Apologia de Passos, Relvas, Portas e Gaspar

Em princípios de 2011 havia em Portugal um primeiro-ministro que garantia não ser necessário recorrer a um empréstimo de emergência para resolver as crescentes dificuldades de financiamento do Estado. Parceiros europeus, Comissão Europeia, BCE e Merkel acreditaram nesse primeiro-ministro e tentaram que ele visse aprovada no Parlamento uma solução destinada a manter a soberania intacta. Mas a direita portuguesa, que vinha desde meados de 2010 a fazer campanha dentro e além fronteiras para a capitulação do País face aos mercados, boicotou esse plano e jurou conseguir resolver todos os problemas só com a sua superioridade moral. Dois anos depois, essa mesma direita transformou o que era gravíssimo e perigosíssimo em algo que é catastrófico e em grande parte irrecuperável.

A actual direita partidária portuguesa é decadente, não hesitando em atraiçoar os superiores interesses da comunidade apenas por ambição irresponsável e gula incontrolada. Contudo, ela aceita o peso da governação. Mesmo que Passos, Relvas, Portas e Gaspar estejam a causar uma devastação económica e social sem paralelo em democracia, eles são os rostos e os nomes dessas escolhas políticas. O eleitorado fará o seu juízo a respeito das suas acções caso se voltem a apresentar a eleições, e a sociedade gerará as suas opiniões que o tempo irá guardar ou desvanecer. Isto é a democracia no seu melhor, pois a democracia no seu melhor não é mais do que a renovação da esperança através da liberdade.

Ora, que dizer da extrema-esquerda na comparação? O dia 28 de Setembro de 2009 acordou com 1 005 056 votos para o BE e PCP, correspondentes a 31 deputados e 17,60% do eleitorado. Neste milhão, algumas centenas de milhares de votos foram metidas nas urnas com a ansiada expectativa de que o PS perdesse a maioria e daí nascesse uma aliança com o PCP e/ou BE. Um ano e meio depois de coligações negativas entre a esquerda pura e verdadeira e a direita decadente enquanto a Europa se afundava num marasmo caótico que arrastava Portugal para crescentes medidas de austeridade, foi isto que os líderes vermelhos disseram como se tivessem acabado de chegar de Plutão:

O secretário-geral comunista, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje a realização de eleições antecipadas “para devolver a palavra” aos portugueses.

23 de Março de 2011

Rejeitar o PEC é o princípio da saída da crise.

Louçã, 23 de Março de 2011

Que pensavam estes aquilinos e esclarecidos visionários que iria acontecer depois do chumbo do PEC IV e consequentes eleições? Só há duas, e não mais do que duas, possibilidades: (i) pensavam que os seus partidos, um deles ou os dois juntos, iriam vencer, ou (ii) pensavam que a direita iria vencer. No primeiro caso, estaríamos perante um grau de alucinação que aconselharia internamento compulsivo num hospital psiquiátrico. É altamente provável, vamos dizer sem favor, que não tenham sequer perdido uma caloria a imaginar a primeira possibilidade. Restará a segunda, aquela onde Louçã e Jerónimo sabiam perfeitamente o que viria a seguir: a chegada ao poder dos mais incompetentes e fanáticos governantes de que há memória depois do 25 de Novembro. E sendo esta a evidência, é também evidente que a esquerda pura e verdadeira tem sido uma força antidemocrática, antipatriótica e absolutamente contraditória com os ideais populares que alega representar. As suas lógicas de decisão são meramente tribais, reféns de uma identidade conservada em formol que meteu a dialéctica na gaveta e mandou queimar o móvel.

Comunistas e bloquistas querem ocupar espaço político e mediático por razões que, no fundo, são as mesmas de Passos, Relvas, Portas e Gaspar: querem safar-se, sacar o seu e o resto da maralha que se foda. Mas com esta diferença: a direita decadente arrisca o prestígio, até a honra, no processo porque o prémio é gigante, enquanto a esquerda pura e verdadeira consola-se com as migalhas e faz tudo para fugir ao desafio de fazer compromissos para governar em democracia.

