Faz hoje 1 ano que

Faz hoje 1 ano que o Presidente da República escolheu a solenidade da sua tomada de posse para iniciar o processo que levaria à queda do Governo em poucas semanas. Fê-lo com um discurso comicieiro onde ofendeu toda a classe política e apelou à revolta popular nas ruas. Fê-lo nunca se referindo à problemática europeia e colocando no Governo o exclusivo ónus pelos constrangimentos financeiros. Fê-lo de modo tão desvairadamente rancoroso que nem lhe ocorreu naquele institucional e simbólico momento fazer uma mínima referência às Forças Armadas de que é Comandante Supremo, sequer aos militares que representam Portugal no exterior arriscando a vida em diversos conflitos internacionais. Fê-lo depois de ter consultado os principais responsáveis pela situação política e económica portuguesa, incluindo Durão Barroso, ao longo do mês de Fevereiro. Fê-lo na posse de todas informações de que precisava para decidir de acordo com os melhores interesses do País. Fê-lo do alto da sua propalada excelência em economia e finanças. Fê-lo sabendo que a abertura de uma crise política levaria a eleições, e que a ida para eleições arrastaria Portugal para um empréstimo de emergência em condições ruinosas. Fê-lo depois de ter prometido na campanha eleitoral vir a colaborar com o Governo para ajudar Portugal a sair da situação de pressão dos mercados. Fê-lo apesar de ter garantido aos portugueses que só ele poderia dar estabilidade ao País nos tempos mais próximos.

Eis o que 1 ano depois sabemos:

– Cavaco mentiu com a intenção de enganar o eleitorado. Caso tivesse anunciado que pretendia correr com Sócrates na primeira oportunidade, provavelmente não teria ganhado as eleições ou, no mínimo, teria ido à segunda volta.

– Cavaco mentiu ao dizer-se apanhado de surpresa pelo PEC IV, o qual era assunto corrente na Europa, logo em Belém.

– Cavaco mentiu ao dizer-se incapaz de promover uma solução política que levasse à aprovação do PEC IV, posto que não deu qualquer sinal de a querer, antes pelo contrário.

– Cavaco sacrificou o interesse nacional com o único fito de afastar Sócrates e PS do poder.

Resultado? É perguntar aos portugueses que viram a sua vida a empobrecer abrupta e avassaladoramente logo a partir de Abril de 2011, ainda antes da troika e de Passos-Relvas, quando a economia fez aquilo que a Manela tinha inscrito como único objectivo no seu programa: parar tudo, meter travões a fundo no investimento e no consumo e o dinheiro desaparecer de circulação.

Para cúmulo da humilhação, os senhores responsáveis pela degradação irreversível da situação política e económica em 2011 dizem-se os salvadores da Pátria e continuam a despejar as responsabilidades pelas suas decisões para cima daqueles que estavam a fazer os possíveis, e até alguns impossíveis, para evitar este sofrimento absurdo e vil. Todavia, como se vê pelas sondagens, pelo comportamento da oposição e pela atitude das figuras públicas, temos o que merecemos. Temos precisamente aquilo que queríamos: um bode expiatório e milhões de borregos absolvidos de qualquer culpa.

53 thoughts on “Faz hoje 1 ano que”

  1. ruptura d’ aspirina, se o macedo não paga às farmaceúticas prá semana já nem betadine há. e o livro que o man acabade lançar para branquear a imagem das 40.000 assinaturas? aposto que não vende 40 exemplares.

  2. Os portugueses se soubessem que o Cavaco queria mandar o Sócrates para Paris não votavam nele?? isso é assim tão linear?? Então e porque passado 6 meses deram uma votação ao Sócrates ao nível do Santana?? Já agora a vida dos Portugueses não anda para atrás por o Sócrates ter ido passear para universidade, mas parece que é por não termos dinheiro para mandar cantar um cego. É verdade que devemos ter o que merecemos o Eng fartou se de prometer este mundo e aquele e no fim do seu mandato o que fica afinal.. um país mais pobre, desemprego a aumentar, divida publica astronómica, um défice superior ao mítico 6.833333333% do PIB, falências e mais falências, aumento de injustiças sociais, impostos e mais impostos. Será que o Sócrates tinha sido eleito depois de 4 anos a olhar para o seu umbigo, a prometer obras megalómanas e a omitir valores da execução orçamental de 2009, quando o défice ia chegar perto dos 10% em vez dos cerca de 6% jurados em praça publica? Será que tinha sido eleito se não tivesse aumento os funcionários publico quando não havia condições para isso? Será que tinha sido eleito se não tivesse prometido não acabar com os benefícios fiscais em sede de IRS como prometeu no debate com o Louça?? Mesmo assim ainda obteve uma maioria relativa.

    Infelizmente temos tudo menos o que queríamos, temos um país pobre e cada vez mais pobre, e com pouca esperanças em melhorias num futuro próximo. Enfim este é o legado do grande estadista eng Sócrates.

