Imagens exclusivas das pressões que os magistrados do MP exercem uns sobre os outros

E, já agora: arquivar o Freeport sem a investigação estar concluída, com ameaças primárias e absurdas sobre dois procuradores, a mando do Ministro da Justiça e incluindo telefonema obsceno escutado por testemunhas? Hã?… Importa lembrar o óbvio: Sócrates não se livra do Freeport sem o completo esclarecimento do caso; pelo que o arquivamento, faltando explicação suficiente para anular a insídia, equivaleria ao seu provável fim político. Os pulhas que se regozijam com o processo a Lopes da Mota, vendo nele a prova final da conspiração, são seres de mui limitada imaginação.

23 thoughts on “Imagens exclusivas das pressões que os magistrados do MP exercem uns sobre os outros”

  1. pois, pois,
    aliás o ministro da justiça já tinha feito o mesmo em macau, os magistrados já tinham denunciado as pressões à superiora hierarquica candida de almeida, a tal que foi mandataria da campanha presidencial de Mário soares, e esta tinha ignorado completamente o caso.

    Acredita que ele tomou a iniciativa de ameaçar os magistrados sem existir vontade nesse sentido do nosso elegante primeiro ministro? O pai natal não existe.

    Assim como quase não existe a memoria politica para a enorme maioria do eleitorado. Se o caso terminasse agora e ficasse sem ser falado 5 meses, no dia das eleições só uma % infima de pessoas se lembraria dele ao ponto de condicionar o voto.

    O cerco à justiça está bem montado, quem nomeou o procurador geral, foi socrates, depois cavaco aprovou. Socrates mudou a organica das policias e estas passaram todas a depender diretamente dele. Candida de Almeida é do PS e é responsavel pela investigação.
    O ministro da justiça tem no cadastro pressões sobre juizes iguais às que agora são feitas sobre os investigadores. Socrates escolheu- bem, olha lá se ele foi escolher alguem com verdadeiro sentido de justiça.

    Está montada uma teia mafiosa para proteger o padrinho pinocrates, o nosso atual PM. Mas há quem defenda. Tambem existia quem apoiasse Vale e azevedo.

    Para completar o quadro aprovaram 2 leis que irão aumentar exponencialmente a corrupção, o aumento dos contratos por ajuste direto de 150 mil para 5.150.000 de euros e a lei do financiamento dos partidos.

    Sim, para os profissionais da politica socrates só fica ilibado se o processo for concluido normalmente e o considerar inocente ou perto disso. Mas os profissionais da politica atuais são em grande parte carreiristas sem escrupulos, logo a falta isenção moral de socrates até os alivia. Um potencial corrupto não quer alguem incorruptivel acima dele, prefere alguem que alinhe no jogo do assalto à gamela do estado.
    O povo comum, que levanta às 6.30 para entrar no emprego às 8.00 e chega a casa às 19.30, prepara o jantar, janta e vai deitar-se não tem tempo para ligar aos pormenores destas coisas. Apenas retem que afinal o caso não deu em nada, não tinha pernas para andar.

    Se socrates não for afastado agora teremos a instalação de um sistema mafioso no governo e daqui a até portugal ter uma operação mãos limpas ainda vai demorar muito tempo. Provavelmente já não vai ser possivel erradica-lo tão cedo, mesmo que o governo mude.
    Essa é que foi a grande obra de socrates, a consolidação de um sistema mafioso no governo, em que a justiça foi capturada pela politica.

  2. Pois é! Enquanto se faz este espalhafato sobre um Sócrates que os ingleses e portugueses ligados ao processo Freeport consideraram acima de qualquer hipótese de ser corrompido, os senhores do BPN, de mãos alvissimas, após cometerem a maior fraude financeira da história de Portugal, devem estar a rir-se à gargalhada ou com medo que os seus amigos não voltem ao governo e não se esqueça para sempre a mega fraude. Esquecer não: basta que leve 15 anos a ser apurada qualquer responsabilidade. Entretando, para tapar a vergonha da justiça que temos, prenderam um homem. Actuou sozinho, porque os outros liimitaram-se a assinar uns papéis. A troco de quê?

  3. Você disse fim político de Sócras? por causa do Freeport? loooool. O pessoal está se nas tintas para as trafulhices privadas do PM ou de outro político qualquer, até porque acha que um homem sério não vai para a política.
    Sócras entrará em descrédito como PM quando aparecerem ideias para a governação que sejam novas e credíveis. Consideradas melhores que as actuais, no ponto de vista de quem vota.
    Entretanto, malhar no PM só o fortalece.

