A dama de ferro e a contrafacção

Tony Blair relembrou Thatcher como “gentil e generosa”. Ora aí está algo que José Sócrates nunca poderá dizer da azeda e rancorosa contrafacção portuguesa da Iron Lady.

Ferreira Leite tem andado muito caladinha, ao contrário dos tempos em que esperneava e espumava contra a “asfixia democrática”. Há seis meses bem medidos lá saiu a terreiro para repetir o que a oposição diz, para cascar no Gaspar e opinar que “não é possível cumprir a consolidação acordada com a troika neste prazo”. E que “esta consolidação poderia ser menos onerosa e menos pesada para as pessoas”. E até isto: “O que é que interessa Portugal não entrar em falência, se no fim vamos estar todos mortos?”

Dentro em pouco, a dama ferrugenta vai estrear-se como comentadora política da TVI. Que irá sair dali? Segura-te Tozé, que ela quer liderar a oposição.

3 thoughts on “A dama de ferro e a contrafacção”

  1. José Sócrates=Tony Blair
    Ferreira Leite=Tatcher

    Mas o que tem a ver o cú com as calças?

    qualquer semelhança é como comparar o nosso João VI que cavou para o Brasil e Wellington veio lutar contra o Napoleão.

    João VI=Wellington e assim por diante!

  2. Ora entao vejamos
    Bento
    Abr 9th, 2013 at 18:48
    “Muito poucos líderes conseguem mudar não só o cenário político do seu país como também o do mundo. Margaret era uma líder. O seu impacto global era enorme”, declarou Tony Blair em comunicado.

    Segundo o político, algumas das mudanças que Thatcher fez no Reino Unido, e que foram mantidas pelo seu governo, espalharam-se pelo mundo.
    “Ela era uma pessoa gentil e generosa e apoiou-me sempre muito quando era primeira-ministra, embora estivéssemos em lados opostos da política”, acrescentou Blair.

    O subdito portugues tambem nao estará mais de acordo

    O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou em entrevista à revista francesa “Le Point” sentir-se elogiado quando alguém o descreve como “Tony Blair português”, argumentado que o chefe do Governo britânico introduziu mudanças “consideráveis” no seu país.

  3. oh sebendo! não perceci bem o que queres dizer, mas parece-me que tem a ver com a comissão liquidatária do partido comunista inglês e das indemnizações compensatórias que a thatcher pagou para os comunistas mudarem de programa e gerência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.