33 thoughts on “Maria de Lurdes Rodrigues, festival de responsabilidade”

  1. Mais um bocadinho e tinham equipado os WC’s da Assembleia da República com urinóis do Marcel Duchamp.

    Sem dúvida que foi (tal como ela muito bem afirma) uma bela e enorme festa.

  2. gandas campeões esses tribunais de conas que descobriram 20 mil euros de luxo em iluminação siza em obras do valor de 2,4 mil milhões. oh morto de riso! imagina só quanto é que o crato pagou em almoços deluxe aos gajos que martelaram o relatório e quanto é que o dito custou aos cofres do estado, tudo para justificar a política de desmantelamento de tudo o que cheira a sócrates. a história é tão má e está tão mal contada que o ataque do crato ignora a realidade e centra-se na burocracia e interpretação filosófica dos métodos. o carlos moreno ainda vai para à nova administração da ren por serviços prestados ao pds.

  3. “De boas intenções está o Inferno cheio”. Ou “os fins justificam os meios”. Muita coisa se poderia dizer sobre este assunto, menos que ele foi “uma Festa”. Ou a ex-Ministra não percebe patavina de festas (é o que eu acho mais provável), ou o que ela está a demonstrar é uma grande falta de responsabilidade.

    Todos reconhecem os méritos do programa, gigantesco e ambicioso, de modernização das Escolas Públicas, que estavam há DÉCADAS carentes de obras a sério. Este facto deveria, aliás, ter sido logo de início atirado à cara dos Governos de Cavaco Silva, com os seus milhões de fundos “estruturais” gastos em betão inútil, aos de Guterres, com a sua “paixão” pelos vistos bastante platónica, e de Durão Barroso (se é que ele sabe ao de leve do que estamos para aqui a falar…). Mas não foi. E um programa com esta ambição desmedida da recuperação acelerada de trinta anos de incúria nacional teria de ser muito bem “embrulhado” noutro tipo de “comunicação” e de envolvimento por parte do País, que nunca foi, e baseado em procedimentos exemplares e sem mancha, até para se tornarem paradigma de boa governação.

    Infelizmente optou-se pelo voluntarismo, pela teimosia solitária, pela “festa” privativa, pelo forçar das realidades até ao insuportável, como se o destinatário não fosse um País inteiro, e o resultado agora está à vista.

    Para quê uma empresa específica? Se era para ser “uma Festa”, por que não convidar os “vizinhos”? Tinha mesmo que optar por fazer a festa, atirar os foguetes e apanhar as canas sózinha? Sim, imagino o que não deve ter sido necessário “convencer” o Conselho de Ministros de que os fins justificavam os meios…

    Lamento, mas não acompanho os encómios. Queria fazer-se “obra”, em grande? Apostasse-se nas Empresas existentes, cumprisse-se a Lei, demorasse-se o que fosse preciso, mas não se corresse o risco de, apenas com um virar dos ventos, o trabalho vir todo parar a terra. É lamentável, mas deveria ter sido previsto. A Maria de Lurdes Rodrigues sempre me pareceu autista, uma bem-intencionada a caminho do Inferno e cada vez me convenço mais disso. Governar, para além de agir e de mandar, também tem de ser cativar e conquistar e esta pobre mulher, pelos vistos, não consegue avançar nem um milímetro em nenhuma destas “competências”.

    E o mais duro no meio de tudo isto é esta incapacidade de conduzir uma barca de tamanho desmedido ser agora desmascarada por um “governo” de poltrões e trapaceiros, sem “carta-de-condução” nem para motoretas de brincar, quanto mais para levar isto para a frente num frágil barco-a-remos e para um horizontezinho raquítico de poucos meses ou semanas, que é tudo o que as suas pobres cabecitas incapazes conseguem lobrigar.

    Mas quem acreditou neles, ou melhor, se deixou iludir por eles, merece tudo isto e muito mais. Coitados é dos seus Filhos, que um dia lhes vão cobrar, com juros elevadíssimos, o País de merda e lixo que lhes vão legar.