  4. Cam, estás muito bem informado. Mas, explica lá: pelas tuas contas, quantos portugueses serão cúmplices de Sócrates nesse sistema mafioso que vai capturar a Justiça?

    Pode ser um número por alto, e depois continuamos a partir daí.
    __

    Mário, nem mais.
    __

    Manolo, esse pessoal que referes, o tal que não quer saber das trafulhices de um primeiro-ministro, não me parece com grande motivação para ir votar. Quando não se acredita na honorabilidade dos políticos, não se perde tempo em urnas de votos.

    Tens de consertar esse raciocínio.

  5. Com que diabo, a oposição deste país está sedenta de sangue e qualquer vítima, venha de onde vier, serve.
    Então poque se há-de demitir o homem do Eurojust.Tem alguém neste momento, alguma prova da sua culpabildade? Porque não se espera que o processo prossiga normalmente e depois se actue conforme o que ficar provado.
    Basta alguém mandar um palpite, para que de imediato se exija uma cruxificação pública.
    E se porventura o homem estiver inocente? Alguém estará dísponivel para o ressuscitar?

  6. Achei curioso ouvir um tal Aguiar Branco a reclamar a demissão de um tal Lopes da Mota! Será q defendem a mesma receita para um tal Dias Loureiro?

  7. Valupi, continuas na senda da tontice.

    1 – “Sócrates não se livra do Freeport sem o completo esclarecimento do caso; pelo que o arquivamento, faltando explicação suficiente para anular a insídia”
    Se a defesa o Mota dependesse deste argumento estaria bem lixado. Claro que quando deixasse da falar no caso acabaria por cair no esquecimento, este como todos os outros. Aliás, se fosse arquivado seria por falta de provas, logo não havia motivo para levantar suspeitas sobre o PM, certo?

    2 – “faltando explicação suficiente para anular a insídia, equivaleria ao seu provável fim político.”
    E que probabilidade é essa, qual o intervalo de confiança e a margem de erro? Claro que qualquer pessoa sã não gosta que o seu nome seja falado pelo piores motivos, por isso, quanto antes saísse do espaço mediático melhor!

    3- “Os pulhas que se regozijam com o processo a Lopes da Mota, vendo nele a prova final da conspiração, são seres de mui limitada imaginação.”
    Então porque são os pulhas que se regozijam seres de tamanha limitada imaginação?
    Acho que nos devemos regozijar os que somos pulhas e os que sois gente de bem. E porquê? pelo simples facto de poder ter ocorrido um facto grave que não fique na sombra dos corredores. Só por isso é já um grande feito da PGR.

    Mas perece-me que, para ti, mesmo que os facto relatados tenham ocorrido, o melhor seria que ficassem em silêncio. Se não pensas assim tens boa oportunidade de o dizer, mas se não o fizeres os silêncio fala por ti!

  8. Diz o Nuno:

    “Achei curioso ouvir um tal Aguiar Branco a reclamar a demissão de um tal Lopes da Mota! Será q defendem a mesma receita para um tal Dias Loureiro?”

    Por mim, peço a demissão dos três, mesmo sem saber onde é que o Aguiar guia.

  9. jv, tens toda a razão. Mas se ele se demitisse também não estaria a errar.
    __

    Nuno, alguns já defendem, como o Capucho. Outros, são os merdas do costume.
    __

    Ibn, tenho tanto, ou mais, interesse do que tu em saber a verdade de todos os casos em investigação pelas autoridades. Tens de largar o vinho.

  10. Valupi, a tua burrisse só encontra paralelo na tu arrogância tal é o seu tamanho.

    1) Tu não sabes qual a dimensão do meu interesse, logo não o podes comparar com o teu. Capice?

    2) Diz de uma vez por todas se achas bem que o caso, a ter ocorrido, tenha sido tornado público?

    3) Não achas normal que gente de bem fique contente por estes assuntos saírem dos corredores sombrios dos cozinhados da justiça?

    Vá lá não te acobardes e responde? Até podes continuar a dar no vinho se isso te ajudar

  11. Ibn, o teu interesse, a ser algum, não pode ser maior do que o meu. É nisto que tens de meditar. E, com sorte, até vais conseguir entender a lógica subjacente.

