chame-vos esta o que chamar, de gatunos a incompetentes, para piorar os códigos do trabalho e mais tudo isso a que chamas melhorar a vida dos portugueses.

    Com a esquerda está quieto, ficam muito melindrados quando esta, sem vos querer prender, apenas vos diz que as vossas acções só pioram a vida dos portugueses.

    valha-nos que não são todos sectários e básicos como os que passam no aspirina b e há gente audível como, por exemplo, pedro nuno santos que, vejam lá, até acha que não é com o memorando que se vai a algum sítio.

  17. nm, estás a dizer que Portugal pode deixar de pagar aos seus credores europeus e continuar a usufruir dos direitos de pertença à União Europeia? Se sim, temos de ir já avisar os gregos e os irlandeses antes que percam mais dinheiro.

    Entretanto, larga o vinho.

  18. nm,o texto que escrevi não tinha endereço personalizado.quem temos para dialogar? o pcp e o bloco que atiraram o povo para as maos do troika? não vos foi dada uma possibilidade de serem uteis ao pais,no inicio do segundo governo socrates ? quizeram assumir responsabilidades ? seguro não iniciou o mandato com reunioes com todos os partidos? quais os resultados? o pcp quer partilhar o poder? para quê? para impor a sua politica de 8% de votantes a um partido que ultrapassa os quarenta quando as ganha! o pcp no poder que papel atribuia à cgtp? o de defesa dos trabalhadores? quanto tempo durava? nm,não sejas lirico,o pcp quiz tomar o poder de assalto e agora só lhe resta,defender as suas tropas sem armas! o que me tens a dizer à fuga do partido dos comunistas quando vão para a reforma das empresas? porque será? o camarada carlos carvalhas(lider durante 20 anos) se não saiu,anda lá perto,pois criticou o pcp pelo chumbo do pec 4! termino dizendo-te,sou um amante da liberdade,que não milita em nenhum partido,mas que fez muito pelo trabalhadores no campo laboral e cooperativo.no campo laboral tambem vi os teus camaradas,venderem-se ao patronato.no campo cooperativo agricola e de habitaçao nada fizeram a não ser merda! que pariu todos aqueles que se instalaram em portugal para defender o social fascismo. não falo do bloco,porque doi-me muito a sua doença prolongada!

  19. jeronimo de sousa tem muito para dizer aos militantes nos seus comicios,mas nada para dizer aos portugueses no parlamento,onde as suas intervençoes são simplesmente de corar de vergonha!

  20. “Com a esquerda está quieto, ficam muito melindrados quando esta, sem vos querer prender, apenas vos diz que as vossas acções só pioram a vida dos portugueses.”

    Que medidas é que a “esquerda” apoiou nos últimos 30 anos que melhoraram a vida dos portugueses? O que o PCP não consegue explicar, é quem elevou o nível de vida do país que os socialistas tanto gostam de destruir. Certamente não foi o PSD, tampouco os governos do PS e do socialismo na gaveta, pelo que se conclui que tudo o que há de bom neste país foi obra do companheiro Vasco.

  21. Val, já te disse, explica-me lá em que ponto dos tratados o não pagamento de dívidas implica a expulsão do país. será no mesmo que expulsaria os alemães por furarem o défice como já furaram?

    O resto, nuno cm e auqporina, nem vale a pena responder.

    nuno cm discute pessoas em vez de discutir ideias. No cónego bombista criticou isabel do carmo e otelo para defender o fdp homenageado pelo ps de braga. ou seja, a ideia de pôr bombas e matar pessoas é boa se servir o clube dele e má se os das bombas se opuserem ao clube dele. ora, eu não discuto pessoas e os fdp de que os outros gostam, só discuto ideias.

    Aquaporina tem vivido num país onde não acompanha debates, nem propostas e votações. Só discuto com gente cujo discurso possa ter um mínimo de adesão à realidade e que saiba o que diz.

  22. “Aquaporina tem vivido num país onde não acompanha debates, nem propostas e votações. Só discuto com gente cujo discurso possa ter um mínimo de adesão à realidade e que saiba o que diz.”

    Eu pedi que me indicasses uma medida votada pelo PCP que melhorou a vida das pessoas. Sendo tu tão versado em debates, medidas e votações, exemplos não faltarão.