  3. oh zé! vende os direitos autor à deolinda pode ser que vire musica oficial da próxima manif dos 300 a promover pelo cavacóide.

    fónix lá prá servideira

  4. Cavaco é um político miserável, um presidente indigno e um homenzinho vil e desprezível.

    Com este autêntico epitáfio à sua vida pública – sim, porque a partir de agora não passará de um morto-vivo a aguardar a tumba, sem direito a qualquer inscrição na História -, o ex-Grande Sonso, finalmente transmutado em cão danado, está apenas a ladrar as seguintes e apavoradas mensagens:

    1ª) Não sou eu o principal culpado da situação trágica em que Portugal se encontra e que tende a piorar a níveis insuportáveis;

    2ª) a Direita que não me bata mais, porque eu é que fui o campeão do derrube do Sócrates;

    3ª) a Esquerda que não me hostilize que, se eu quiser e me der na gana, tenho a desfaçatez suficiente para fritar o Coelho e defenestrar o Gaspar enquanto o Diabo esfrega um olho!

    Está doente, este homúnculo. Arrisca-se a não só não ter ninguém no seu funeral, como a nem sequer ter visitas quando for definitivamente internado, já que não deve ir a tempo de um dia ter de ser, eventualmente, encarcerado.

    Ou então, ponha-se a pau, não vá ainda a gente de bem deste País passar-se dos carretos e um dia destes rumar mesmo a Belém e trazê-lo de rojo até ao Terreiro do Paço, onde já não seria a primeira vez que se escreveria direito por linhas tortas na História de Portugal…

  5. Oh Zé, deste na mouche: um país pobre e cada vez mais pobre. Os motivos para estar cada vez mais pobre é que te escapam.

    Não ligues ao rancor da boliqueimada criatura, o tal que nunca foi político. Se isso fosse verdade, os políticos não teriam hoje tão má fama…

    Quanto ao resto, basta ver quem é que tinha fama de mentiroso e quem é que é um aldrabão consumado. Ainda lhe dou a desculpa que não é um mentiroso compulsivo. É só um aldrabão incompetente e com uma agenda que lhe traçaram.

    As Lusopontes que para aí devem ir…

  6. Tambem há esquerda trauliteira, mas só em portugal, ou talvez algum zorba grego mas estes têm direitos adquiridos.

  7. O ainda presidente só mancha cada vez mais a imagem que cabe à instituição que jurou respeitar…!
    Deste homem, que se transformou no cabecilha da MÁFIA DO PSD QUE QUERIA O POTE PARA ENCOBRIR O BRANQUEAMENTO DAS NEGOCIATAS DO BPN, E PARA DESTRUIR O ESTADO SOCIAL, deste homem já não há mais nada a esperar senão uma descida aos infernos do despeito e do ódio primário, imagem quixotesca invertida.

  8. oh josé, queres fazer de nós parvos ou quê? dá-nos números meu caro e não retórica balofa! os 6.83% de défice do santana comparam com o quê na europa? com o superavit espanhol. os 10% de 2009 comparam com o quê? com os 12% espanhol. é que por acaso houve uma crise que não foi nenhum abalozinho e ainda está aí para durar (tivesse o sanatana/barroso apanhado com ela e não teria sido a grécia o primeiro país a ser intervencionado). qual foi o decréscimo da receita fiscal em 2009, zézinho?

    cavaco, tal como aparece descrito nas weakleaks, é um sujeito vingativo.

  9. Comparam com o pântano de Guterres e companhia e o abismo que desde aí vimos a pautar com 10 anos de crise em Portugal, porque nós somos inovadores não precisamos da crise de 2008, pois desde 2000 que isto anda de mal a pior!!!!!

