Fim do mundo

Qual achas que é o mais forte sinal de estarmos perto do fim do mundo, a enigmática queda de pássaros em diferentes locais do globo ou Ferreira Leite ter revelado que os políticos vivem num “mundo à parte”?

15 thoughts on “Fim do mundo”

  1. Parece-me a ingénua tentativa de demonstrar que se pode exercer actividade política, ser deputada e presidente de um partido mas sem ser «política». Simplesmente execrável.

  2. Penso (ou será apenas desejo?) que estamos à beira do fim do mundo do cavaquismo. O «mundo à parte» do desabafo de ferreira leite, sugerindo que nunca esteve la, tal como o seu mestre Cavaco fez(parecem personagens clonadas!) não é mais que a frustração declarada por ver o caracter do seu Cavaquinho pela rua da amargura. Afinal, o sem caracter não é o Socrates. Quem fala verdade é o Marta, Oliveira e Costa dixit (na comissão parlamentar) e não Dias Loureiro. Bem podia o mesmo Oliveira e Costa desmentir o candidato Cavaco. É isto que a Ferreira Leite sabe e a faz desgostar, agora, da política.
    Lembram-se do livrinho que o marques mendes escreveu acerca da mesmissima classe política, quando foi corrido da presidencia do PSD? Esta gente cavaquista é mesmo reles!

  3. O ano de 2010 acabou mal. Uns dizem que foi dos piores anos que há memória. Outros que apesar de tudo foi melhor que o de 2009. Venderam-se mais automóveis, houve mais levantamento de dinheiro nas caixas de multibanco, os hotéis esgotaram a sua capacidade, para se arranjar uma viagem de avião para a Madeira o preço quase que duplicou. Se isto dá um sinal de um mau ano não sei o que é um bom.
    Nós, Portugueses, só sabemos ser pessimistas, nunca valorizamos as nossas capacidades. Só salta aos nossos olhos o que está mal. A uns, leva-se até às últimas consequências e com prejuízo da sua dignidade e da sua família nunca se provando nada. A comunicação social, escrita e falada, fica a jeito para os ataques mais ignóbeis de que há memória. A outros passam o algodão branco para limpar a sujidade em que alguns se meteram.
    Sei que o ano na questão climática, começou mal, bastante chuva, em certas terras houve inundações, para os lados de Belém ela tem encharcado o seu inquilino. Ele, quer-se pôr a jeito, o problema é que quando se nasce torto, tarde ou nunca se endireita. Fosse ele, Sócrates, a comunicação social tinha pano para mangas. O BPN, as faltas dadas às aulas na universidade onde leccionava não fazem uma única referência. Para avivar a memória a muitos aqui vai. “Ora, o que é facto é que o processo disciplinar instaurado ao Prof. Aníbal Cavaco Silva, e que conduziria provavelmente ao seu despedimento do cargo de docente da Universidade Nova, foi andando aos tropeções, de serviço em serviço e de corredor em corredor, pelos confins do Ministério da Educação.
    Até que, ninguém sabe bem como nem porquê,… desapareceu sem deixar rasto…
    E até ao dia de hoje nunca mais apareceu.
    Dos intervenientes desta história, com um final comprovadamente tão feliz, sabe-se que entretanto o Prof. Cavaco Silva foi nomeado Primeiro-ministro.
    E sabe-se também que o Prof. João de Deus Pinheiro veio mais tarde a ser nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros de um dos Governos do Prof. Cavaco Silva, sem que tivesse constituído impedimento a tal nomeação o seu anterior desempenho, tido geralmente como medíocre, à frente do Ministério da Educação.
    Do mesmo modo, o seu desempenho como ministro dos Negócios Estrangeiros, pejado de erros e sucessivas “gaffes”, a tal ponto de ser ultrapassado em competência e protagonismo por um dos seus jovens secretários de Estado, de nome José Manuel Durão Barroso, não constituiu impedimento para que o Primeiro-ministro Aníbal Cavaco Silva viesse mais tarde a guindar João de Deus Pinheiro para o cargo de Comissário Europeu.
    De qualquer modo, e como é bom de ver, também não foi o desempenho do Prof. João de Deus Pinheiro como Comissário Europeu, sempre pejado de incidentes e críticas, e de quem se dizia que andava por Bruxelas a jogar golfe e pouco mais, que impediu mais tarde o Primeiro-ministro Cavaco Silva de o reconduzir no cargo.” Randon Precision
    Foi preciso Deus para lhe abafar o processo disciplinar. Depois é só dizer que é preciso nascer-se duas vezes para se comparar a ele. Que modéstia. Sinto-me ofendido na minha moral e dignidade por ser tão mal tratado por quem devia ser um exemplo. Como em tudo ser sério não basta. É preciso parecê-lo. Não basta apregoar aos quatros ventos a sua conduta. É preciso demonstrá-la. Não basta remetermo-nos para os sites da Presidência da República. É preciso declará-lo. Argumenta que não presta mais declarações. Quando e onde é que as prestou?!

  4. que os políticos vivem num mundo à parte parece ser verdade, e faz um certo sentido. já não me lembro de qual foi, mas houve há uns bons anos um político que colocou a coisa em termos credíveis. disse que aquilo que mais o surpreendeu ao regressar, após muitos anos na vida política, à vida civil, era a constatação de o mundo real português ser susbstancialmente diferente do seu conhecimento anterior. explicou que tudo lhe tinha sempre chegado tão filtrado pelos intermediários políticos e, por outro lado, tão condicionado pelos pontos devista específicos de políticas seguidas, que era uma visão artificial da vida efectiva das pessoas. o choque era esta ser bastante pior do que, afinal, imaginava.

  5. A Ferreira Leite está a ver-se ao espelho. Com as apostas que fez enquanto líder do PSD, a sua política de verdade, a asfixia democrática, etc., bem que provou que vive num mundo à parte. Pelos vistos, e sem surpresa, não aprendeu nada com a derrota.

  6. Esta madame de pau carunchoso deve viver em Marte e de vez em quando desce à terra para dizer umas calinadas. Já agora; quanto é que os munícipes do Porto vão pagar pela farra comemorativa dos nove anos de Rui Rio à frente câmara do Porto ? Irá ele pagar do seu bolso ou será dos lucros das corridas de carros na cidade do Porto? Ou será ainda da coleta dos arrumadores de carros que ele prometeu acabar ao fim de seis meses de mabndato?

  7. Susana, acho que essa é uma questão inerente ao Poder, não exclusivamente politica. Claro que a organização do “nosso” Estado acresce ao problema, dado ser ainda demasiado bonapartista.

  8. A memória da senhora é mesmo muito curta. Aliás não lhe chamaria, memória porque as suas recordações perdeu-as. Vive agora noutra era e outra luta … a dos liberais europeus, porque de Portuguesa tem pouco.

  9. Valupi,
    Já mete raiva esta tralha cavaquista que se quer acima ou de fora da política porque nunca tiveram nem têm uma única ideia política na pinha para além da pose moral manhosa e fingida com que encobrem negócios comos os do BPN, BCP, BPP, etc.
    Mal acabou de ser corrida da presidencia de um partido, depois de décadas como responsável ministerial e outros altos cargoa políticos, esta velharia do caduco cavaquismo tem o desplante de vir criticar a política, os políticos o estado da sociedade actual, como se não tivesse nada a ver com a situação.
    Esta cultura de escola e índole cavaquista foi a pior coisa que aconteceu a Portugal depois de Abril e ainda vai deixar rastos de podridão pelos caminhos de romagem às catacumbas putrefactas desta mentalidade medieval. Não tendo uma única proposta política nova a propor, refugiam-se no regresso aos velhos métodos de fazer-se passar por não políticos para impingirem a sua política de mando ao estilo de grupo elitista sem categoria. E não se coibem de falar, a torto e a direito, da “verdade” como se fôra um poder mágico de que são detentores por revelação, para resolverem todos os problemas duma penada.
    Só que o Portugal de hoje já não é o de há 30 anos, o anlfabetismo é residual, as escolas e universidades vivem apinhadas e, mal ou bem os portugueses hoje sabem muito mais e sabem discernir por entre o palavreado moralista da verdade e da honestidade, as sombras negras que se projectam quando tal palavreado sofista passa à acção.
    Actualmente o cavaquismo, tal como esta figurona da escola, tentam sobreviver refugiando-se no revisionismo de Rui Rio. Creio, contudo, que RR após tanto fracasso e mau exemplo dos alunos dilectos, já não se reverá tanto na escola do cavaquistão quanto os abencerragens fundadores. Apenas se agarram a RR como tábua de salvação como sobreviventes.

  10. Esta mania dos tipos e tipas do psd dizerem mal dos políticos portugueses é curiosa, leia-se o Sousa Tavares hoje no Expresso. Como se eles proprios não fossem politicos. Estão a apelar ao salazarinho que há em cada português. E o bispo Ortiga sobe a parada dizendo mal dos partidos. Saudades do antigamente.

  11. O fim do Mundo em que nascemos já aconteceu, só que poucos deram ainda por isso. E o Mundo novo, em que iremos morrer, já viu a luz do Sol, só ainda não apareceu é nas televisões, nem nos jornais. Mas não há-de tardar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.