A Madeira já declarou a independência, mas só agora avisou a República

O que se está a passar na Madeira não é apenas desastroso para as contas públicas e calamitoso para a credibilidade internacional do Estado, estamos também perante actos que violam gravemente o vínculo à Constituição. Espantosamente, são os próprios rebeldes que o anunciam numa fuga para a frente que ainda mais espantosamente deixa o Presidente da República calado. O que Jardim hoje disse, que o encobrimento tinha sido uma defesa contra o Governo do PS, já Guilherme Silva havia proclamado de outra forma há poucos dias: a Madeira recusa-se a respeitar a Lei quando não concorda com ela. Ver para crer.

João Soares, por nenhuma outra razão que não seja a de expressar a sua opinião, tem sido sempre de uma lealdade exemplar a Sócrates quando enfrenta ataques ranhosos e pulhices nos debates em que participa. Aqui, a propósito da Madeira, chega a incluir o seu pai, Mário Soares, no conjunto de todos os governantes que não foram capazes de fazer aquilo que Sócrates fez: enfrentar Jardim e obrigá-lo a respeitar a República.

14 thoughts on “A Madeira já declarou a independência, mas só agora avisou a República”

  1. se fosse com os açores, o jeitoso de belém já tinha interrompido um jogo do nacional para debitar umas inanidades sobre o equilíbrio e a configuração de poderes do sistema político previsto na constituição.

  2. O Seguro morreu de velho.
    O que o Passos tem que fazer é jogar pelo Seguro e pôr esse canalha da Madeira a andar de lá para fora.

    O que eles fazem não se escreve (eles PPD, claro)
    tenho medo do futuro,
    acho que o Passos não deve
    esquecer-se do Seguro.

    Porque esta história já se passou no tempo do Ferro Rodrigues e do Durão Barroso que dizia que o país estava de tanga e acabou por fugir daqui para fora. E porquê?:

    O país está a afundar
    a crise é para ficar,
    vai p’ró fundo a nação.
    Eu sei porquê e não erro,
    dum lado está o Ferro
    e do outro o Durão

    E qual foi a causa dessa crise? É que a nossa democracia, nessa altura, era pesada e dura.

    A nossa democracia
    é bastante musculada,
    não tem nada de macia
    é dura e bem pesada!

    Por certo que eu não erro
    se vos disser a razão:
    é que dum lado há Ferro
    também o outro é Durão!

    Ora este Governo começou logo mal. Senão vejamos:

    O Governo não tem cura,
    a coisa começa torta.
    A pasta d’Agricultura
    deveria estar na Horta!

    Não percebem nada de cultura especialmente da cultura da batata!
    Depois é o que se vê!

  3. Infelizmente, apesar destas atrocidades contra a democracia por parte do senhor da Madeira, vai ficar tudo igualzinho. Portugal tem “elites” pasmadas ou apodrecidas. Quem havia de falar já falou e disseram, melhor, fizeram o que era de esperar deles, Passos e Cavaco: assobiaram para o lado, soltando duas larachas.
    Soares, Eanes, Sampaio? Podem esperar sentados. PGR? daqui a 10 anos vai dizer que acabou a investigaçâo e…nada de especial.
    Foda-se, caralho! É demais.

  4. É agora ou nunca: abandone-se a Madeira!
    Nem mais um tostão para o Jardim, já que não o querem prender por ladrão!
    Nem mais um turista português para aquelas ilhas de chupistas.
    Retirem-se de lá as guarnições militares.
    Retire-se a RTP, a PJ e todos os departamentos do estado português.
    Até já o Vasco Pulido Valente defendeu o fim desta ligação contra-natura, propondo um referendo madeirense sobre a independência – referendo que seria sempre ilegal segundo a Constituição , mas que interessa isso? Nós é que precisamos de ser independentes dessa canalha, não o contrário.
    Abaixo os chulos chantagistas da Madeira!
    Independência para Portugal!
    Bancarrota para a Madeira!
    Madeira não é Portugal, é uma ilha de chupistas e piratas carnavalescos!
    Portugal não precisa da Madeira para coisa nenhuma. Nem bananas vêm de lá, só macacos.