  10. Caro Val,
    este PR vai ficar para a história como o homem das oportunidades perdidas!
    O homem que quando chega ao poder em 1985 tem uma divida pública de 56,1% do PIB, com dinheiro a entrar a rodos e numa base constante, deixa o país com 60,9 % do PIB, Guterres baixa-a para 55,7, e dizia-se que estavamos no pântano, de onde nos tiraram Durão Barroso, Santana e Portas deixando-a em 64,7!
    Sócrates, por sua vez, antes da crise que afetou a economia a nível mundial, fala em dois anos baixar 2 pontos (62,7) tendo a mesma disparado a partir daí, mas claro que a culpa foi do Sócrates!
    Como é que alguém é brilhante gestor aumentando 7,8% a dívida pública em 10 anos de estabilidade e vacas gordas, ou os parceiros a façam subir 13,9% em apenas dois anos, e o mau da fita seja quem a fez baixar 3,1 % em dois anos ou fazendo-a subir para mais 1% do PIB no ano de todas as crises, causa-me perplexidades sem fim.
    Claro que a partir daí, sem mecanismos ao seu alcance e dependente das políticas de Bruxelas, com um presidente a defender os mercados, a oposição a falar na não existência da crise que agora é a razão fundamental para tudo, nada admira.
    O cidadão Cavaco, ilustre não-político que anda há anos a exercer cargos políticos, que afirma nem receber nada pelo lugar que desempenha esquecendo que foi a sua opção pessoal uma vez que o vencimento era mais pequeno do que a sua dourada reforma, tenta, mais uma vez atirar para cima dos outros a asneirada que vem fazendo com a proteção de muito carneiro que vai à urna da mesma maneira que vai ver um desafio de futebol.
    Ter como representante máximo de um país, alguém de quem se noticiam coisas complicadas, negócios pouco esclarecidos e que ninguém tem interesse em investigar, antigos companheiros de percurso a braços com a justiça, pelos vistos, nada é comparado com as prendas natalícias que alguém diz que um sucateiro oferecia, uns dinheiros que alguém diz que tinha pago mas que não o conseguiu demonstrar até à data, ou a negócios de família pouco claros que nuns são um crime hediondo e noutros são apenas vis insinuações.
    Quanto ao livrito, penso não o ler, pois estou habituado a leitura mais interessante e se me quiser rir compro um livro de algum humorista conhecido ou ouço os antiigos discos do Solnado.

  11. oh zé! se recuares mais um bocado vais descobrir que só houve saldo favorável quando andámos a gamar no brasil

  12. O descoco do gajote de Boliqueime em falar de deslealdade!
    Diz que a marosca do PEC IV vai entrar para a história da democracia.
    Quem vai entrar é ele, mas pela tampa do esgoto.
    Cavaco, o mentiroso compulsivo da história do PEC IV.
    Cavaco, o deslealíssimo perpretador da inventona das escutas de Belém.
    Cavaco, o ganancioso e aldrabão das acções do BPN e das pensões de reforma.
    Cavaco, o ínfimo.
    Cavaco I, o Último.

  13. pois não está tudo dito, ou melhor, nada está feito:pois se a 1ª figura do Estado é consensualmente corrupta, imoral, amoral, mentiroso, mesquinho, senil,acha que é o super-herói da honestidade e da política, apesar de se afirmar como não político e ser político “com muito orgulho” há 16 anos,o que é que faz falta???
    Vejamos: o Salazar ainda se podia dar a estes luxos porque estva em ditadura. Mas HOJe, vamos deixar por aqui?
    Mas somos pessoas ou somos vermes?
    http://www.youtube.com/watch?v=8dNbymstZjs
    Excuse me Mr.
    do you have the time
    or are you so important
    that it stands still for you

    excuse me Mr.
    won’t you lend me your ear
    or are you not only blind
    but do you not hear

    excuse me Mr.
    but isn’t that your oil in the sea
    and the pollution in the air Mr.
    whose could that be

    so excuse me Mr.
    but I’m a mister too
    and you’re givin’ Mr. a bad name
    Mr. like you

    so I’m taking the Mr.
    from out in front of your name
    cause it’s a Mr. like you
    that puts the rest of us to shame
    it’s a Mr. like you
    that puts the rest of us to shame

    and I’ve seen enough to know
    that I’ve seen too much

    excuse me Mr.
    can’t you see the children dying
    you say that you can’t help them
    Mr. you’re not even trying

    excuse me Mr.
    won’t you take a look around
    Mr. just look up
    and you will see it’s comin’ down

    excuse me Mr.
    but I’m a mister too
    and you’re givin’ Mr. a bad name
    Mr. like you

    so I’m taking the Mr.
    from out in front of your name
    cause it’s a Mr. like you
    that puts the rest of us to shame
    it’s a Mr. like you
    that puts the rest of us to shame

    and I’ve seen enough to know
    that I’ve seen too much

    so Mr. when you’re rattling
    on heaven’s gate
    let me tell you Mr.
    by then it is too late

    cause Mr. when you get there
    they don’t ask how much you saved
    all they’ll want to know, Mr.
    Is what you gave

    excuse me Mr.
    but I’m a mister too
    and you’re givin’ Mr. a bad name
    Mr. like you

    so I’m taking the Mr.
    from out in front of your name
    cause it’s a Mr. like you
    that puts the rest of us to shame
    it’s a Mr. like you
    that puts the rest of us to shame

    (anonimo, podes entrar quando quiseres)

  14. estou a fingir de morto com um sorriso nos lábios, radioheadphones na mona e um copo de betadine com água do castelo na outra, a associação de farmácias não me vende mais alcool enquanto não pagar o que devo.

  15. pronto, je reponds à la tendresse..j’ai déjà repondue, sans savoir…
    merci, anonymous.
    (o franciú tá ferrugento por causa dos amaricanos)

  16. tenho bués, mas mas não saem das caixas, só vou ao nimas pela orelha e baralho tudo o que vejo. se apanhaste o filme podes legendar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.