Mau Maria. Afinal em que é que ficamos?

O primeiro-ministro anunciou hoje que o Governo vai apresentar até ao final de agosto um conjunto de medidas de contenção para colmatar o «desvio» de cerca de «dois mil milhões de euros» encontrados nas contas públicas.”

Fonte

Porque é que isto me cheira a “pensando melhor, vamos levar para a frente esta boca dos 2000 milhões”?
O ministro das Finanças não referiu qualquer desvio deste calibre. A Troika não o detectou. Será que as críticas ao carácter preventivo do imposto extraordinário levam agora Passos a encontrar uma justificação a posteriori para a aplicação do imposto e, eventualmente, outras medidas que aí vêm, como encerramento de serviços e despedimentos?
O Expresso dava a notícia dos 2000 M€ em título, mas, como já é prática habitual, no desenvolvimento da mesma, a jornalista apenas se fundamenta em afirmações do PM, segundo as quais “se tudo continuasse como até agora, havia expectativas fundadas de chegar ao final do ano com um desvio de 2,1 a 2,3 mil milhões de euros”. Esta frase é bastante ambígua. Expliquem-se de uma vez por todas, se fazem favor.

6 thoughts on “Mau Maria. Afinal em que é que ficamos?”

  1. hoje são dois mil milhões para almofadas, amanhã serão três quilhões para travesseiros e por aí a fora enquanto o cavaco governar esta choldra. não se esqueçam de aumentar a justiça para não haver fugas e desenvolvimentos do processo bpn.

  2. Agora já estamos muito mais descansados porque as excelências que nos governam finalmente descobriram a causa das causas dos nossos problemas.

    O cabrão do pai das nossas preocupações é o euro. Está alto, o sacana. Eu, por interesses particulares, não posso concordar mais. E bem vistas as coisas, esta pechincha de pagar a gasolina a 1,60€ é um luxo a que não devíamos ter direito nos tempos que correm. Aí a 2,50€ o litro dessa mistela é que estava bom. Para o euro estar ela por ela com o dólar, pois claro.

    Não há dúvida que o saber estar calado é uma grande virtude. Excepto para Presidentes da República.

  3. O povo escolheu o rapazola ignorante e incompetente para governar, o que é que querem agora?
    Quem se mete com rapazes acorda mijado.

  4. É, de facto, muito dinheiro descarrilado para um país que ainda não domina lá muito bem a
    intricada tecnologia da bicicleta a motor. Eu sempre disse que o nosso futuro está no pastel de nata ou no comunismo, porque futebol já experimentámos e não deu nada. Aguardemos.

  5. Mil milhões ontem, dois mil milhões hoje, amanhã será de quanto?
    Mas o mais interessante é que não se sabe se este buraco é apenas uma soma de buraquinhos ou uma vala comum.
    O ministro das finanças diz que não era um desvio colossal, mas antes um desvio … colossal. O Passos diz que é um desvio de dois mil milhões mas que até nem é colossal e que até ao fim do ano tudo se resolverá.
    O ministro das finanças diz que o buraco é para ser tapado com 1/3 de impostos e 2/3 de corte na despesa.
    O Primeiro-ministro diz que é para tapar com o imposto especial e o resto com cortes na despesa que na matemática que aprendi dá mais ou menos 1/2 para cada lado.
    Pelos vistos, ainda estão a começar e os entendimentos já não batem muito certo, o resto da ministrada, para além de mandar tirar (para já) as gravatas, ir até ao Algarve para ver como é que correm os assaltos, reavivar as notícias sobre os equipamentos parados no IPO de Lisboa, anda entretida não se sabe a fazer o quê.
    Entretanto os fiscais da ‘troika’ estão cá e não se sabe nada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *