Charco

Primeiro, promiscuidade e perversão

Depois, caladinha, chiu

Agora, promiscuidade e perversão, take two

Fernanda Câncio mandou uma pedrada no charco. O charco é o Público, onde Cerejo se fez assistente do Ministério Público para continuar uma cruzada. O resultado da sua actividade promete: ainda podemos vir a descobrir que os titulares do processo assinaram um despacho de acusação, ao fim de seis anos de investigação, em que concluem não terem encontrado indícios suficientes para acusar quem quer que fosse pela prática dos crimes de corrupção, tráfico de influência, branqueamento de capitais ou financiamento partidário ilegal no processo de licenciamento do centro comercial Freeport, em Alcochete.

8 thoughts on “Charco”

  1. Olá Valupi,

    Não sou jurista, no entanto sei que a melhor garantia de sobrevivência dum estado de direito é a interiorização pelos seus cidadãos (os ditos comuns, como eu) daquilo que são os alicerces desse mesmo estado de direito.

    Que significa isto? Que deve soar um alarme nas nossas cabeças quando há fugas de informação numa investigação a decorrer, quando um jornalista que relata factos é simultâneamente assistente no processo que relata e quando um caso é abordado com o objectivo de comprovar uma culpa previamente determinada fruto de convicção pessoal, logo subjectiva .
    Tudo isto deverá parecer pelo menos estranho ao cidadão comum dum país onde impera o estado de direito e para que isso aconteça é necessário aprender e amadurecer . Somos os seus primeiros guardiões. Quem ignora ou relega para segundo plano estes factos está indirectamente a assumir a sua visão da justiça e da legalidade. Não admira que alguns aceitem facilmente a suposta “culpa” alheia não comprovada…estão a admitir a sua própria conduta.
    Tem por isso toda a razão Fernanda Câncio no que escreve. O estatuto e conduta de Cerejo é estranhíssimo, no mínimo.

    Por estes motivos leio o que escreve aqui no Aspirina B, porque a sua bandeira não são primeiramente pessoas, é o princípio em si da presunção de inocência até prova em contrário. Não está isolado nessa posição, somos mais.

    A justiça funcionará mal, ou por vezes mal, se nós cidadãos não soubermos exigir dela o necessário. Estas situações também nos permitem amadurecer democraticamente … espero que o tempo venha a permitir isto mesmo.

  2. Faço um ESFORÇO, mas faço um ESFORÇO muito grande para não falar a sério nesta matéria da JUSTIÇA. A Fernanda Câncio já tem idade bastante para pensar, reflectir. Ela não manda pedradas no charco. Ela simplesmente não sabe o que diz e não é por falta de na Vida dela não ter aprendido alguma coisa nessa matéria.

    Quanto a você Valupi, só me sugere o personagem «tou-te aber». Porra pá, cum catanu, você e as calinadas são gémeos.

    Não puvliques, PÁ, istu é só pra ti.

  3. JPFERRa. Oube lá meue. Tens razaoe nas duas hipotezeses.

    Quanto a ti ó ANIBAL, tenze nome de forcadu, alembras-me o gajo de Velém, e ESTUPIDO és tue, meu marrecu. Vai makilhare o olho traseiro pra ber se te entreténs e penças malhore.

    Manganaoe do catanu.

  4. Já esteve aqui a nossa Sofia cheia de sabedoria de Istambul na Turquia, que nos leu, com a escorreiteza do sizo das meninas de juizo, o Cancioneiro da jornalista moderna e irrequieta; já tivemos também as palavras doutas e minhotas do Toutaber; depois chegou o jpferra que fundeou e zarpou de imediato sem tomar gosto à lama usada pelo Gama, e logo a seguir, com despaco incrível e autoritário se apresentou Aníbal, e, pela ordem natural das coisas, daqui a uma hora devem estar a aparecer por aí os Elefantes, se não chegarem antes.

  5. GIROFLE

    Mas de mim gostas, num é? Tas a ber tou-me a cagare para todus, menus pra ti, respeitu a dossura do Sr. Paxecu, a intelagênssia da claudia e o JFK, apesar de já me ter xamadu nomes, é outro ke leio.

    o pulha do Balupi, tem que ma comksitare, esse caga merda nem sequere satrebe a dizere-me o ke saja, axo bem, ó ranhetas.

    oube lá penças ka soue do minhu? terra voa, meue, mas soue doutro cítio.

    balupi, biatu caralhadu puvlica isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.