Maluco do riso

Cavaco tem-se revelado um cómico de vocação, fazendo chalaças e trocadalhos a propósito das grandes questões da actualidade. É um contraste chocante com a imagem de austero e lacónico professor de Finanças que cultivou durante 30 anos, desde o Governo de Sá Carneiro, mas veio para ficar. O caso Dias Loureiro não será excepção, e os brilhantes conselheiros do piadista de Boliqueime andam numa roda-viva a escrever graçolas para entregar ao chefe. É patriota ajudar o Presidente da República neste tão importante momento da política nacional, onde se assiste ao julgamento moral do cavaquismo. Aqui fica um contributo.

Humor presidencial:

O Dr. Dias Loureiro disse-me que não cometeu qualquer ilegalidade, mas eu lembrei-me logo foi da ASAE, que podia aparecer numa reunião do Conselho de Estado só para chatear. Foi melhor assim.

Perguntarem-me se me escandaliza ver um conselheiro de Estado a mentir perante a Comissão Parlamentar de Inquérito não é “just”, mesmo quando a matéria diz respeito a milhões de “euros”.

Quanto às pessoas envolvidas no calote do BPN, tenho uma opinião muito bem definida sobre elas ali na algibeira, mas está na algibeira do casaco.

Esta traquitana toda do BPN e SLN é como um bolo-rei: quem parte e reparte e não se engasga nas declarações às autoridades, esse é que fica com a melhor parte.

Eu não faço qualquer distinção entre os 19 conselheiros de Estado. Aliás, foi por isso mesmo que deixei de convocar o Conselho de Estado, pois eu estava sempre a baralhar os nomes e aquilo era um sarilho primeiro que conseguíssemos iniciar os trabalhos.

Anda muita gente preocupada com os dois mil milhões de euros que foram à vida, mas o que realmente me preocupa é a seguinte questão: é “Oliveira e Costa” ou “Oliveira Costa”? Os portugueses precisam que lhes falem verdade.

O caso BPN, para mim, olhe… tem Dias…

5 thoughts on “Maluco do riso”

  1. Val,

    Excelente e pertinente análise. Em tempo de eleições permite-me contudo dizer que mais do que o Dias Loureiro me horriza esta caderneta de futuros do PPE que serão fortalecidos por cada deputado que o CDS ou PSD eleja. O melhor argumento de voto no PS, a meu ver, é neste momento impedir que o PE seja tomado de assalto por uma pacotilha de neoliberais que defendem semanas de 7 dias de trabalho, franquistas que o admitem ainda ser, negacionistas do holocausto, criminosos e xenófobos. Votar à esquerda, se não for por mais nada que seja para impedir o fortalecimento deste grupo.
    Desculpa o apelo. Mas sugiro que toda a gente conheça os rostos do horror: http://tinyurl.com/ngpud9. Abraço,
    Carlos

  2. O pessoal do ramo que se cuide. Este humor institucional está a fazer escola e ainda pode vir a deixar muitos deles no desemprego. É que não é só o nosso Presidente da República e uma parte importante da direita tem-se esmerado bastante para nos fazer rir.

    O Alberto João é um pagode. À líder da oposição reconhece-se o seu fino sentido de humor, ele é a suspensão da democracia, o emprego para nacionais ou a família procriadora. O Rui Rio gostava de ser bombeiro quando for grande e não tem tempo para acompanhar o candidato do partido às europeias. O Paulinho Maizenas nem precisa de abrir a boca, o Seara tem a sua fixação benfiquista, o Pacheco é mais tipo Bordalo Pinheiro, o Rebelo de Sousa faz análise política como se fosse comentador desportivo e não dispensa bandeirinhas nacionais dependuradas na sua varanda e até o Oliveira e Costa teve a sua piada na Comissão Parlamentar. Só o Dias Loureiro continua um triste.

    Os humoristas vão ter de se esforçar. Ou então criam um lobie para denunciar a falta de capacidade destes políticos para a causa do humor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.