5 thoughts on “Exactissimamente”

  1. é a miséria do euro e a paciência elástica. havia de ser assim: quando se desemprega um milhão ao presidente cabe, pelo menos, a demissão. mas também quando se tem um trafulha português, junta-se lhe logo mais dois ou três. é assim, enfim, hora a hora o país chora. há, contudo, mais marés do que marinheiros e por estes dias há-de rebentar a justiça no país das sombras dos sobreiros.

  2. Veja-se este lapidar pensamento de Miguel Torga que nos define enquanto povo com a crueza poética de que só ele é capaz:

    “É um fenómeno curioso: o país ergue-se indignado, moureja o dia inteiro indignado, come, bebe e diverte-se indignado, mas não passa disto. Falta-lhe o romantismo cívico da agressão. SOMOS, SOCIALMENTE, UMA COLETIVIDADE PACÍFICA DE REVOLTADOS!”
    Miguel Torga

  3. pois, esse é o problema, com um povo assim, esperamos que um dia se transforme em volte em glória por entre o nevoeiro. Mas a questão é que fosse no dia, no dia-a-dia. Quando é preciso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.