Bagão tem a solução

Há uma solução que é um governo PSD, CDS, PCP. Uma ideia “provocative”. Não estou a dizer que pode vir a acontecer, mas nós precisamos de abanar a cabeça senão morremos atrofiados. É quase impossível chegar a acordo com o PCP, mas, se alguma vez se chegar a acordo, este será cumprido. O PCP é muito respeitador, institucionalista. Não é a fantasia do Bloco de Esquerda.

Bagão Félix em 5 de Março de 2011

__

No começo de Março de 2011, quando Portugal poderia ainda escolher soberanamente o destino a seguir apesar dos pesares, este passarão do Bagão até com os comunistas iria para a cama caso isso lhe garantisse ver o seu querido CDS e o estupendo PSD a salvarem o País das garras dos tenebrosos socialistas e seus viciosos esquemas de promoção dos cuidados de saúde, dos apoios sociais, da educação, da geração de energias alternativas, do investimento na qualificação, na promoção da ciência e da tecnologia, da construção de vias rodoviárias no Interior, da dinâmica e ousadia nas exportações, na reforma do Estado e uma quantidade imensa de outras falhas que andavam a deixar a população em péssimas condições morais. Como ele mesmo nos diz, os direitolas corriam o risco de morrerem atrofiados, e o caso não era para menos.

Ora, se em 2011 se justificava o acarinhamento deste sonho lindo acima pendurado, quão mais em 2013, altura em que a devastação passista causada nesta desgraçada terra ultrapassou até o próprio fundamentalismo da Troika. Como Seguro não pode mostrar a mínima vacilação sob pena de perder o lugar, só resta ao Governo, e de facto, o PCP como aliado. Imagine-se o que não seria para Merkel e Barroso poderem dizer que em Portugal o consenso ia desde o CDS ao PCP. O Mundo quedaria boquiaberto e o papa Francisco seria de imediato aclamado como o inspirador do milagre. Pelo que só resta transformar o impossível em possível. E isso consegue-se oferecendo ao PCP os seguintes ministérios:

– Ministério dos Sindicatos
– Ministério das Manifestações
– Ministério da Constituição
– Ministério da Festa do Avante

E chega. Quanto ao resto, não faltam afinidades. Basta fazer um levantamento das votações entre 2009 e 2011. E se mais nada houver a ligar este terno, recorde-se com Bagão que o PCP é muito respeitador, institucionalista. Quer-se dizer, o PCP é tão inútil para o desenvolvimento do País que até dá gosto.

32 thoughts on “Bagão tem a solução”

  1. É precso repetir, até fazer mossa, que a esquerda PCP e BE entregou a governação do país aos coveiros do estado social. Se os eleitores daqueles dois partidos esquerdistas e anti-patriotas inistirem no seu voto, vamos assistir à decomposição ainda mais acentuada da nossa sociedade.

  2. Tenho pouco tempo, agora, mas preciso de vos dizer uma coisa: tomem cuidado com a direita nacional-socialista; essa direita que já percebeu as duras realidades do país e pende para a saída de Portugal da Zona Euro.

    A situação social de Portugal é parecida com a da República de Weimar. Os nazis (que nunca entraram em acordo com os sindicatos e com os comunistas alemães) seduziram porém a sua base social de apoio, com um programa que defendia a melhoria sensível das condições de vida do trabalhador. Assim captaram para o seu lado boa parte do eleitorado das zonas onde os sindicatos, os sociais-democratas e os comunistas eram mais fortes. Quando chegaram ao poder, em 1933, ao mesmo tempo que cumpriam a promessa eleitoral, geraram um pretexto (incêncio do Reichstag) de modo porem na prisão os dirigentes comunistas e sociais-democratas que não se «converteram» ao nacional-socialismo.

  3. Obrigado. Vou esfregar esta na cara dos meus amigos do CDS.

    Mas era dispensável aproveitar esta linda oferta do Bagão para de caminho malhar nos Comunistas, que até ver não encomendaram o sermão ao incompetente ex-Ministro das Finanças do défice descomunal de 6,9% ainda na era pré-crise.

    Ou já é com vinagre que se apanham moscas?

