13 thoughts on “despensa”

  1. prá despensa,

    Teorema:

    Para p>3 não existe triplos de números primos da forma (p, p+2,p+4)

    (demonstração em Richard Rossi, pag. 61)

  2. ainda prá despensa:

    E quando é que será que cai aquela Silveira Godinho, directora da Ajuda, co-responsável pelo desaparecimento de parte das jóias da coroa na Holanda, que nem sequer teve a vergonha de se demitir?

    As jóias portuguesas eram apenas as mais valiosas da exposição…

  3. Esta série vai num crescendo de surpresa e versatilidade. É um caso em que se tem de esperar pela conclusão para conseguir organizar o sentido de cada peça (mesmo que esse sentido seja irredutível, indiferente, ao grupo acabado).

  4. z, já estou a perceber porque lá em baixo reclamaste por ter retirado a despensa anterior… precisavas de espaço de arrumos! ;)

    cláudia, sejas bem regressada. as malas aqui são bem capazes de desaparecer, que o programa é manhoso.

    valupi, e isso é só no fim, ou de peça para peça? é que os fins são sempre imprevisíveis, pode até não haver um sentido comum…

  5. É isso que eu estava a antecipar, a natureza aberta, imprevisível, do exercício. Seja lá como for, ao terminares, algo se irá transformar, pois fechaste o ciclo, nada mais irá aparecer. E isso, inevitavelmente, afecta o sentido de todas as peças.

    Obviamente, convém acrescentar que não está em causa ter de existir um conceito uniformizador, ou qualquer tipo de inter-relação verbalizável entre as diferentes peças.

  6. valupi, tens toda a razão.

    ana, obrigada. e é só forrares a tua com papel auto-colante da drogaria, daqueles com padrão kitsch.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.