La dolce vita

Sempre fui grande amigo dos salgados, não dos doces. E sou fanático do picante, da pimenta, dos pimentos, do alho, da cebola, do alho, dos pimentos, da pimenta e do picante. Está claro? Tanto que só recentemente comecei a ingerir chocolates em níveis mínimos para não ser afastado do convívio com o sexo feminino. Não me lembro de ter saudades de gelados ou de me desviar 15 centímetros do meu caminho para ir na sua direcção. Jamais tocava em compotas, geleias, marmelada, inimigas da integridade palatal. Uma bola de Berlim com creme parecia-me uma ofensa à moral pública, um duchesse autêntica pornografia.

Pois bem, things change. Hoje como bolos e doces, os mais grotescos. Como numa missão exploradora, não regressando à enorme maioria deles. Como só para poder dizer que já comi. Trata-se de um don-juanismo pasteleiro, mais gnose do que pulsão. Nessa senda fui parar à compota de limão no capitel deste poste, estacionada na secção gourmet do Continente. Depois de semana e meia em pousio na despensa, passou directamente para as papilas gustativas ao ritmo de uma colherada a cada 4,7 segundos. Ter feito uma pausa de 2 minutos a meio do frasco não irá afectar a auto-estima do fabricante, estou em crer. E depois do êxtase místico fundador, sabia-me profeta de uma nova religião: Zira Cadaval. Seguiram-se novas revelações, cada vez mais altas e luminosas.

A história desta marca é também um exemplo de empreendedorismo forçado. Em Portugal, este espírito ainda é uma excepção, infelizmente.

12 thoughts on “La dolce vita”

  1. Picante, malagueta, pimenta, pimenta cayenne, alho, cebola, é um must para qualquer senhora ou senhor que queira emagrecer. Quanto mais condimentado, melhor.

    Doces, também gosto. Cheesecake, bolas de berlim, pastéis de nata, bolas, tudo o que é proibido, venha, que a garaganta «abarbata» e pede mais.

    Arroz – doce, papas de milho, gelado de caramelo, maçaroca cozida ou assada, ai menino.
    Aí é que entra vinho. Percebe o Valupi que não pode, não deve mandar ninguém largar o vinho?

  2. E doce de tomate, arranja-se? Sou fã mas há muito que não como um que me agrade, nem o que eu faço.
    (a referência, o melhor de todos os doces de tomate, era o do Restaurante Marquês de Marialva, servido à laia de sobremesa em tacinhas de barro)

  3. Esta conversa já me interessa: bolachas, compotas, bolos, tartes. Quando só falas de política, és completamente insosso, Valupi. Nem a pimenta ou a malagueta ajudam na falta de paladar dos teus postes habituais.

  4. Diz-me o que comes, dir-te-ei quem és: Fiquei a saber, Valupi, que começaste a vida por um ascetismo perfeito dos prazeres da vida. Agora já vais cedendo, mas mesmo assim a cabeça continua a analisar para não haver escorregadelas emocionais. Razão e ascetismo, mas este já não tão austero como nos primeiros tempos.

  5. É claro que não está claro! De início julguei que se tratava de um texto do senhor jcFrancisco. Puro engano! Aposto que a repetição dos vocábulos é intencional. Se não é, o senhor Valupi estaria a precisar de um revisor…Será para ter comentários como este? Mas só uma pessoa que gosta(va) apenas de salgados e picantes pode andar tão a léguas da nossa doçaria. De há muito que se fazem verdadeiros milagres. Já provou o doce de cáctus com figo e canela? E prefira o chocolate sem açúcar ou o preto semiamargo. Não precisa agradecer!

  6. Experimenta ‘lemon-curd’… é absolutamente divino! Condição sine qua non: belo limão caseiro :)

    Claro que o tradicional doce de marmelo é insubstituível***

  7. Parabéns pelo gosto Valupi! Sou um fã dos doces, das bolachas e dos biscoitos da Zira.
    Aconselho as bolachas de custarda e pêra rocha, ou os biscoitos de aveia. A compota de limão é, de facto, divinal. Mas as outras compotas e a da tomate especialmente, são brilhantes.
    Por conhecimento pessoal, garanto que são artesanalmente fabricados pela ZIRA.
    Declaração de interesses: Sou amigo de infância do Rui que reencontrei com prazer, no certame do Peixe em Lisboa, vai para dois anos.

  8. (Ó Val, podes explicar ao teu amigo essa associação de ideias entre o consumo de chocolate e as piquenas? É que eu de política e de gajas nickles mas sou um devorador sôfrego desse material – o chocolate, claro – e tu pareces ter apanhado a essência da coisa… – as gajas, naturalmente)

  9. Agradeço, babado, todas as doces sugestões. Gula não falta.
    __

    Grande Shark, tu é que me podes explicar alguma coisa, pois andas a dar no chocolate há mais tempo do que eu. Aposto que até sabes fazer mousse caseira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.