Para quem defende as muralhas da cidade, é preferível enfrentar um bando de ogres do que passar a vida a tropeçar em ratazanas de esgoto.

44 thoughts on “Apologia de Passos, Relvas, Portas e Gaspar”

  1. Só um idiota é que ainda continua a pensar que os miríficos planos tipo PEC IV resistiriam a esta saraivada de austeridade, custe o que custar em toda a europa. O PEC era um plano de austeridade, não era nenhum plano de relançamento da actividade económica que aliás tinha sido abandonada em 2010 justamente quando estava a produzir resultados, o país cresceu em 2009/2010.

    Jerónimo de Sousa e Louçã fizeram muito bem. Rejeitaram a direita e rejeitaram o PS. Com esta treta da austeridade, que o PS também propunha, não se atingiu nenhum objectivo de poupança. Destruiu-se tudo como aliás era perfeitamente previsível.

  2. Digamos que, o Fala Barato faz jus ao nome com esta análise! Só mesmo um fala barato ao serviço da cáfila!

  3. ai que texto tão gostoso com ogres. :-) porque as ratazanas entretanto já se puseram a monte para o esgoto para, oportunamente, meterem nojo.

  4. Cáfila é o teu grupo de amigos. O PEC IV era uma palhaçada. Um plano de austeridade suave, fofinho. Não precisamos de austeridade nenhuma. Precisamos de mercado. Ou então habitua-te ao Belmiro… trabalho de merda mas trabalho para todos.

  5. Óptima análise. Ainda bem que voltaste à estrada porque de quando em vez parece que estacionas numas áreas de serviço para comer umas “sandes” e beber umas “mines”. Um dia, eu já cá não estarei, irá fazer-se a história do golpe de estado, golpe de estado (a repetição é intencional) que conduziu a corja ao poder. Até lá podes polvilhar este magnífico texto com a mais que demonstrativa fala do Belmiro no Clube dos Pensadores sobre a necessidade de salários baixos para a destruição criativa…voilá.

  6. Falta um terceiro termo à tua alternativo, provavelmente o mais proximo da realidade :

    O Bloco e o PC consideraram que o PEV IV não fazia grande diferença em relação a uma politica de direita e que, perdido por perdido, seria provavelmente melhor ser a direita a dar a cara por uma politica de direita, sobretudo se com isso o PS se visse obrigado a descair para a sua esquerda.

    Não digo que o diagnostico fosse bom, parcial ou totalmente, ou que a aposta fosse sensata, ou sequer que a realidade lhes tenha dado razão. Digo apenas que isso esta provavelmente muito mais proximo da realidade do que aquilo que dizes no teu post e que é sempre preferivel compreender as razões dos outros com algum discernimento.

    Quanto ao resto não se esqueçam que as proximas eleições foram marcadas para dia 5 de Junho de 2011. Não se esqueçam de verificar se estão inscritos nas listas.

    Boas…

  7. Já está feito.

    Para o Passos ir ao ar faltava só a opinião do senhor da “dívida-da-madeira”.

    Ele diz que sim, substituí-los a todos, já!

    Já quando o senhor Silva se meteu com a dívida dele, naqueles anos, também juntou a voz à esquerda e lá foi o senhor Silva.

    O Passos está l’xado!

  8. Para ti e só exclusivamente para ti, Sousa Mendes: Vai prá real puta que te pariu! Que tenhas uma dor de barriga tão grande que te cagues todo e morras afogado em merda, filho de uma granda puta! Deves ter os cornos tão grandes que não consegues entrar na barra do tejo.

    Voltando ao assunto…

    O PC e o Bloco já disseram o que queriam. Quer o PS derrubar o Governo ou vamos ter mais um plano de austeridade fofinha e uns soundbites para as televisões com fato e gravata…

  9. “Precisamos de mercado.”
    os maketeiros do comunismo tratam disso

    “Ou então habitua-te ao Belmiro… trabalho de merda mas trabalho para todos.”
    ambição suprema de qualquer comuna, a presidência da comissão de trabalhadores do núcleo comunista do modelo/continente.

