Vinte Linhas 698

Eusébio e a inesperada vocação de rasurar a História

As declarações de Eusébio numa entrevista a um semanário sobre a existência de «racismo» no Sporting de Lourenço Marques, além de ridículas são mentirosas e absurdas. Depois de ter sido rejeitado pelo clube do seu pai (o Desportivo), Eusébio foi aceite e acarinhado no Sporting de Lourenço Marques. Deixou de ser um miúdo da rua onde jogava com o seu grupo de amigos e passou a ser um jogador integrado numa grande equipa o que lhe permitiu vencer diversos campeonatos. Eu trabalhei na redacção do Jornal Sporting debaixo de uma fotografia da nossa filial de Lourenço Marques na qual Eusébio está sorridente ao lado do seu grande amigo Milicas. A acusação de racismo aos «leões» de Lourenço Marques cai pela base: racismo havia em toda a sociedade moçambicana mas do Sporting Eusébio nunca se poderia queixar. Era uma questão mais acentuada em Lourenço Marques. Alguns anos antes do «caso» Eusébio, a Académica de Coimbra foi a Moçambique festejar o título nacional de basquetebol. No Hotel para onde tinham enviado um telegrama, os «capas negras» foram surpreendidos por um gerente aos gritos: «O preto não pode entrar!». O rapaz era finalista de Medicina, natural de São Tomé e fazia parte da comitiva dos campeões de Coimbra mas o homem do Hotel dizia: «O problema são os nossos hóspedes da África do Sul. Eles não querem pretos no mesmo hotel.» O rapaz foi para casa de um advogado com saudades de Coimbra. Abreviando: Eusébio veio para o Benfica porque era menor e foi a mãe a assinar a troco de dinheiro grande. Ao contrário de Mário Wilson e de «Juca» que vieram em 1949 e de Hilário e Peridis que vieram mais tarde, Eusébio não quis vir para Lisboa à experiência. O primeiro fato completo, primeiros sapatos, primeira camisa, foi tudo comprado com o dinheiro ganho no Sporting de Lourenço Marques. Como não tinha 21 anos não era considerado maior. Por isso apareceu a mãe a assinar.

Importante era o Eusébio explicar que razão o levou a jogar no Beira-Mar e no União de Tomar quando regressou dos Estado Unidos da América. Foi o racismo que o rejeitou no Benfica? Foi outra coisa qualquer? Pode esclarecer? No Benfica existe a tradição de rasurar a História. Alteram a data da fundação do clube de 1908 para 1904, tentam fingir que não houve campeonato de Portugal entre 1934/5 e 1937/8, escrevem a História a seu belo prazer. Eusébio, tantos anos depois da sua chegada a Lisboa, aparece a seguir as pisadas dos «historiadores» encarnados mas há muita gente que sabe da história. Que pensarão os companheiros de equipa em Lourenço Marque disto tudo? E o Milicas? Que pensará o Milicas?

24 thoughts on “Vinte Linhas 698”

  1. O problema do Osébio não é ser branco, preto, amarelo ou às bolinhas, porque isso hoje felizmente, tem cada vez menos interesse. É ser um bêbado!

  2. No Benfica existe a tradição de rasurar a História.
    E no Sporting existe a tradição de deitar fogo a estádios.
    Vá bordamerda mais a sua conversa.

  3. Góis Mota e Casal Ribeiro diz-lhe alguma coisa? Se o Sporting de Portugal era um clube fascista, pq o de Lourenço Marques não haveria de ser?

  4. Lembra-se , de certeza que se lembra, daquele diirigente leonino, que de arma na mão entrava nas cabines dos árbitros para impor o resultado mais conveniente.
    Nessa altura era normal, porque o tal homem era da Pide …
    Racismo? Sim, porque quem não era da cor …acabava nos calabouços da policia poltica, ou tinha que se conformar e alinhar…

  5. oh poeta da treta! explica lá ao pessoal qual é a diferença entre o elitismo que o sportém apregoa e o racismo que o hitler pregava.

  6. Quando cheguei a Moçambique para “cumprir” o serviço militar, com a cabeça “feita” pela propaganda do regime, muitas raças, todos portugueses, fiquei estupefacto.
    Em Nampula havia um bar-discoteca o Ali Babá onde os “pretos” podiam, é verdade, chegar-se à porta e perguntar se havia mesa .
    Era-lhes sempre dito que as mesas estavam todas reservadas.
    Em dois anos que vivi no prédio Monapo, onde o Ali Babá ficava no piso térreo, nunca lá vi um “preto”.
    Havia racismo, sim senhor.
    Senhores machambeiros e suas famílias, deixem-se de tretas e tenham vergonha.
    O Eusébio, que poderá agora ser bêbado, fez muito mais por Portugal que a grande maioria de vocês. Mesmo bêbado ainda faz.
    Bulshit.

  7. Cambada de acéfalos. Se uma laranja é laranja porque uma maçã não há-de ser uma maçã. A perfeita lógica da batata. Para um qq anónimo que escrevinhou aí em cima, o Sporting não se afirma elitista, mas sim Eclético. Vá procurar o significado se não souber.
    Mas basta ler a resposta que um antigo jogador e colega do Eusébio deu ao expresso, para entender que podes ser bom com os pés mas de cabecinha fraquinha… É o Eusébio!

  8. Cambada de analfabetos nem sabem ler um texto. «racismo havia em toda a sociedade moçambicana mas do Sporting Eusébio nunca se poderia queixar» – só um burro não percebe…

  9. Este “Post” é racista.
    Independentemente do que o seu autor possa pensar sobre Eusébio, pretender que em Moçambique não havia racismo no tempo da ditadura, é simplesmente patético.
    Pior, o autor confunde “clubismo” com “racismo” o que, de resto, é típico dos apaniguados do futebol. Esperava mais elevação deste “blogue”.

  10. Já falaram aqui do Góis Mota e do Casal Ribeiro da Sacor. 2 legionários de 1ª. O Casal Ribeiro até tinha uma força da Legião a atuar dentro da Sacor. O Góis Mota entrava de pistola em punho na cabina dos árbitros. Oh jcf conta lá estas estórias à gente para nos recordarmos da Pide, Legião, Sportém, etc. Vocês querem-se fazer passar por pessoas de muito nível e os outros são bêbados. É que uns embebedam-se com vinho outro com visque que é mais fino. Mas diz lá a essa cambada de juveleo para deixar de sujar as paredes dos prédios e muros que têm dono e custam muito dinheiro a conservar. Por isso diz a esses analfabetos sportings para terem mais juízo. Faz uma crónica sobre boas maneiras, educação, respeito pelos outros a ver se esse maralhal deixa de ser rasca.
    E muda de tema deixa o sport em paz e ajuda-o a pagar as dívidas. Assim não vais lá.

  11. Misturar racismo com Pide com Salazar com antigo regime, é facciosismo das politiquices típicas bem conhecidas.

    Só com Salazar se conseguiu sem vergonha impôr o pioneirismo na europa de uma selecção afro-luso-brasileira (Oto-Glória) onde agora e só passados mais de 20 anos, aparece esta selecção escurecida francesa, e atá já a suécia exibe um ou outro nada loiro.

    Com Salazar uma equipa africana de Hoquei moçambicana troxe o trofeu de Montreux para Portugal, do Minho a Timor.

    Com Salazar, os cabeças rapadas que andam em umas tantas claques já tinham o cabelo à «bitle» há muitos anos!

    E ninguem me chame de faxista porque não mando faxes a ninguem.

    Algum jornalista enrolou o Eusébio para dar aquela entrevista nas vésperas do derby da Jaula.

    Espero que em Alvalade nunca, se criem «gaiolas» nem jaulas!

