18 thoughts on “pranimarakoisa”

  1. Se isto é agora, Susana, imagina quando entrares em menopausa acelerada com com possíveis complicações da tiróide. Já foste ao teu dicionário de inglês para dares uma olhadela ao significado de “yah”?

    A culpada não és tu, não. É o Valupi, que traz prá qui meninas quadragenárias como tu para bimbalhar os sinos sem as submeter a um teste de inglês básico. Ai, filha, a paciência que a Dona Soledade tem tido contigo e a tua maninha das estaladas! E nós, também!

  2. Ó Anonymous,my brother,

    Não te metas nisto senão ainda levas um par de esTTalos da reTTornada das perninhas trémulas. E olha que a rapariga tem cinTTurão negro. Não admira, viveu tantos anos na Árfica…

  3. aproveito para informar que em angola não há crioulo. acabei por achar que a pergunta acima, de um daqueles tugas que pensam que as terras dos pretos são todas iguais, merecia, apesar de tudo, este esclarecimento. merecia pela parte do esclarecimento, claro.

    ana, é kuduro com música electrónica. o benfica não seria capaz de tal façanha.

    chico estaca, tenho o O’level de inglês como língua materna. foi-me exigido, como residente nesse país de onde fala, para aí entrar na universidade.
    não chegarei à menopausa com o seu gosto de velho, disso esteja seguro. o meu tempo é sempre presente.
    quanto à referência ao tremor das pernas da minha irmã, só posso lamentar a sua má sorte. escrever um livro vai ser difícil, mas vai lá com um corrector ortográfico. ainda está a tempo de plantar uma árvore, não lhe falhem as artroses.

    detector de TTs, não era preciso: o chico estaca já é conhecido. logo no primeiro comentário que lhe li há meses reconheci a sua tectónica.

    valupi, está. boa comunicação.

    a ignorância devia pagar bilhete, é assim, temos uma banda da nossa diáspora a fazer furor em inglaterra e nem os que lá estão sabem. não dizia a minha avó, mas podia: fora, fora, parolo demora.

  4. “o chico estaca já é conhecido. logo no primeiro comentário que lhe li há meses reconheci a sua tectónica.”

    E como é que lhe detectaste a tectónica? Usaste o I Pê ou os métodos grafológicos do Valupi?

  5. Susana,

    A minha acusação, ou insinuação, de que não percebes nada de inglês, pelo menos quando estás a escrever à pressa toda excitada e nervosa ao som dos barulhos e batuques electrónicos do Ku-duro, mantem-se. Só que agora resolvo confirmar essa infâmia da minha parte, acrescentando que os luandenses ou luandinos que introduziram essa gingação, que mais parece uma salada de voodoo, insinuações sexuais e estridências de sons gangstas já velhos e batidos, com uns coloraus apimentados de revolução para se engolir melhor nos supermercados de esquerda, também não fizeram grande esforço para se sairem com um vocábulo de discernível significado em qualquer das linguas mais directamente implicadas nesta conversa, incluindo o português de coqueiro e banana entumescida que se grita nas discotecas que pareces admirar. Todavia, ainda estás a tempo de me lembrar e ensinar o que é que esses yahs yahs querem dizer nas bocas deles, se descobrires a letra dessas congoladas. Mas ninguém te salvará desse ponto de exclamação que colocaste a seguir ao teu Yah. De qualquer modo, sustento que nada dessa merda que trouxeste aos nosos ouvidos muito sensíveis a melodias agradáveis tem a ver com música. E muito menos com Música.

    Só vou falar do teu “O” level de menina muito sabida em relação a este velho ignorante para te dizer que esse fabuloso “O” é um buraco de cu inglês que quer dizer precisamente “Ordinário”. Isto é, elementar, não sofisticado e para ofertar aos pobres como tu, senhorita. Therefore, no maltesers for being nice and educated. E as notas que ganhaste por lá, foram boas?
    E não fiques à espera que o João Pedro to diga novamente. Nesta casa só pode haver um DJ, que é ele, o D. João. Põe-te, portanto, a pau porque corres o grande perigo de levares um “funeral” com mais flores que aquele que andaste a organizar para a Dona Soledade que hostilizaste com o cu sentado nessa tua poltrona de senhora de posts de duas linhas.
    Quanto ao resto não te digo mais. Falas de livros, de dificuldades ortográficas e doutras febres para as quais não tenho cura. Mas que camelices confusas são essas que arranjas para encheres papel e espaço. Explica-te rapariga, assim não me embergonhas nem me escitas.
    Adiós, Conchita.

  6. o ponto de exclamação faz parte do nome da música, como explicou um comentador…
    como já viste, estaca, não fui além do nível ordinário em inglês: só faço aquilo que quero ou preciso.
    assim, ficas só com as tuas explicações, que já te chegam bem para te excitares sozinho. adiós.

  7. Este Chico quando fica com a estaca em pé só diz inanidades.

    «Põe-te, portanto, a pau porque corres o grande perigo de levares um “funeral” com mais flores que aquele que andaste a organizar para a Dona Soledade que hostilizaste com o cu sentado nessa tua poltrona de senhora de posts de duas linhas.»

    Se os porreiraços aqui da Aspirina eram capazes de organizar um “funeral” a alguém.

    Não há direito!

  8. “Se os porreiraços aqui da Aspirina eram capazes de organizar um “funeral” a alguém”

    realmente… eram lá capazes de uma coisa dessas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.