    *http://en.wikipedia.org/wiki/Cheap_talk

  10. 1º. acto – a asneira

    “O Bloco e o PC consideraram que o PEV IV não fazia grande diferença em relação a uma politica de direita e que, perdido por perdido, seria provavelmente melhor ser a direita a dar a cara por uma politica de direita, sobretudo se com isso o PS se visse obrigado a descair para a sua esquerda.”

    2º. acto – eu não tenho nada a ver com isto

    “Não digo que o diagnostico fosse bom, parcial ou totalmente, ou que a aposta fosse sensata, ou sequer que a realidade lhes tenha dado razão.”

    3º. acto – vamos lá desculpar a imbecilidade

    “Digo apenas que isso esta provavelmente muito mais proximo da realidade do que aquilo que dizes no teu post e que é sempre preferivel compreender as razões dos outros com algum discernimento.”

  11. Valupi
    O sócrates já não precisa de defesa, já está bem empregado.
    Acha mesmo que o PEC era o remédio, para um País que tinha entrado em banca-rota ?
    Ou uma fuga em frente irresponsável ?
    Quem diz que os parceiros europeus confiavam nesse governo ?
    Com quem queria que eles falassem, não seria com o governo na altura em funções ?
    O PEC era um pacote com austeridade ou não lhe parece ? Seria que os portugueses rejubilariam de alegria ?
    Mesmo para o acordo que tiveram de assinar com a Troika, não foram capazes de mostrar toda a verdade das contas e assim acordaram prazos para cumprir o déficite perfeitamente irrealistas, 3% em 2012 e 12% em 2013.
    Não, aquele governo não tem defesa possivel.

  12. Tenho mais uma para ti, ó Viegas:

    E se os nossos amigos Jeronimo e Louçã estivessem à espera que o Sócras os convidasse para uns ministérios?

    Contavam com o ovinho na peida do galinácio ,que o Sócrates náo quisesse sofrer o mesmo que o Guterres… e ficaram FUDIDUS!

    Já se estavam a ver, cheios de pose de estado, a fazer brilharetes à conta do orçamento que os outros teriam que explicar, fazendo campanha a partir do interior do governo à la Paulinho das Feiras…

    O Sócras deixou-os pendurados e os patrióticos defensores dos fracos e oprimidos desataram a estender a passadeira vermelha aos maiores filhos da puta que (todos sabemos) existem na política.

    A comunicação social deu-lhes um megafone e eles juntaram-se alegremente aos diolindas, felicias cabritas, belmiros, barretos, alegres, nobres, ferreiras leite, filhos da luta, licenciadinhos enrascados, …e restante borregada, para decapitar o esganador da democracia.

    O resultado está à vista de toda a gente.

    Se calhar estou mais próximo da verdade, do que queres admitir, não?

  13. Ola,

    O 3° ponto deste ultimo comentario esta errado mas, em abono da verdade, reconheça-se que não é correcto, em rigor, falar (como fiz) de um “terceiro termo”. Trata-se antes de uma modalidade do segundo termo. O BE e o PC sabiam que a direita iria ganhar e de certa maneira, queriam isso mesmo, pelas razões que expus.

    Estas razões serão fracas, ou idiotas, ou o que quiserem, mas assentam numa constatação que não julgo parva, nem inexacta : o PEC IV não era substancialmente diferente do programa de austeridade decidido a seguir às eleições e é mais do que provavel que a politica proposta por (ja não me lembro o nome : aquele que se candidatou pelo PS na altura, vocês sabem…) teria desenbocado num programa mais ou menos comparavel, ainda que disfarçado de PEC V.

    Boas

  14. Para fala barato nem és muito mal educado. Mas não respondeste à minha pergunta. Vá, lá, não te acanhes!

  15. Não estou a seguir o ritmo disto. O 3° ponto a que me refiro é de um comentario anterior. Quanto ao comentario do Vieira, não excluo que ele tenha razão mas, tirando a questão dos egos, não vejo nenhuma incompatibilidade com o que digo no meu comentario.