    E há muita gente que não distingue racismo e apartheid imposto no mundo africano anglofono que envolvia Moçambique.

    Os próprios africanos ainda hoje praticam em grande parte o apartheid entre si, que o tribalismo tradicional impõe.

  12. Este mundo está cheio de ideias anormais. Em última instância chama-se bêbado ao homem. Não deveria ser necessário provar o que se escreve? O Sr. que escreveu o post deveria, pela sua saúde, ir ao balão, penso eu.

  13. Sr. Rui Mota: eu sobre Eusébio não penso nada. Basta ler as entrevistas que deu fingindo esquecer que foi bem tratado no Sporting de Lourenço Marques. O resto é treta…

  14. Oh Juca Riscado, se tu bebes ou não não me interessa. Se precisas de ir ao balão ou não não me diz respeito. Sobre o Osébio pergunta nas imediações do C.C Fonte Nova, em Lisboa, quem nunca viu mais que uma vez o “pantera negra” embriagado? Vi-o muitas vezes. Muitas mesmo. Se um dia quiseres saber mais alguma coisa sobre o Ósébio e senhora, a Dª Flora, informa-te e (calhando) desilude-te. Percebeste? Vai à merda!
    Ideia anormal é adorar ídolos com pés de barro oh Juca!!

  15. Para os anónimos e quejandos que gostam de vir dizer disparates nos post do jfrancisco sugiro que dêem uma olhadela a este endereço:

    http://aeiou.expresso.pt/antigo-jogador-desmente-eusebio=f691384

    e depois, se forem intelectualmente honestos, digam de sua justiça.

    Quanto aos dirigentes situacionistas do Sporting, pergunto: os irmãos Viera de Brito (um presidente do Benfica na década de 60, e o outro financiador do clube) que exploravam os negros nas suas roças em Angola, eram o quê? Oposicionistas?

  16. Obrigado senhor Carlos Serra pelo contributo. O ex-guarda-redes das duas equipas de Eusébio em Lourenço Marques mostra com fotografias e palavras que ele – Eusébio – está errado. Foi rejeitado pelo Desportivo e aceite pelo Sporting de Lourenço Marques.

  17. Oh jcf se não fosse a merda do carlos serra estavas fodido, pá! O gajo é que te lembrou os Vieiras de Brito, tás a ver?
    E já agora para alguns. Não sei se o Osébio é bêbado ou não, nem isso me interessa. O problema é dele. Ou cada um já não pode fazer o que quer desde que não chateie os outros? Já agora: se por acaso o vosso pai fosse bêbado ou o vosso filnho paneleiro, ou a vossa filha uma grande puta, ou vocês tivessem um grande par de cornos qual era o problema? Também vinham para dizer e criticar o vosso pai, filho, filha, mulher ou até a bossa mãe. Não por aí tanto filho da puta?
    Mas ia-me esquecendo o problema do jcf. O problema dele não ´racismo, o Osébio ou as bebedeiras. O problema dele é o BENFICA. E é o BENFICA que ele pretende no fundo atingir. Para isso anda às voltas. O sacana é fanático dessa merda do futebol e dum clube. No século XXI ainda há malucos que perdem o norte pelo chuto na bola.

  18. Oh anónimo .”Ou cada um já não pode fazer o que quer desde que não chateie os outros”? – escreveste tu.
    Logo, o que chateia os outros é a mentira mais que retardada do Osébio, que o jcf sublinha e MAIS NADA. Há sempre um tempo para repor a verdade e denunciar bêbados ou sóbrios MENTIROSOS.
    Se metes nisto a clubite é porque és parvo.
    Sobre o resto da tua arenga entretém-te com ela e vai-te f****!

  19. Cambada de burros! O que eu penso não interessa nada só interessa o delírio e a alucinação do jogador que quando veio dos EUA foi jogar para Aveiro e para Tomar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.