  23. nm, o ponto dos tratados em causa é aquele onde estão as assinaturas respectivas. Mas se tu achas que ultrapassar o défice é o mesmo que não pagar dívidas, e, pelo caminho, achas que os países devedores poderão passar a viver sem dinheiro, então tenho um conselho para ti: larga a vinhaça, e já.

  24. Olha lá, Val, e consegues dizer-me em que troço das assinaturas ou do permanganato de potássio do vinho que consomes é que diz com que dinheiro é que vamos alguma vez na nossa vida (ou dos nossos descendentes) conseguir pagar essa dívida?

    E que tens a dizer de sucessivas intervenções de João Galamba, Pedro Nuno Santos, Pedro Delgado Alves, Duarte Cordeiro que se dissociam do teu discurso e do de Víctor Gaspar e a senhora dos SWAPS – que neste exacto ponto é igualzinho?

  25. com esperança de que virá um governo que consiga equilibrar cá dentro para depois ir compondo para fora, aos bocadinhos. se a maioria dos portugueses pensar que nunca mais vai conseguir pagar a vida que tem endividada, mata-se por dois motivos: porque deixa de acreditar que melhores dias virão e também porque não saberá viver sem a dignidade daquilo que é honrar compromissos.

  26. jeronimo de sousa, como prefere um governo de direita,a um governo do ps,insiste na campanha contra o partido socialista,tendo em vista a defesa dos trabalhadores! como socrates não está em campanha,ataca o seu governo,para atingir o desiderato do”quanto pior melhor” com a vitoria da direita.que os pariu!

  27. “Ambos os projetos tiveram votos contra do PSD e CDS-PP, a abstenção do PS e o voto favorável de PCP, BE, e Partido Ecologista “Os Verdes”.”

    Eu falava de medidas aprovadas pelo PCP, mas ok.

  28. Pois, Aquaporina, era caridade a mais, não desenvolves até ao ponto de perceber que só acima de determinada percentagem de votos é que as cenas ficam aprovadas, pois não?

    Pois, nuno cm, o pcp e o be preferem governos de direita mas quem deixa passar atentados em questões de trabalho (na inglaterra os ps até se chamam trabalhistas) com esse governo (repleto de pessoal que tem levado a vida a chamar-lhes gatunos e a sugerir que deviam estar na cadeia) é o PS -pese embora a posição sensata de isabel moreira e de outras duas deputadas.

    http://www.ionline.pt/artigos/portugal/maioria-chumba-projetos-lei-be-pcp-reforco-apoios-desemprego

  29. “Pois, Aquaporina, era caridade a mais, não desenvolves até ao ponto de perceber que só acima de determinada percentagem de votos é que as cenas ficam aprovadas, pois não?”

    Quem não desenvolve é o PCP, que já deveria ter percebido que 8% dá para muito pouco, e tentar enquadrar os seus deputados numa maioria parlamentar é impensável. Mas continuem a apresentar medidas para serem chumbadas que o povo agradece.

  30. nm, e os ex partidos comunistas,como se chamam agora? este tipo de propostas em cima de eleiçoes,sabemos quem as faz.o pcp, critica o deficite do governo anterior,mas esquece que para ele tambem contribuiu com o seu voto mesmo na oposiçao, em virtude do ps estar em minoria no parlamento.como quizeram dar 50 milhoes ao joao jardim,e conseguiram-no,tambem podiam ter evitado com o seu voto ao lado da direita,tudo o que hoje consideram despesismo.que os pariu!

  31. jeronimo de sousa,foi ao otorrino, e levou varias cassetes de alvaro cunhal,para o medico,lhe colocar a voz com timbre identico.fechem os olhos quando ele falar, ouçam, e digam se isto não é verdade.a comunada até atinge o orgasmo ao ouvir este jeronimo! saudade,saudade!

  32. Aquaporina,

    No teu parco entendimento, só quem governa faz coisas, terá de ir ler sobre governos provisórios.

    depois regressa, e falamos.

    O partido trabalhista em inglaterra ainda se chama trabalhista, nuno cm. Esquece lá a cena da cassete dos PEC e explica-me é pq o PS deixaram agora passar uma decisão dos partidos que lhe chamam ladrões e querem prender o teu Soquinhas.

  33. nm, estás, portanto, a dizer que não fazes ideia do que significa pertencer à União Europeia e à Zona Euro. Muito bem, nada que surpreenda.