    Boas

  16. “O sócrates já não precisa de defesa, já está bem empregado.”

    o socras está calado desde que deixou se ser primeiro ministro e arranjou emprego fora de portugal e da teta do estado, coisa rara em ex-governantes. é óbvio que não precisa de defesa, mas a direita insiste em defender-se com ele e dele, sintomático, né?

    “Acha mesmo que o PEC era o remédio, para um País que tinha entrado em banca-rota ?
    Ou uma fuga em frente irresponsável ?”

    espanha não foi intervencionada, paga juros de 1% e la PECaminosidad espanhola es mucho más grave. teorizar sobre o que poderia ter acontecido é mais fácil que fazer previsões certas.

    “Quem diz que os parceiros europeus confiavam nesse governo ?”

    disse-o a merckla quando puxou as orelhas ao mixomatoso por não terem aprovado o pec e derrubado o governo.

    “Com quem queria que eles falassem, não seria com o governo na altura em funções ?”

    não percebi, deve ser para encher xóriços

    “O PEC era um pacote com austeridade ou não lhe parece ? Seria que os portugueses rejubilariam de alegria ?”

    óbvio, estávamos em dificuldades, agora rejubilam de vergonha, como tu.

    “Mesmo para o acordo que tiveram de assinar com a Troika, não foram capazes de mostrar toda a verdade das contas e assim acordaram prazos para cumprir o déficite perfeitamente irrealistas, 3% em 2012 e 12% em 2013.”

    não foi isso que o avó pintelhos e a corja que nos governa actualmente disseram aos portugueses na altura, gabaram-se da paternidade do memorando, de conhecerem bem a economia portuguesa, estarem preparadíssimos e que, pasme-se, era um problema de credibilidade com resolução a curto prazo, quando os mercados soubessem que o moedas fazia parte do governo o rating da república iria fazer sombra à serra da estrela.

    “Não, aquele governo não tem defesa possivel.”

    isso costuma-se aferir em eleições livres e democráticas, o que não foi o caso das últimas, que foram víciadas por belém através da comunicação social. a gravidade dos factos daria
    demissão do presidente da república em qualquer país civilizado ou guerra cívil numa grunholândia.

  17. A diferenca entre estes canalhas provocadores e os outros canalhas neoliberais está em que estes sao cobardes não se assumem como lacaios do capital financeiro .
    São uns tristes e miseráveis .

    Dentro de pouco tempo estarão a fazer alianças com a direita e a prosseguir as mesmas políticas de destruicao do estado social, de redução dos salários e dos direitos dos trabalhadores .

    Nao têm vergonha na cara e sao capazes de vender a mãe para terem lugares no aparelho de estado. Sao desprezados pela alta finança que os consideram uns pelintras de chinelo nos pés mas não se importam.

    No tempo da escravatura nos USA haviam os house negro e os fielmente negro na definição de Malcom x. Estes socratistas sao os house negros, aqueles criados que viviam dentro das manses dos proprietários de escravos, que vestiam os seus senhores, que davam banhos aos seus proprietários , que se opunham aos field negros porque eram subservientes aos seus proprietarios e que os admiravam. Sao uns estropícios que servem para servir de tampão às lutas emancipadoras dos povos. Têm um nome. Cobardes.

  18. Ignatz

    o avô pintelhos disse que Portugal iria necessitar de 120 mil milhões e no mínimo de 4 anos para pôr isto tudo nos eixos. Claro que a Troika fingiu que nem estava a ouvir o que ele dizia. Isto são factos!

  19. Bento, é irónico ver o PC preocupado com um estado social que, na sua óptica, nunca existiu. Alias, é reconfortante ver os comunistas darem valor ao que foi construído desde o 25 de Abril, principalmente, pela acção política do PS e PSD.

  20. Irónico é verificar que esses partidos que conjuntamente com o pCP aprovaram a constituicao da republica em 76 onde esta claramente definido o estado social, o estejam a destruir aos poucos.
    Isso é que é irónico.