  5. Esta comparação, feita por José Luís Arnaut, e por muito boa gente de direita, entre o que se passou na Madeira e o que o Governo de Sócrates fez em relação ao défice, é inacreditável. Compara-se o incomparável, ignoram-se os motivos que levaram à subida do défice. Ignora-se a crise internacional, que aparece e desaparece conforme os interesses do momento, e todas as medidas que tiveram de ser tomadas para lhe fazer face. Ignora-se o facto de a própria União Europeia ter autorizado, para não dizer incentivado, essa mesma subida, que, aliás, se verificou na maioria dos países desenvolvidos. As regras só mudaram quando, em 2010, surgiu a crise das dívidas soberanas que obrigou a reduções rápidas e drásticas dos défices. Ou seja, sabe-se muito bem o que levou ao aumento do défice, ao contrário do que aconteceu na Madeira, as razões nunca estiveram ocultas.

    Mas o mais espantoso, nesta comparação, é que se mostram muito preocupados com a descoberta do buraco, condenam, concordam que é péssimo para a credibilidade do País, mas informam toda a gente que em Portugal não temos só um Alberto João, o anterior Governo estava cheio deles. Este nível de estupidez é excelente para a imagem do País…

    E se é assim, se Alberto João actuou da mesma forma que Sócrates, por que raio não reagem da mesma forma? Fizeram tudo o que podiam, e não podiam, para correr com Sócrates, estão à espera de quê para correr com Jardim?

  6. Excelente comentário, Guida, cheio de valor, coragem, pontos nos ii e diversos a granel, e mais ainda se não fores simpatizante do PSD.

  7. Ainda bem que gostaste, V. KALIMATANOS. Só é pena eu, de facto, ser simpatizante do PSD. Do PSD, não, simpatizante dos PSDs. Dos vários do continente e do da PSD Madeira, que é, agora, um PSD muito diferente do continental, uma coisa lá muito longe e que nada tem a ver com o PSD que ocupa neste momento o poder. :)

  8. quem manda em portugal são os banqueiros estrangeiros e esses querem o offshore da madeira a funcionar
    não passa nada…

  9. A porcaria do PSD que ocupa neste momento o poder, é a mediocridade operacionalizada em poder. A melhor coisa que aconteceu em Portugal desde o 25 de Abril, foi Camarate. E tenho muita pena que a história não se repita: uma e outra vez. Mas desta vez sem matar nenhum cidadão inocente (em Camarate, o senhor da casa onde caíu o avião, morreu, mas ninguém fala dele, porque os ladrões são sempre mais importantes).

    ——————————————————————————————-

    O João Soares era bom que se calasse, porque esse chuchialista devia saber que existem mais coisas na vida para além de comer. Balofo.

    ——————————————————————————————-

    É agora ou nunca: abandone-se a Madeira!
    Nem mais um tostão para o Jardim, já que não o querem prender por ladrão!
    Nem mais um turista português para aquelas ilhas de chupistas.
    Retirem-se de lá as guarnições militares.
    Retire-se a RTP, a PJ e todos os departamentos do estado português.
    Até já o Vasco Pulido Valente defendeu o fim desta ligação contra-natura, propondo um referendo madeirense sobre a independência – referendo que seria sempre ilegal segundo a Constituição , mas que interessa isso? Nós é que precisamos de ser independentes dessa canalha, não o contrário.
    Abaixo os chulos chantagistas da Madeira!
    Independência para Portugal!
    Bancarrota para a Madeira!
    Madeira não é Portugal, é uma ilha de chupistas e piratas carnavalescos!
    Portugal não precisa da Madeira para coisa nenhuma. Nem bananas vêm de lá, só macacos.

  10. Reparem: Alberto João Jardim é o segundo conselheiro de estado de Cavaco com problemas de ordem criminal, sendo que com este o crime foi confessado.

    Triste, não é???

    Desejo boa sorte a todos os portugueses.

  11. …pra Guantanamo, quero dizer. Do nosso rancho não come mais.

    (Os meus slogans não têm copyright nem vírus, podem ser copiados à vontade).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.