Um livro por semana 280

«Caderno de Milfontes» de Rui Almeida

Autor de «Lábio cortado» (Editora Livro do Dia -Prémio Manuel Alegre 2008 da Câmara de Águeda) Rui Almeida celebra 40 anos (n. 1972) e viaja até Milfontes a ler um livro da mesma idade («Sob Sobre Voz» de João Miguel Fernandes Jorge) escrito na Praia da Consolação para ver hoje o seu livro de poemas publicado por uma editora da Nazaré.

Dito de outra maneira – a Costa Atlântica é o lugar, o ponto de partida: «Daqui, noite clara, se avista / A pequena enseada, / Nem sempre a falésia / Ou o quase silêncio / Da ondulação. / Aqui o chão de onde se vê longe / É firme. / A cadência do mar /Amplia o golpe na sombra / Sobreleva o reflexo».

Nasce o encontro entre o mar («O lugar da violência / É onde as ondas morrem, / Rebentação / Força sem nome») e o rio: «Nesta margem do rio / Não há só destroços e coisas velhas / Há também uma rocha lisa / Onde os pés se descalçam / E o sorriso se abre».

Os poemas oscilam entre o encontro, a paciência («A paciência conhece o tempo da espera») e o perdão: «Que é o perdão / Senão uma boca / Soprando noutra boca?»

Nas 33 páginas deste pequeno livro está uma breve gramática do Mundo, a memória de um Verão e a resposta à pergunta do poema final: «E como seria limpar o rosto / Depois de cada Agosto?»

(Edição: Volta d´mar (voltadmar@gmail.com) Produção: Luís Paulo Meireles)

6 thoughts on “Um livro por semana 280”

  1. lábio cortado? Ó pazinho, bê lá se encontrase algo do género, boca fechada, garganta açaimada, tás a bere? E já agora, ideias pra limpar a boca do zeca galão.

  2. Nem tudo o que parece, é. Veja-se que este post foi comentado por 14 (!) pessoas no Facebook do Rui Almeida porque essas 14 pessoas e outras não estão para aturar malucos como este e os seus travestis. Percebido?

  3. EhheeheheheÓ BENFIQUISTA, seu jabardo, só mesmo um gajo no interbalo do croxè é que baie ao facebuque, pá, oube, tu cunhesses o finómenoe da prujessaoe? é o que tu fazes nos outros que te antagunizaoe, tu é que lebas tanta purrada por cauza da tua falha lieraria, que nãoe asseitaze, mas debes asseitare, que bais a inbentare gajus marados pra te apouarem. ó pazinho, cala-te, meue, treina a bicanca no silêncio, pá, tu até tense um vazio dentro de tie, que te permite ficare calado, purque insistes tue nessa cousa de daraes conteúdo ao que não carece, meue.Mas tu cá continuas a iscribinhare cousas, purque num bais iscrebere só pró facebuque?
    Malucu és tu mais quem te fez as orelhas. Jabardo.

  4. oh pázinho! o rui almeida é parte interessada na tanga promocional que postas acima. queres que telefone ao lima para te linkar no site da presidência? a troco de um like entras no foiçebuque do cavacóide e no 1/2 de uns elogios ripas, a despropósito, como habitualmente, uns versos do almeida e tá açorda feita. tás a morder a cena ou queres um esquema das canalizações para despejares o produto.

  5. ò gajo, queres chamar charolês a moi? Força, sabes porquê? Bê só o significado?
    Significado de charolês: Cheio de charme; encantador; sedutor; feiticeiro; fascinante.

    Sua mula de cigano, filho de pavão e de pata choca. Safado, granda anormal, és tão esperto mas chumbastes logo, pá, na terceira classe. Debes ter apanhado poucas reguadas, debes. Pra seres a alminha má que és hoje ou nascestes torto ou te puseram torto.

    tue ainda num percevestes que és guzadu por gente da literatura pá, gajos que percebem da matéria pá, que ensinam, pá que são jubilados, meue, que fazem um esgare daqueles ( nem é bufa nem é peido), quando sãoe conbidadus a ler as tuas merdas. ó gajo, perceve uma cousa: a tua suciedade da benedita não interessa ao menino jesus. Fogo, o pessuale prefere mil vezes o Cabacu Silva a dizer asnedo do que um marrano como tu, que nem chega a ser negligente, é grosseiro, ehheehhehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.