  21. fala barato, se Jerónimo e Louçã fizeram muito bem, o laranjal também te agradece a imbecilidade. Podes lá ir para receber uma festinha na cabeça.
    __

    jafonso, de que estações de serviço falas?
    __

    campus, o PEC era uma solução preferível à perda da soberania. É só disso que se trata nesta análise e reflexão, saber qual era o mal pior tendo em conta as consequências de cada caminho, pois quanto ao resto, como vemos todos os dias, nada se resolverá sem que a Europa assuma outra política.
    __

    Blondwithaphd, mas o passado já passou? Aliás, não foi o passado que nos deixou entregues a estes governantes passados?

  22. “… esses partidos que conjuntamente com o pCP aprovaram…”

    mania das grandezas, é o que é.
    assembleia constituinte, ps 37,8%, ppd 26,4%, pc 12,5%, cds 7,6%, mdp 4,0%.
    se calhar foi ao contrário, o pcp é que se conjuntou e a reboque aprovou, ou aritmética é uma batata e todos dormiam na hora das votações.

    o irónico da questão é ter sido a única vez que o pcp aprovou qualquer coisa e mesmo assim não estou certo, só verificando as actas da assembleia. tou a achar muita fruta.

  23. o pcp gosta de festa!como tal eleiçoes é que é bom,sempre são uns milhares de votos a um determinado valor para os depauperados cofres do partido.quanto a resultados é igual ,tanto faz um como outro,ps e psd é tudo farinha do mesmo saco dizem.perante este argumento não entendo a alternancia que eles têm patrocionado ao longo dos 38 anos .que os pariu.

  24. Incrivel, a pura cegueira sectária.

    Socrates NUNCA quis qualquer aliança com a ESQUERDA, e não há muito, até Soares denunciou , a tentativa de Socrates de se aliar com o PSD , depois da derrota de Alegre, de que o dito Socrates, foi um dos principais obreiros.

    Quanto aos PEC,s e a politica DESASTRADA que a eles conduziu, a actual situação de descalabro do País, revela bem a sua pseudo-bondade.

    Mudem a cassete, alternativas são precisas, mas com NOVAS POLITICAS, e não com politicas de MUMIAS como o Socrates

  25. Augusto, sei que pode ser difícil de compreender, mas para se chegar a um acordo tem de haver cedências de ambas as partes. Se Sócrates não estava disposto a tal, a muito menos estavam dispostos os representantes da verdadeira esquerda. Já para não falar que a aproximação deveria ser feita pelos partidos minoritários.

  26. Augusto, é bem verdade que são precisas outras políticas, mas não menos verdadeira é a constatação de que elas não se encontram no BE, no PCP e muito menos na tua impotência que prefere ver Portugal nas mãos do casal Passos-Relvas.

    Cassetes? Larga o vinho.

  27. só os imbecis como o fala barato, podem argumentar dessa forma..nós já iamos no 4 e tenho a certeza que iam continuar dada a crise internacional, mas uma coisa é certa,quem decidia eramos nós.não tinhamos uma troika no pais a impor-nos politicas para reaverem o “seu” dinheiro.os social-fascistas como lhes pesa a consciencia apresentam esta narrativa,para passar uma esponja sobre o passado.o povo não esqueçerá em proximas eleiçoes quem são os traidores da classe operaria. daqui apelo a todos os camaradas que não deixem passar este branqueamento da historia.

  28. jeropiga de sousa, 65 anos, político profissional a vender o mesmo produto, que ninguém compra, há 40 anos.

    zé socras, 55 anos, político profissional durante 24 anos, vendeu ps com sucesso e actualmente vende plasma do líder mundial.

  29. francisco rodrigues,se és economista por favor não cites um dos maiores pulhas da democracia portuguesa,que alem das pulhices, é um mentiroso compulsivo.ponham contraditorio aos seus argumentos e catroga,desaparece em combate.

  30. augusto,a gajos que argumentam com tu,qualquer um te vende um electrico com a maior das facilidades.um doente do julio de matos não argumentava pior.

