Vinte Linhas 509

Dissertação sobre uma fotografia de 1958

(a Francisco José Viegas)

Os enviados especiais a Munique vestiam fatos completos, escreviam em blocos pequenos, usavam canetas de tinta permanente, fumavam, alguns com o respectivo cachimbo. As notícias eram breves e os jornais feitos em granéis de chumbo e caixotins nas mesas de mármore das tipografias. São irreais, feitos da substância dos sonhos, os nossos camaradas de 1958 a caminho de Munique. Os seus nomes foram omitidos como se não tivessem, também, morrido, como se só houvesse jogadores no avião sinistrado, como se a morte dos jornalistas não fosse também um pano no casaco, um vazio na família e um lugar a menos no Pub da esquina. No The Ring nos anos 20 havia combates de boxe à hora do almoço. Esses combates clandestinos não vinham nos jornais. Os enviados especiais a Munique usavam colete. Nos seus bolsos guardavam as canetas e as cigarreiras prateadas. Os blocos só cabiam nos bolsos do casaco. Nesse tempo, a lentidão perseguia a comitiva do Manchester United. Veloz apenas a morte que ceifou os jogadores e a posteridade que esqueceu os jornalistas das fotografias de 1958. Tu não sabias, não tinhas sequer nascido nesse ano do desastre de Munique. À beira do Rio Douro chegavam no comboio da tua infância O Século e o Diário de Notícias ao fim da tarde nos maços defendidos por um cordel em cruz. Anos depois foste director de um jornal desportivo e aprendeste o ofício árduo de separar a cada momento o pó do esquecimento da luz da posteridade. Nem tudo o que se ouve se escreve, nem tudo o que se escreve se publica. Hoje estes homens distraídos da morte não páram de me chamar. Não morreram. Um ginger ale espera por mim no Pub da esquina. Chama-se The Ring.

2 thoughts on “Vinte Linhas 509”

  1. esta bela crónica pode ter várias leituras, JCF.

    nesses tempos as vedetas não estavam fora do relvado, como nos nossos dias, o “circo” televisivo era nulo..

  2. Exacto caro amigo mas hoje soube uma história deliciosa. Nos seus primerios tempos de Man. United o Cristiano Ronaldo estava a fazer um anúncio para o BES num espaço do parque Mayer mas ao ver um seu antigo delegado no Sporting, saiu do meio dos «armários» e deu-lhe um abraço: «Olha o senhor Rui, então por aqui? Tudo bem consigo, senhor Rui?»

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.