Assinar ou assassinar

As testemunhas abonatórias de Vítor Magalhães e António Paes Faria não terão dificuldade em encontrar as suas assinaturas nesta declaração conjunta com Cândida Almeida. O que recoloca a questão no seu ponto inicial: a decisão de incluir as 27 perguntas a Sócrates no despacho, assim como a invocação do argumento da falta de tempo para as efectuar, são, em si mesmos, actos irregulares ou ilegítimos. Que tal tenha sido feito com autorização de Cândida Almeida, eis algo que não vai ser a comunicação social a conseguir explicar. Continuamos a precisar de assinaturas.

São as assinaturas que nos salvam, são os boatos que nos assassinam.

12 thoughts on “Assinar ou assassinar”

  1. Val, a frase: “São as assinaturas que nos salvam, são os boatos que nos assassinam” é… perfeita!
    Grande abraço.

  2. Leio tanta coisa que por vezes tenho dificuldade de acreditar. Jornais com prestígio como o DN prestar-se a este tipo de informação leva-me a ser como S. Tomé – só acredito depois de ver. Estamos num Mundo em que são mais as vozes que as nozes.

  3. Só um detalhe: é “Paes de Faria”. E outro: de onde é que sabes o que é, para um procurador, isso dos “actos irregulares ou ilegítimos”?

  4. LMr, pode ser “Paes de Faria” mas não é o que está no texto publicado no DN. O que sei é o resultado do que penso após assimilar o que leio e o que oiço. Se estiver enganado, terei todo o gosto em aprender algo novo.

  5. Pergunto ao Valupi e a todos: pode-se atentar publica e caluniosamente contra a honerabilidade de três procuradores e tudo ficar pelo «ora agora mentes tu, ora agora desminto eu»?
    A justiça bateu no fundo. Parece que a Ana Gomes tem razão. E chego a lamentar que ela tenha razão em relação a Pinto Monteiro, porque foi a sua honradez de magistrado que evitou que a canalha consumasse o crime de assassinato politico de Sócrates e a consequente queda do governo ou derrota eleitoral.

  6. Assassinato politicu? Mas o socarteses já tá interrado há muito tempo, caragu. Agora é apenas a somvra ka fala.

    Os boatos apagam-se e pagam-se.As assinaturas, e há várias espécies de assinaturas, essas sim assassinam.

  7. tou-te a ber,tou memo a ver que não bebeste o chá d`osga,e ainda por aqui continuas a rabiar.é pá vai arejar quisso passa.cá por baixo os camones tem o sacrates em muito boa conta,eu sei,há muito,que santos da casa não fazem milagres,mas,eu,e por cá,muito boa gente,percebe a coisa.a malta cá em baixo,anda mais arejada por isso percebe melhor,com ajuda de fora,a nossa governação.queres que te diga cada vez percebo mais o socrates.quem nos lixa são os que se acham a fina flôr (do entulho)nacional e que não gostam de alguem com os ditos no lugar os enfretem,no que eles acham direitos adquiridos por via familiar ou coorporativa.para bom entendedor,isto chega.agora vou pró mar,que tenho que ganhar a vida.já agora,na pesca,as coisas estão melhor,foi dificil pra nós,mas está melhor,pena é os garduados da marinha serem mais papista que o papa(socrates)depois o homem é que paga.tchau mano.

  8. Caro Mário

    Pode-se atentar publica e caluniosamente contra a honerabilidade de UM PRIMEIRO-MINISTRO e tudo ficar pelo «ora agora mentes tu, ora agora desminto eu»?
    E, está para se ver se o assassinato politico foi evitado ou não.
    Espero que a morte de Socrates seja uma noticia manifestamente exagerada, porque a alternativa que se apresenta não é famosa.

    Cumprimentos

  9. Continuam a faltar mesmo muitas assinaturas.

    E não deixa de ser interessante que a declaração aponta espingardas à CS, mas é também um murro na testa do João Palma do SMMP que chegou a dizer: “O que mais nos perturba é saber que há magistrados que são impedidos de desenvolver investigações em curso. E porque é que a diretora do DCIAP e o PGR não avocaram o processo se não concordavam com a estratégia da investigação. Não foi por falta de poderes” e ainda “os titulares claramente assumem que não investigaram mais porque não os deixaram”.
    Cândida Almeida, e os procuradores Vítor Magalhães e Pães Faria negam claramente estas divisões e impedimentos deixando bem claro o quanto o sindicato contribui para prestigiar o MP. Como já se percebeu que não faltam por lá artistas, ficamos à espera das novas piruetas.

  10. Mário, todas as perguntas são legítimas, para quem está na plateia a assistir, mas temos de cultivar a paciência – sem deixar de exprimir a indignação – e esperar que os procedimentos internos do Ministério Público esclareçam e responsabilizem todo este processo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.