  31. Caro Val, desculpa a metáfora de auto-estrada. Não me fiz entender bem. Nos últimos tempos “postaste” aqui algumas opiniões das quais discordei totalmente. Portanto, pensei que estivesses a trincar umas sandochas e beber umas mines numa qualquer estação de serviço daquelas que bordejam a A1 ou A2. Mas na realidade este post trouxe-me o velho Val, o de sempre, aquele que nos brinda com uma lucidez que por vezes até dói e que matinalmente me faz descer do tombadilho das fragatas e chavecos argelinos que cruzam o Estreito em demanda das ricas presas que aportam à Europa vindas da Ásia, de “Abana” ou de outras terras da Américas e arribar aqui à Pharmácia em busca de provisões…”p’ró intelecutu”. Um abraço deste teu cliente que continua fiel aos medicamentos aqui facultados mesmo quando alguns deles lhe provocam azia. Mas talvez não seja dos medicamentos…quem sabe se não é o estômago do cliente que já está demasiado debilitado por indegestas comidas?

  32. jafonso, mas será que não admites a possibilidade de discordarmos totalmente mantendo cada um a sua lucidez? É que a realidade é larga e funda o suficiente para acomodar mais do que um ponto de vista, companheiro…

  33. Os neo” socialistas” que em Portugal sempre se aliaram à direita e à extrema direita, cia, igreja estão muito ofendidos porque o PSD nao pagou a traidores e na primeira oportunidade os fodeu

    Mesmo assim nao aprendem nada e procuram desesperadamente os tachos no poder .

    Miseria moral.
    César dizia que amava as traições , mas odiava os traidores.

    Agora que a direita está aflita pela catástrofe que esta a promover e porque teme um desastre eleitoral, lá vai o Ps dar uma mãozinha salvadora, nao vá o poder pender para a esquerda.

  34. Imbecis são os amigos dos PECs… Em 2009 aumentaram os salários e fizeram muito bem. A economia cresceu. Em 2010 arrependeram-se, tiveram medo das agências americanas e começaram a cortar. Em 2012 recusaram o aumento do salário mínimo. Hoje fazem política de café. Estão-se a cagar para o país.

    Toma lá um PEC pra ti nuno cm, avia-te com ele e paga as tuas contas de casa.

    Não Val… o PC e o BE estão à espera que o PS queira derrubar o governo ou há dúvidas? Derrubar o governo e abandonar o Euro enquanto ainda temos margem de negociar.

    Qual é a dúvida Val? Quantas reuniões de café do PS é preciso fazer para chegar a esta conclusão?

  35. “Agora que a direita está aflita pela catástrofe que esta a promover e porque teme um desastre eleitoral, lá vai o Ps dar uma mãozinha salvadora, nao vá o poder pender para a esquerda.”

    deve ser por isso o pirescouxo rejeitou as conversações para acordos autárquicos com o ps forçando este a coligar-se com o psd e cds para enfrentar a terrível ameaça do pcp ganhar o controlo da associação nacional de munícipios. estes gajos devem andam a cheirar as cuecas que a zita esqueceu nalguma gaveta de secretária quando deixou o partido.

  36. “… o PC e o BE estão à espera que o PS queira derrubar o governo ou há dúvidas?”

    claro que não e tamém não há qualquer espécie de dúvida que no dia seguinte se juntam ao psd e cds para derrubar um governo ps.

  37. ignatz:

    Já vi que és um pseudo socialista à moda de um Sócrates ( charlatão e esperto )`/ Seguro ( charlatão e burro que nem um Passos Coelho ).

    É muito mais provável, aliás como tem vindo a acontecer, o PS votar a favor ou abster-se ao lado da maioria, do que o BE ou o PCP fazê-lo segundo as tuas perspectivas.
    A não ser que, o PS continue a ser a outra face da direita…
    Topas meu burguesito alaranjado ?

  38. Entretanto em França a austeridade de direita e a austeridade de esquerda discutem

    Motion de censure : Copé voit le “bord de l’abîme”, Ayrault “sait où il va”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.