  4. anel soturno,essa realidade dos 6.8% nunca foi tida em conta pelo pcp, e por isso foram dar uma volta juntos até a assembleia da republica,para votarem contra o pec 4,para para o derrube do ps, em nome da defesa dos interesses dos trabalhadores. no futebol este golpe tem um nome ” beneficio ao infrator ” na politica tem outro ” mais um frete do pcp à direita” tendo em vista o quanto pior melhor.

  5. Ok, nunocm, obrigado pelo elogio, se achas que me mantenho jovem de espírito. Tu também…

    Já vi que não o fizeste com intenção, mas olha que acrescentar à lista dos Ministérios atribuídos ao PCP, neste texto que comentamos, um “ministério do saco azul” parece-me, a mim, gratuitamente ofensivo para com este Partido.

    Sobre o qual, como sabes, até concordo plenamente com tudo o que dizes! Mas mesmo na crítica contundente não devemos exagerar, nem passar da medida justa.

    Fica registado para quem nos lê e, se concordares, melhor ainda (por mim, também estás desculpado…).

  6. Bagão apenas reconhece os serviços prestados à direita pelo PCP.

    O PCP, além de ser o partido que cativa, blinda e inutiliza 8 % de votos, que assim ficam indisponíveis para sustentar qualquer coligação de esquerda, é o partido que mais ataca o PS desde 1975 e que tem colaborado sempre que pode, no parlamento e fora dele, com o derrube de governos socialistas.

    Desde 1975 que o PCP considera que os eleitores socialistas são enganados e traídos pelo partido em que votam.

    Desde 1975 que o PCP está convicto de que a sua base de apoio só pode alargar-se à custa do PS.

    Desde 1975 que o PCP tenta inutilmente que os eleitores socialistas deixem de votar no PS e votem no PCP.

    Desde 1975 que o PCP tenta em vão convencer o PS e os socialistas a adoptarem o programa e as posições do PCP.

    Desde 1975 que o PCP recrimina todos os dias o PS por não adoptar as posições e programas comunistas.

    Desde 1975 que o PCP se considera o proprietário legítimo dos votos que os eleitores dão ao PS.

    Desde 1975 que o PCP acusa todos os dias o PS de estar conluiado com a direita, quer o PS esteja no governo quer na oposição.

    O PCP é isto e nunca sairá disto. Bagão, reconhecido, tira-lhe o chapéu.

  7. João,

    como é que o PCP anda nisto que reproduzo abaixo há 92 anos, se só há PS (legal) há 40 anos???? (não 38, como dizes). Explica lá devagarinho.

    “Desde 1975 que o PCP considera que os eleitores socialistas são enganados e traídos pelo partido em que votam.

    Desde 1975 que o PCP está convicto de que a sua base de apoio só pode alargar-se à custa do PS.

    Desde 1975 que o PCP tenta inutilmente que os eleitores socialistas deixem de votar no PS e votem no PCP.

    Desde 1975 que o PCP tenta em vão convencer o PS e os socialistas a adoptarem o programa e as posições do PCP.

    Desde 1975 que o PCP recrimina todos os dias o PS por não adoptar as posições e programas comunistas.

    Desde 1975 que o PCP se considera o proprietário legítimo dos votos que os eleitores dão ao PS.

    Desde 1975 que o PCP acusa todos os dias o PS de estar conluiado com a direita, quer o PS esteja no governo quer na oposição.

  8. até te dou uma abébia: no tempo dos pides, houve PCs a denunciar simpatizantes socialistas*. Já nessa altura, pernate o facínora do regime facho, as prioridades eram outras.

    *Sim, porque houve socialismo e partidos socialistas antes de 1973, altura em que foi fundado o PS actual…E esta?

  9. e ainda mais uma achega:

    num post que expõe um gajo de direita a querer misturar-se com o teu PC, não devias estar a mostrar a tua indignação face a essa tentativa indecente de namoro ? Em vez de atacares quem está fora da aliança, tanto do ponto de vista da tua verdadeira esquerda, como da coincidente verdadeira direita?

  10. enquanto pensas durante mais 92 anos na resposta, digo-te: mais me ajudas, há 92 anos nisto e …népia, nil, nestum, nicles. ah, já me esquecia, temos ainda a coreia do norte a lembrar a força do quê, mesmo?

