Gente séria é outra coisa

20 meses de passadismo depois:

Eduardo Catroga defende que se deve fazer a dispensa de funcionários públicos e a revisão das regras para a idade da reforma. O economista não vê outro caminho para produzir uma poupança permanente de muitos milhões de euros, assunto que estará na agenda da sétima avaliação da “troika”. O economista que negociou o memorando de entendimento em nome do PSD sustenta ainda que o país está obrigado a adequar as despesas às receitas correntes. Não há mais espaço para soluções extraordinárias e por isso é incontornável reduzir os gastos com pessoal.

30 dias antes de meterem a bocarra no pote:

«As medidas que agora aparecem são melhores para os portugueses» do que as do PEC4, afirmou, recordando contudo que «é um programa de austeridade, que é preciso por causa de seis anos de Governo socialista, que levou o país à beira da bancarrota».

Eduardo Catroga critica a atitude do Governo que se «apresenta como vítima e como vencedor de uma negociação que foi sobretudo negociada pelo maior partido da oposição». «O PSD deu um grande contributo para este processo. Portugal vai ter uma grande oportunidade para fazer as medidas que se impõem, para dar esperança», disse ainda.

«Tivemos uma reunião altamente frutuosa com a troika, que percebeu a nossa atitude diferenciadora, de defesa do Estado social. O PEC 4 ataca pensões, não falava em reduzir o gordo estado paralelo…»

Eduardo Catroga disse ainda que «houve uma adesão a este princípio de que o PSD, se for Governo, fica com autonomia para propor um novo mix de políticas, se por acaso aparecerem amanhã [quarta-feira] surpresas de medidas penalizadoras para os portugueses».

3 thoughts on “Gente séria é outra coisa”

  1. só de pensar cada vez que ligo uma lâmpada estou a contibuir para o ordenado deste filho de puta e amigo de peito do cavaco dá-me vontade ficar às escuras.

  2. se alguem tivesse duvidas sobre os coautores do pec 4, catroga dissipou-as.tudo que de mau lá está, teve a pena de catroga na maior parte dos pontos.estes trapaceiros, não so o assinaram como o agravaram.a vida corre-lhes mal.não queriam mais um ano, para nas eliçoes darem os rebuçados,mas a realidade tramou o rapazola de massamá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.