  4. Marco Alberto Alves, os filhos ficarão com um país de merda como legado, acreditando na tua visão, mas no qual poderão usufruir de algumas escolas com equipamentos óptimos para a função. E isso foi feito pela tal incompetente que vituperas sem demonstração da tua justiça.

    Também te recordo que a complexidade jurídica, nalguns casos a sua ineficácia ou irracionalidade, pode ser usada para difamar, boicotar e adiar. A arte da política é a de fazer omeletes com ovos, pois sim, mas também a de fazer limonada com limões.

  5. oh alves! isso é o argumento dos ranhosos. qual era a obra pública que tinha sido feita até hoje dentro do rigoroso e exclusivo cumprimento da lei? nenhuma e quem dirime estes conflitos, os tribunais com jurisprudência da cona da tia e pareceres interpretativos das leis pagos a preço d’ouro a uns especialistas que depois dividem com o gajo imparcial que depois decide de que lado está a razão. o truque está em dificultar para receber por baixo da mesa e manter a aparente dignidade das instituições. quando o projecto foi lançado até a velha dizia que se tinha de investir na recuperação do parque escolar e obras de próximidade, era urgente e fundamental para minimizar a crise. agora que tá feito e no fim de vários anos de investigação do moreno descobriram uns candeeiros do siza e irregularidades burocráticas. foi pena não se lembrarem de investigar o ccb, expo, estádios e restantes fontes de rendimento dos patos bravos psd.

  6. M.A. Alves,
    completando com os dados da Isabel Alçada, hoje apresentados, , tens mais alguma coisa a acrescentar? Achas mesmo que a treta de que isto foi um luxo é aceitável? A merda toda é que a empreitada não foi parar a quem devia, na perspectiva dos próprios e respectivos padrinhos políticos.

  7. ignatz, uma coisa não impede a outra. Eu acho muito bem que se investigue tudo a fundo e sobretudo o que é mais sério: o BPN/SLN em primeiro lugar, logo a seguir os submarinos, os sobreiros, o Citygroup, a negociata do IPO em Oeiras (com o Duarte Lima), a trafulhice de trinta anos de rega-bofe PSD na Madeira e os terrenos da Falagueira (do amigo do Barroso), mas também o C. C. B., claro, e a “Expo”, mais a sua suspeita Linha Vermelha de Metro, o manhoso contrato com a “Lusoponte”, o escândalo do Metro do Porto, o descalabro calamitoso da Linha do Norte, o descontrole nos Hospitais, os ziguezagues nas SCUT’s, os Estádios e os perdões fiscais aos Clubes, o Aeroporto Sá Carneiro, a Parque Expo, o Pólis, a Casa da Música e tudo o que envolva corrupção graúda nas Autarquias – Sintra, Cascais, Leiria e Portimãoà cabeça, mas que tem isso a ver com a “Parque Escolar”? Eu não vou fazer como os ranhosos, só porque os ranhosos decidem que lá porque vêem fumo, tem de haver um fogo. Eu quero saber realmente o que correu mal com a “Parque Escolar” PRECISAMENTE porque acho fundamental o objectivo de requalificar as Escolas Públicas do meu País! E quem diz que “a transparência dos contratos públicos às vezes pode não sevir o interesse público” tem à partida toda a minha DESCONFIANÇA! Porque é coincidente com o célebre argumento do “eu roubo, mas faço!”.