  11. João, falas nos 92 anos do PCP. Tens toda a razão, já o Salazar se sentia grato ao PCP, como agora o Bagão. Metia uns tantos comunistas na cadeia, matou alguns (menos, em 40 anos, do que Estaline matava num dia), mas estava-lhes profundamente agradecido. O “perigo comunista” serviu-lhe à perfeição para justificar o seu regime perante a Europa democrática e a América do pós-guerra. Tivemos mais 30 anos de salazarismo graças à preciosa existência do “perigoso” PCP.

    “Perigo comunista” dá vontade de rir… Henrique Galvão ou Humberto Delgado, que nunca gramaram comunistas, fizeram tremer Salazar. O PCP nunca tirou o sono ao ditador, nem por um dia.

    A grande tragédia do séc. XX em Portugal foi o binómio Salazar/PCP. Qual deles mais daninho que o outro. Já pagámos muito caro essa santa aliança e ainda estamos a pagá-la. É mil vezes pior do que a dívida externa…

  12. Sim, Júlio eu percebo esse seu argumento. Para você e para os socialistas a oposição ao regime de Salazar seria a de deixar o regime à vontade e que acabasse quando quisesse ou quando alguém, que não vocês, fizesse alguma coisa.

  13. oh joão! se puseres aí o link para a acta do comité central do pcp que decidiu fazer o 25abril convences 1/2 mundo e nas próximas a comunada forma o tal governo patriótico da canhota, até lá não passam de empatas & bufos com manias de exclusividade no derrube do botas, só falta dizerem que o caruncho que sabotou a cadeira do salazar trabalhava para a ara a tempo inteiro.

  14. Ah ignatz mas eu não disse que foi o PCP que fez o 25 de Abril, o PCP andou na oposição ao fascismo durante o fascismo ao contrário dos socialistas que nunca quiseram andar na clandestinidade.

  15. João, a clandestinidade em si mesma não me impressiona nada. Com clandestinidade ou sem ela, o PCP nunca incomodou realmente o regime de Salazar. Diga-me lá quando é que o Salazar esteve preocupado com os comunistas? Quando é que o PCP abalou ou fez tremer o Estado Novo? Quando é que o PCP fez uma tentativa para derrubar o regime? Como sabe, se é que sabe, houve muitas tentativas de derrubar o regime, mas nenhuma promovida pelo PCP. Centenas de civis e militares não comunistas (socialistas, anarquistas, republicanos, simples democratas, católicos, monárquicos, etc) foram presos e muitos foram obrigados a exilar-se. Muitos estiveram no Tarrafal, alguns foram mortos. Será que você sabe disso? Não deve saber.

    Como lhe disse, o PCP serviu ao ditador durante a guerra fria para convencer os ingleses e os americanos que só ele podia fazer frente ao comunismo aqui e em África. Quem incomodou realmente o Salazar foram o Delgado e o Galvão (as duas maiores figuras da luta aberta ou clandestina contra o regime), os movimentos de libertação africanos, o bispo do Porto e os católicos anti-salazaristas. Já me esquecia do Palma Inácio, que sozinho valia mais do que os comunistas todos juntos.

    O partido estalinista nunca valeu nada. Só prejudicou, só serviu para descredibilizar a oposição ao regime. Qualquer opositor era logo conotado pelo regime com o comunismo. E os comunistas eram os que desde 1920 incensavam o paraíso soviético e justificavam todos os crimes de Estaline. Por isso convinha muito a Salazar que a oposição fosse conotada em bloco com o PCP, para a descredibilizar.

    Se dependesse do PCP, não teria havido 25 de Abril. Mas para si, que papou a “epopeia gloriosa da clandestinidade”, as centenas de anos de prisão dos membros do comité central e outras iguarias avariadas, isto que eu lhe digo é tudo uma heresia. Fique-se com a sua história mítica da oposição comunista, se lhe dá jeito, que eu não perco mais tempo com isto.

  16. Obrigada, Júlio, pela reposição certeira da história. Tens noção, no entanto, que para o João o que ficou retido de tanta verdade, é que não passas de um revisonista?

  17. Júlio, você beira o ridículo. Parece estar com muita azia. Não tenho culpa que você esteja vinculado a um partido que se tornou sinónimo de corrupção. Talvez o Tozé Seguro consiga melhorar o conceito do PS e digo isto sem sarcasmo. Não há mais paciência para o ressentimento dos socratistas.