  34. Estou é a dizer que tens o discurso capitulacionista dos portas, passos coelhos, gaspares e cavacos.

    Explica lá em que ponto dizem os tratados que somos expulsos se confrontarmos a dívida e o seu serviço.

    Mesmo a realidade muda-se mudando, mas não surpreende que aches o contrário.

  35. querias ir à Eurolândia, porque pediste e eles emprestaram, e ficar a dever as voltinhas? mas sabes, nm, por cá as voltinhas também têm de se pagar porque também não se vive sem voltinhas. não teres um tostão no bolso, seres caloteiro e não teres quem te garanta – é isso que estás a dizer cheio de convicção merdeira. existem regras e acordos tanto para desembolsos como para saldar dívidas: a união é económica e monetária.

  36. Val, explica-me lá então o tal enquadramento jurídico e o articulado onde isso vem escrito faxavôr. Já to pedi várias vezes para ver de onde parte a tua teoria e tu nicles. Aquilo deve vir por capítulos e artigos e assim.

    Ainda não foste capaz de mo indicar, nem de me explicar pq é que os 28 hão-de ser um clube de onde não se pode sair e onde se empobrece os membros até à miséria. Já agora explica-me também pq há tantos membros do teu clube a dizer que a dívida e o seu serviço são impagável e o que tencionam fazer com esse ponto de vista.

    Olinda, Merdeira é a conversa capitulacionista e traidora dos que ainda não perceberam que nunca vamos ter dinheiro para pagar a dívida que os vossos clubes contraíram – e muito menos o seu serviço.

  37. olha que linha de pensamento tão imatura e negativamente infantil, a tua e de outros. a coisa processa-se como se da Segurança Social da UE se tratasse: achar que depois de passarmos a ideia de que somos financeiramente dependentes – o que significa não fazermos as contribuições à SS – e em turbulência precisamos, e pedimos, ajuda e depois o dinheiro não dá para nos mantermos, precisamos de mais, continuamos a não contribuir e ademais queremos ficar a dever. a solução é sair com o rabinho entre as pernas, isolar-nos, aceitar esmolas e fazer de conta que não devemos a ninguém? o dinheiro também é dos outros – os outros além da alemanha, que é a que mama mais sim mas também a que mais contribui para o orçamento comunitário. a UE também presta contas, ao tribunal, das finanças públicas. e isto nada tem que ver com uma eventual saída da eurozona. tem que ver com gestão e com consciência.

    andar a culpar a supranacionalidade, escolha consolidada, em detrimento das péssimas escolhas e gestão incompetente deste governo é chavalice; é de ganapada. a solução começa cá dentro, pela conquista da autonomia financeira, estabilização económica e política. e o fracasso desta aventura devia ter sido projectado antes do SOS – não é agora depois deste governo encher a pança, a andar de skate, e arrotar a azedo.

  38. Olinda, o que tu chamas ganapada, chamo eu negociação e posição de força. Há muita ameaça que os povos podem fazer e que ao longo de séculos foram fazendo para conquistar coisas.

    E como dizia hoje o Jerónimo, bem podes dizer que o teu clube não tem nada a ver com o assuntos quando é mais que óbvio como por este blogue se apresentam com o porco às costas (felizmente, o teu clube tem militantes que acham o mesmo que eu).

  39. ora aí está: negociação é a palavra chave – que significa cedências de ambas as partes: não a exclusão de uma, por sinal a negligente desde o início, das partes. com a SS a negociação implica pagamento em prestações à medida do devedor.

    (e ficas a saber que o meu clube é o da minha consciência justa e que nas minhas costas não carrego porcos. mas se os carregasse não havia de me sentir mal por isso, fosse a vida justa, muito pelo contrário.)

  40. Olinda, sem exigir cedências à outra parte – que tem sido a regra – e sem construir outro edifício diferente do que construímos, nunca iremos a lado nenhum a não ser ao ponto em que já nos encontramos.

    Não tenho nenhuma dúvida de que a realidade obstrói sempre a caminhada, mas quando estamos à partida apostados em ser obedientes bons alunos de mestres terríveis e agiotas não vamos a lado nenhum.

  41. tu andas às voltas no diz que disse e daqui a nada estás a dizer que já tinhas dito mas de outra forma. :-) mas o que interessa é que já terás chegado à conclusão de que negociar é preciso e que depende, sim, deste governo. mas é só isso, foi sempre isso depois de não se ter evitado o pedido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.