    Caro Val, eu não vitupero, apenas modero os encómios, pelo menos até a procissão dar ares de saír do Adro. E não tenho que “demonstrar” justiça nenhuma. O Parlamento é que ma tem de demonstrar a mim, é isso que eu exijo dele e é para isso, penso, que a ex-Ministra da Educação está a dar-se à maçada de lá ir responder. Depois veremos a quem cabe a razão. Apenas afirmo que, na minha óptica, preferia que tudo isto tivesse sido evitado, ou devidamente prevenido, mediante procedimentos mais “convencionais”, digamos, a menos que se confirme que o Tribunal de Contas está apenas a parir um rato, com tantas montanhas prenhas à sua volta… O que seria, por seu turno, bem mais intolerável do que os erros ou exageros detectáveis na atuação da “Parque Escolar”, que lamento, mas conseguirei sempre avaliar à escala das grossas malfeitorias a que este País está, infelizmente, a chegar.

  8. “a menos que se confirme que o Tribunal de Contas está apenas a parir um rato, com tantas montanhas prenhas à sua volta…”

    É precisamente disso que se trata, como o tempo o vai demonstrar.
    A parque escolar vai andar nas noticias o tempo que for preciso para alimentar a desculpa da herança, mas nem um só administrador vai ser acusado, não porque a justiça não funcione, mas porque não há nada para acusar.
    Enquanto isso, o tempo passa para o BPN e cada vez menos se ouve falar daquele que , esse sim, será provavelmente o maior caso de corrupção e branqueamento de capitais que alguma vez aconteceu neste pais.
    Pão e circo, nunca esta máxima esteve tão em voga no nosso país, infelizmente. E como o pão já se está a tornar escasso, levante-se mais circos para manter a populaça sob anestesia.

  9. a cova da beira, a licenciatura e o freeporcos já não vendem, os cartões de crédito e as facturas dos almoços são uma foda de conferir, as facturas encaixotadas do instituto da juventude faliram, porra tinham que inventar qualquer coisa para entreter o pagode com fugas de informação, venda de jornais e uns trocados para os informadores do ministério público. é a receita do costume, inventada pelo portas no século passado, tamos fartos do número, mas há sempre alguém que vai na conversa e sempre serve para manter o moral das tropas aliadas a quem acabamos de quilhar 2 meses de ordenado.

  10. Que grande ministra!
    Acompanhei todo o debate em directo e vi como aguentou, com firmeza, competência e dignidade, os ataques rasteiros de alguns anões da política ali presentes.
    Só espero que volte, quando esta gentalha medíocre que nos (des)governa for varrida do mapa, porque precisamos de mulheres e homens da sua envergadura para condução do barco agora ao deus-dará.

  11. É mesmo típico do Portugal do “pequeninos”, o que há pouco ouvi de um qualquer imbecil do PSD que se insurgia contra os candieiros do Siza Vieira numa dessas muitas escolas que o governo de Sócrates, com uma visão do futuro e da educação pelo convívio com a arte e o bom gosto, procurou deixar aos nossos filhos e netos.

    A esse cretino eu gostaria de lembrar que, tivesse tido o nosso povo, desde há muito, governantes com esta visão, e seguramente já não veriamos hoje, por esse Portugal além, tantas casinhas forradas a azulejo de fugir a sete pés.

    Estes desgraçados é assim que se revelam: para o povo qualquer merda serve! Estes desgraçados nunca compreenderão o gesto visionário de Lunacharsky quando mandou colocar no Metro de Moscovo muitas obras de arte de que até então só a nobreza podia disfrutar.

  12. meus caros…estou à espera de ver (filmados em direto…casualmente) o puto melo + o puto marco antónio (refiro estes dois ilustres pois representam galhardamente a jotada liberal que hoje por hoje nos governa) a marcharem de pastas na mão a abarrotar de crimes em direção à pj e depois…como diz o speaker do tele-jornalinho (piscando-nos o olho maroto)…as ministras do sócrates…a serem logo ali cangadas pela roubalheira que cometeram na parque escolar…só pode acontecer isso depois de nos últimos meses se assistir ao desfilar jornaleiro dos números…escandalosos…das escolas…afinal foram elas as malditas escolas que levaram o país à falência…bem me parecia tem lógica e tudo…

  13. É por isto que odeio os governos PS. Fazem asneira (para não dizer pior), tudo o que é dado objectivo confirma que fazem/fizeram asneira mas nunca se rendem, a retirada é sempre para a frente, estava tudo bem, assim é que deve ser feito e os outros é que são estúpidos e tacanhos por olharem para as Contas. E andámos nós a ser governados por isto. Eu gostava era de ver esta senhora em Tribunal…

  14. Para o triste e pequenino José Martins e à boa maneira salazarenta, as “contas” são tudo. As continhas certas e eis o paraíso. Investimento na educação, na cultura, na tecnologia de ponta, em suma, investimento no futuro, isso fica para depois, para quando as continhas estverem certas. Para quando os cofres estiverem cheios de ouro, coisa que infelizmente para muitos ainda é o supra sumo da governação, mesmo que, em contrapartida, as cabecinhas dos portugueses estejam cheias de merda! Gente tão pequenina e que grande tristeza!

  15. oh martins! mas nós não temos culpa que tenhas bronquite asnática e quanto a gostos, olha, eu tamém gostava de estar agora a tomar o pequeno almoço em villefranche-sur-mer e estou em vilafranca-a-aturar-merdas-na-net, paciência.

  16. oh cícero! calma lá com essa merda, as contas tão certas e não há gamanços alguns. o que não bate certo na tolinha dos moços é a adjudicação das obras não ter sido feita aos patos bravos do psd, não fora isso e a contestação era por outro motivo qualquer que desse jeito aos cratótós.

  17. Calma, José Martins. Lá por isso, eu também gostava muito de ver o Cavaco em Tribunal, mais o Dias Loureiro, o Portas, o Nobre Guedes, o “Jacinto Leite Capelo Rego” de um modo geral e, daqui por uns tempos, seguramente, o Passos e o Relvas, entre tantos outros. Mas acontece que, para levar alguém a Tribunal, ainda não basta nós “querermos”, felizmente…

    Quanto às duas ex-Ministras da Educação de Sócrates, pelo que se está a apurar, as suas “asneiras” serão trocos, quando comparadas com o inestimável serviço público que prestaram e que tu não desmentiste. Ou não achas que isso tem que ser tido também em conta pela tua “acusação”?

    O que eu afirmei é que, perante a magnitude do que foi feito nos últimos seis anos, em especial pela M.ª de Lurdes Rodrigues – e eu acho que tu não dás é valor nenhum à Escola pública, mas isso já será um problema teu (e bem grave) -, teria sido preferível não se ter pisado nenhum “risco”, para não manchar, nem ao de leve, essa grandiosa “obra”!

    Agora, para quem só vê as “continhas”, como tu (e só quando te interessa), penso que te faria bem vires aqui a Oeiras aprender com um Povo que há décadas lida com um suposto “corrupto”, que até já foi condenado em Tribunal (se bem que ainda não se tenha dado por convencido), e que, apesar de tudo isso (que, note-se, ainda não aconteceu com nenhum governante socialista dos últimos seis anos), continua a ver a sua obra condignamente valorizada, a par das suas humanas “asneiras”, claro, na hora de o “julgar” nas urnas. Caso já não te lembres, recordo-te que esse “julgamento” popular tem sido reiteradamente eloquente.

    E olha que não é um Povo própriamente inculto (saberás tão bem como eu que Oeiras possui, per capita, o maior número de Licenciados – pré-Bolonha – do País, um dos maiores níveis de coleta de IRS, etc., etc., etc….).

    Agora tu podes continuar a odiar os Governos que tu quiseres, não penses é que sabes explicar porquê.

  18. Ainda bem que pensas assim Cicero. Agora também não deves ficar chateado de pagar a factura dos muitos investimentos efectuados, até porque eles estão a ser todos muito produtivos, a começar pelos candeeiros do Siza. Mas não te preocupes que o Passos para ter o teu voto nas próximas eleições também irá fazer investimentos de tão elevada produtividade, até porque qualquer investimento efectuados na educação ou SNS, (para não falar noutros) não é passível de critica senão essa mesma critica é conotada como um ataque à escola publica ou ao sistema de saúde. Ou será que a denominação de algo produtivo é exclusivo do mundo rosa… será????

