Um livro por semana 260

«Que paisagem apagarás» de Urbano Bettencourt

Percebe-se que Urbano Bettencourt (n.1949) tem o gosto da miscelânea. Na linha de Camilo Castelo Branco («Narcóticos») e Carlos de Oliveira («Aprendiz de feiticeiro»), Urbano Bettencourt reúne em 183 páginas um conjunto de narrativas, memórias e aforismos. Ficcionista, poeta e ensaísta, uma fina ironia atravessa a sua obra desde 1972, data do seu inicial livro «Raiz de mágoa».

O primeiro texto regista uma conversa num comboio entre Del Guidice e Antero de Quental: «Vou atrás de uma mulher que existe, desde o momento em que o autor lhe deu vida pela escrita. Você vai atrás de uma vaga figura possível, a revolução». Cruzam-se memórias de Raúl Brandão no PIco («Aquilo foi um sonho e nenhum sonho se chega a concluir – o sonho não cabe no mundo») e de Romana Petri: «a garrafa de aguardente de figo – Romana Petri talvez preferisse um copinho de angélica como ela tontamente insiste em escrever». Mais à frente as ruínas de uma abadia em Howth (perto de Dublin) abrem para uma memória de James Joyce («a luminosa manhã de Junho de 1904 em que Leopold Bloom saiu de casa para comprar rins de carneiro») enquanto Álamo Oliveira aparece no Corvo: «Desembarcados no Porto da Casa, tomámos rumos diferentes. Álamo Oliveira foi levado pelos seus anfitriões do teatro e eu meti-me a caminho da casa de D. Crisantema».

Também comparece uma memória da guerra colonial: «ainda te vais lembrar do tempo de África. Das gentes que viveram um pouco melhor graças a ti. Caminhos, estradas, casas, água potável. Mas a sombra das pessoas que destroçaste há-de seguir-te como um cão açoitado. E as casas a que deitaste fogo vão continuar a arder nos teus olhos. Como uma festa ou um inferno. Estas coisas apagam-se alguma vez?»

Por último um aforismo breve: «Reciprocidade – Quando o censuraram por não ir ao funeral do seu companheiro de letras, o escritor limitou-se a perguntar: – E ele vai ao meu?».

(Editora: Publiçor, Fotografia: Magda Medina, Participação: Juan Carlos de Sancho)

2 thoughts on “Um livro por semana 260”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.