    Há literatura* que não vem do PCP que fala sobre o papel que os comunistas tiveram durante o salazarismo. Naturalmente que se Salazar esteve no poder praticamente até morrer os esforços do PCP não foram coroados pelo derrube do regime, e não foram poucos os insucessos, mas ainda assim muito se fez.

    Por exemplo:

    http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223475879Q8mCY0fo4Hz65JB3.pdf

  18. Para analisar com rigor o papel do PCP na luta contra a ditadura, é necessário saber do que se está a escrever.

    A ignorância de certos comentadores merece reprovação, não se escreve de ânimo leve, sobre um periodo muito duro da história deste País , e da coragem daqueles, POUCOS, que não aceitaram vergar-se ás ordens do ditador.

    O respeito por esses cidadãos , exige , contenção e rigor.

    Não sou nem NUNCA FUI do PCP, mas não deixo de lembrar aos comentadores do PS, que sem os votos e o apoio do PCP:

    Mario Soares não tinha derrotado Freitas do Amaral.

    Jorge Sampaio não tinha derrotado Cavaco Silva
    e o mesmo Jorge Sampaio não tinha derrotado Marcelo Rebelo de Sousa.

  19. oh augusto! ignorante és tu e deves ter levado lavagem à ervilha pensante. se hoje existe partido comunista, bem podes agradecer aos socialistas que não deixaram que essa merda fosse ilegalizada no 25novembro.

  20. “se hoje existe partido comunista, bem podes agradecer aos socialistas que não deixaram que essa merda fosse ilegalizada no 25novembro”.
    Exacto. Já o inverso não se pode dizer, isto é, não se pode esquecer a tentativa de golpe comunista no sentido de eliminar da vida política nacional o PS e todos os não PCs, enfim, toda a “reacção”. Esse foi um dos momentos altos do socialismo português: mostrar como se PRATICA a democracia. Com actos.
    Claro que isto capitalizou em ressabiamento dos comunas fora os “sapos” posteriores. E esse ressabiamento sempre foi para eles mais importante que o interesse dos governados. Deve ser por alguma intuição disso (por cultura política desenvolvida, não será tanto) que o eleitorado não os deixa passar da cepa torta. Também é verdade que se têm vingado bem no eleitorado ingrato. Primeiro o combate – na acção parlamentar- à “direita” socialista, e depois faz-se uns discursos condenatórios da situação resultante, como se não tivessem nada a ver com ela.

  21. Mas as grandes inteligências que por aqui escrevem, sabem alguma coisa do que foi na realidade o 25 de Novembro?

    O PCP NUNCA quis tomar o poder , nem fazer nenhuma revolução, quis sim ter mais poder no aparelho de Estado, e se possivel mais ministérios.

    Na correlação de forças que existia na Europa á época, Portugal país da Nato estava na esfera de influência do EUA, e o PCP NUNCA questionou essa influência , aliás sempre que a Esquerda Revolucionaria saiu á Rua a protestar contra as provocações da Nato, NUNCA teve o apoio do PCP, e teve esse partido muitas vezes claramente CONTRA.

    O GOLPE do 25 de Novembro orquestrado pelo PS-PSD-CDS, com o apoio do grupo dos nove, do qual faziam parte entre outro Melo Antunes, que NEGOCIOU com Cunhal dias antes do 25 de Novembro.

    Dessa negociação poucos falam porque não convém, mas tirando o desmantelamento das unidades afectas ao Copcon, a prisão de Otelo, de Mario Tomé, e de mais umas dezenas de militares, não afectos ao revoltosos do 25 de Novembro nem ao PCP, ficou tudo quase na mesma.

    O governo PSD-PS-PCP continuou em funções, a esquerda militar foi neutralizada , e o exercito expulsou todos aqueles não alinharam com os golpistas do 25 de Novembro, ou que não faziam parte do acordo Cunhal , Melo Antunes.

  22. “O PCP NUNCA quis tomar o poder , nem fazer nenhuma revolução, quis sim ter mais poder no aparelho de Estado, e se possivel mais ministérios.”

    não queriam poder, querendo poder? explica lá como é que funcemina o esquema.

  23. e queriam ter mais ministérios e mais poder pela força: essa é que é grande questão da força do pc, é que pelos meios da democracia, tá quieto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.