Aguiar-Lava-Mais-Branco

“Eu espero que o senhor bispo tenha apresentado na PGR os factos que fundamentam essa declaração, até porque o senhor bispo deve obediência às regras da Igreja e o falso testemunho é matéria que não obedece às regras da Igreja”, afirmou José Pedro Aguiar-Branco.

Em declarações aos jornalistas no Parlamento, Aguiar-Branco considerou que “para ser consequente”, o bispo das Forças Armadas deve “apresentar na PGR os factos que levam a essa acusação”.

Aguiar-Branco no Governo, 2012

O primeiro-ministro, José Sócrates, tem uma “visão retrógada e sovietizada, que não dá liberdade às pessoas, não confia nelas nem na iniciativa privada”, estando o País a debater-se com um “problema de excesso de intervenção tutelar do Governo, que visa estar em todos os sectores da sociedade”.

A acusação foi lançada pelo vice-presidente do PSD Aguiar Branco, anteontem, no jantar da tradicional Festa do Pontal, que se realizou junto à praia, no Calçadão de Quarteira (Loulé). Falando em “ensaios na banca e na TVI”, o dirigente social-democrata afirmou que “o Governo de José Sócrates tem uma visão clientelar do Estado”. “Pretendem um Estado não para servir os portugueses, mas para servir o PS.”

Num discurso de cerca de 15 minutos, Aguiar Branco disse que o país “está a viver uma crise terrível, que é a crise de valores”. “Suspeita-se do que está por detrás dos contratos dos contentores de Alcântara, suspeita-se do que está por detrás do financiamento dos computadores Magalhães, suspeita-se do que está por detrás da Fundação das Telecomunicações para as redes móveis, suspeita-se do que estaria por detrás do negócio da TVI, suspeita-se porque há alegadas pressões sobre magistrados no chamado ‘caso Freeport’ e que deu origem a processo disciplinar. Temos em Portugal um Governo sob suspeição e isto corrói as instituições e mina a autoridade do Estado”, acusou.

Antes do vice-presidente do PSD, já o presidente da distrital de Faro do partido Mendes Bota dissera, na sua intervenção, que Sócrates é o primeiro-ministro europeu com o “maior índice de falta de credibilidade”.

“Trata-se de escolher entre quem já provou que mente e que tem falta de carácter e alguém que diz ser possível haver seriedade e coerência na política”, afirmou Mendes Bota, apelando ao voto em Ferreira Leite.

Aguiar-Branco, e a máquina do PSD, atiçando a turbamulta para uma caça às bruxas 3 dias antes de se lançar a “Inventona de Belém”, a operação caluniosa que desonrou a Presidência da República e cuja impunidade nos devia envergonhar a todos (mas só envergonha a uns poucos, muito poucos), 2009

8 thoughts on “Aguiar-Lava-Mais-Branco”

  1. Pena que ontem Santos Silva não se tenha recordado dos inúmeros “mimos” como este contra o seu governo. Condenou o bispo, simplesmente, sem cuidar de condenar os assassinos de caracter como Aguiar Branco ou Mendes Bota.
    E, da sua entrevista televisiva semanal, ficou assim: os anjos da direita e o diabo do bispo.
    Pobres xuxas!

  2. Serão os testemunhos hipócritas matéria que obedeça à ética republicana, a tal que foi enterrada pelo PSD há muitos anos? Como é possível que os autores do maior e mais continuado ataque pessoal com fins políticos jamais feito em Portugal, se armem agora em virgens violadas quando são umas vacas sabidas?

  3. Este bando de galinhas tontas pensa que, à força de cacarejar ameaças por dá cá aquela palha, as pessoas as tomam por águias e falcões e se borram de medo. O Aguiar Bronco deve estar convencido de que o bispo Torgal Ferreira nem dormiu esta noite, apavorado pelo sobrolho franzido do galinácio excelentíssimo.

    Eles não se enxergam, coitados.

    Vai um fricassé?

  4. Mas afinal que disse Dom Janúario Torgal Ferreira sobre a corrupção governamental que não diga Dom Henrique Medina Carreira praticamente todos os dias?!

  5. “… e espero que o senhor bispo faça uma escolha entre ser bispo das Forças Armadas e ser comentador político”, afirmou o ministro da Defesa.
    Ora bolas, já em 1958, um bispo indignado com o estado da nação foi encostado à parede e expulso do país pelas unhas de um borra botas. Valeu-lhe o Papa, o 23, que não lhe tirou a diocese durante os 10 anos de exílio.
    É caso pra dizer que até no melhor pano Branco cai uma nódoa de vinho tinto…
    Preparem-se, isto a juntar ao manjar branco do relvas é apenas hors d’oeuvre de uma grande bouffe que se avizinha, à Canijo.

  6. O garnizé Branco a estrebuchar desta forma espalhafatosa e ridícula ainda espalha mais “penas” pelo corajoso e frontal Bispo!

    Estamos quase a chegar à chamada fase histérica de um folhetim que cada vez mais se pressente irá ter um fim à Santana. Mas desta vez a faena pode acabar com uma “colhida” bem mais grave…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.