  19. oh josé! tirando 20.000 euros de candeeiros em 2.400.000.000 euros de obras, o que é que o porta voz da antral tem para dizer.

  20. Ignatz, a diferença entre uns e outros não é muita.

    A política nacional dos últimos 40 anos ensinou-me que o PSD não é mais que uma espécie de ala direita do PS e vice-versa.

    Quanto à honestidade, aparentemente nunca conduziu ninguém ao poder.

  21. “Ignatz, a diferença entre uns e outros não é muita.”

    é muita e ainda por cima quantificável. é só contabilizares as broncas & os gamanços de uns e de outros, para não falar dos erros de investigação e processuais que por norma safam os psd + os cds. hoje foi o caso dos sobreiros, absolveram o certo e deixaram escapar 3 culpados que nem sequer foram a julgamento. quem normamente se mata de riso com estas coisas são os comunas, que vão ajudando à festa da direita e de quando em vez beneficiam duns arquivanços nuns roubozitos que vão fazendo pelas autarquias e repartições de portugal. se dissesses que o psd dos últimos 40 anos era a continuação da acção nacional popular em amena convivência com os comunistas, eras capaz de ter razão. quanto a honestidade, somos todos e de preferência mais que os outros.

  22. Ohh ignatz o caso dos sobreiros, o caso dos submarinos etcccc é só gente séria!! Alguém foi condenado?? Ninguém!! O que acabaste de dizer é uma campanha negra contra gente de bem, gente inocente que luta pelo bem colectivo!!! Onde é que já li isto…. freeport, licenciatura, offshores, casas da Guarda……………….

  23. jose,
    como te saberão explicar, melhor que eu, alguns especialistas que visitam o aspirina, para se ser condenado, tem de se ser arguido. E para se ser arguido tem de haver provas.

  24. oh josé! parece-me que estar a confundir merda com banha de cheiro.

    .freeporcos – o interessado, empresa proprietária do freeport, não apresentou queixa e cada vez que lhe falam nisso chuta pra canto. valor da bronca: dizem que extorquiram uns milhares ou milhões aos ingleses para aprovação do empreendimento e que não repartiram com os comunas da camara de alcochete. andam há 12 anos nisto para provar que houve uma importação ilegal de capitais.

    .licenciatura – ainda não percebi qual é o crime, do que é que foi acusado, se houve lesados e qual o prejuízo.

    offshores – ninguém sabe o que é isso, tirando um gajo nazi que está preso e que diz ter acesso a extractos das contas dum familar qualquer do socrates. valor da acção: desconhecido, prejudicados idem.

    casas da guarda – ver licenciatura que estou farto de escrever e o assunto não merece um peido

    em contrapartida sabe-se quantos sobreiros foram à vida e quanto estamos a pagar pelas submaricagens do portas, pelos bpn de cavaco & sus muchachos, do que foi arquivado e do que nunca será arquivado mas que foi crime e prejudicou os portugueses em dois ordenados anuais, fora os pratos do dia em taxas & impostos à carta.

  25. Edie, como em Portugal há poucos arguidos e muito menos condenados, como tal é só gente inocente. Estou de acordo contigo. E ainda digo mais, Portugal é um país com sorte é raro haver uma figura publica com poder que seja culpado de algo, o que só mostra que premiamos o mérito e a ética.

  26. pois, eu é que não concordo contigo quando vais comparar alhos com bugalhos: ” Onde é que já li isto…. freeport, licenciatura, offshores, casas da Guarda……………….”

  27. Só aqui morro de riso.

    É melhor que assistir ao torneio de tiro ao arco da Associação Louis Braille.

  28. “Só aqui morro de riso.”

    e pela cor do riso deve ser com febre amarela. deixa lá, ainda te restam 12 ordenados por ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.