    O quê do caso ter sido conhecido não sei quê? Repara: não sou eu o responsável pela tua paranóia. Traz aí uma citação minha em que eu proteste contra o conhecimento deste ou qualquer outro caso. E bebe água, deixa o vinho para quem o sabe apreciar.

  12. Estás a perder a lucidez, mas isso é normal. Vou recolocar a minha afirmação, para que não restem duvidas.
    “1) Tu não sabes qual a dimensão do meu interesse, logo não o podes comparar com o teu. Capice?”

    Claro?

    Não estejas com meias palavras nem contornes as questões à semântica não te livra.

    A pergunta é simples concordas ou não com o facto do caso, deste caso em concreto, ter visto a luz do dia.

    Não tenhas receio responde, com três letrinhas !

  13. Ibn, vamos lá despachar algumas das questões que levantas:

    – “Burrisse” não existe. “Burrice” existe e estás bem provido dela.

    – Posso comparar a dimensão dos interesses, claro que posso seu borrego, porque a estou a comparar pelo extremo. Se me responderes que tens o interesse máximo, estarás a dizer que tens o mesmo interesse que eu. Porquê? Fazes alguma ideia? Não te canses: porque eu tenho o interesse máximo. E agora vem o melhor da festa: a ser assim, se ambos tivermos o interesse máximo, tu não podes ter mais interesse do que eu.

    – Qual é a parte da seguinte frase que não estás a entender?: “Traz aí uma citação minha em que eu proteste contra o conhecimento deste ou qualquer outro caso.”

  14. Valupi, dizes tu “Ibn, vamos lá despachar algumas das questões que levantas:”

    Pois é dizes bem algumas mas não todas não é? tens medo do que ou de quem?

    A virulência com que respondes demonstra bem o quanto o assunto te incomoda.

    Não te enredes em retórica e semântica de qualidade duvidosa. Só tens que responder sim ou não.

    Achas bem que o assunto da porcaria que o Lopes da Mota, aparentemente, fez tenha sido tornada pública? SIM? NÃO?

    É simples (sim/não).

  15. Pois é Valupi.

    Sim ou não?

    O teu larga o vinho é mais expressivo do que qualquer outra resposta.

    Usa-lo quando não consegues outra argumentação. Mas se te esforçares o suficiente verás que consegues atingir o nível de desenvolvimento da amiba ou de um qualquer protozoário.

    Sim ou não? Concordas que o caso Lopes da Mota se tenha tornado público? SIM OU NÃO?

    A tua cobardia não ter permite responder um SIM ou NÃO? Se não consegues responder de outra forma embebeda-te! Mas com uma zurrapa qualquer, assim, não se perde grande coisa.

  16. Ibn, não se trata da minha cobardia (coitadinha dela), antes da tua capacidade de leitura. É que se dá o caso de não saberes ler, embora consigas identificar as palavras. Porém, como te escapa o significado das frases, ficas sem entender o que leste. O nome para esse fenómeno é iliteracia.

    Depois não espanta que acabes paranóico, pois, se não entendes o que os outros te dizem, resta-te a imaginação para construir o sentido da realidade. E que pode fazer a tua imaginação quando entregue a si própria sem ajudas do exterior? Pode apenas repetir-se a si mesma; ou seja, falar de ti.

    Se não leste em lado nenhum que eu tenha qualquer problema com as notícias sobre o caso Lopes da Mota, ou sobre qualquer outro caso (e não te parece estranha essa ideia de se estar contra a divulgação de notícias relativas a acontecimentos com interesse político ou legal?… se não te parece estranha, é porque tu é que és estranho…), a tua insistência nessa pergunta é o teu mais recente atestado de imbecilidade.

  17. SIm?

    Sim ou não?

    Repara, gastas imensos bits a escrever, mas com 24, apenas, escrevias “SIM” ou “NÃO”

    Seria fácil de compreender, até, para iletrados como eu!

    Não sejas cobarde, responde! Tens medo do quê? Ou de quem?

    SIM OU NÃO!

    Não te preocupes com a minha imbecilidade, preocupa-te antes com a tua cobardia, pois, com a minha imbecilidade lido eu, com a tua cobardia não te posso ajudar.

  18. Ainda bem.
    Mas pelos visto a tua cobardia também não te preocupa. Isso pode, como sabes, levar-te a um estado de negação do qual nem o vinho te vai salvar. Contudo, estás a um SIM ou um NÃO da salvação.

    Deixa que te esclareça também de uma coisa: Prefiro a minha imbecilidade à tua cobardia. Cada um é para o que nasce.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.