Um livro por semana 211

«O jardim encantado ou o segredo da brisa» de Josefa de Lima

A narrativa arranca pela voz off da Terra numa determinada circunstância («como se estivesse a ver uma peça de teatro») e com dois protagonistas (Flor Pequena e Flor Grande) que discutem entre si a noite e o dia: «Também gosto do Dia mas a Noite é tão misteriosa…» A seguir surgem mais actores: o Sapo Seriró, o Cágado, a Lua e a Estrelinha que se lamenta de estar tão longe da Terra: «Ai, ai, estou tão alto e tão só!»

Entretanto aproxima-se outros: a Brisa, a Fadinha da Noite, os Melros, as Noites, o Sol e a Terra. O segredo da Brisa é, afinal, depois da notícia («Fugiu a Estrela de Natal») e da dúvida («como poderão os Reis Magos seguir o caminho?») poder dizer em segredo à Estrelinha que ela «vai ser ela a Estrela de Natal».

Peça de Teatro, originalmente representada na Junta de Freguesia de Olhos de Água, contou com a participação de pequenos actores, alunos das seguintes escolas: Vale Carros, Diamantina Negrão e Olhos de Água. Poderia chamar-se «Gramática da Noite» e termina com a voz off da Terra: «A Lua brilha, agora, com todo o seu esplendor e a Noite avança, então, intensa e dominadora no seu último movimento antes de desaparecer a pouco e pouco, empurrada brandamente pelo Sol. Levanto-me do banco e no caminho para casa vou pensando que tudo tem o seu tempo, a sua função, obedecendo a regras num Universo superiormente organizado. Por vezes o que aparenta estar estático, está em movimento contínuo, refazendo-se e inovando-se através de ciclos bem reais».

(Edição: Câmara Municipal de Albufeira, Preâmbulo: José Carlos Martins Rolo, Prefácio: Luísa Monteiro, Ilustrações: Anabela Furett)

3 thoughts on “Um livro por semana 211”

  1. É um golpe miserável colocar isto aqui depois de uma nota de leitura e divulgação de um livro. Não comento mas registo.

  2. Golpe miserável é VOCÊ chmar nomes aos comentadores, e ter as Luisinhas castanholas a falar de «goelas». Isso sim é um golpe, que não percebo como é que o Valupi permite. Este ainda nos manda largar o vinho, ironiza e brinca até certo ponto, ou então nem responde, agora Você atreve-se a epitetar. Vá caçar caracóis e leve cana de pesca, faça-lhes uma ode e publique-a.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.