Santa incompetência

reu_pics.jpg

A Reuters não voltará a usar trabalhos do fotógrafo Adnan Hajj, que manipulou uma imagem de um bombardeamento a Beirute. Parece-me mal. O homem devia ter sido despedido não por quebra da ética jornalística mas sim por usar de forma tão pavorosa e óbvia a ferramenta “Rubber Stamp” do Photoshop. Que é aquela espécie de caracóis a ornamentar as nuvens de fumo, meu Deus?
O escândalo rebentou mesmo a tempo de impedir que muitos jornais usassem uma outra fotografia adulterada, esta de forma quase imperceptível…


ANGRYGOD.jpg

8 thoughts on “Santa incompetência”

  1. Não houve puta de televisão ou jornal por esse mundo fora que não desse relevo a esta foto-notícia, outra artimanha da grande máquina de propaganda siónico-babilónica cheia de amigos organizados por todo o lado para se limpar de bombardeamentos criminosos contra populações civis indefesas. Parabéns aos senhores: agora até se baseiam em “investigações” de blogs para se criar notícia internacional. Quem é que andava por aí a dizer que ninguem ligava importância aos patarecos como nós?

    Como se esperava, de fumos aos caracóis saltou-se rapidamente para a acusação de que as imagens mostrando crianças mortas e feridas entre escombros de edificios destruidos por bombas de fósforo e de pontas de urânio são mera encenação teatral para granjear simpatia anti-israelita. Pobres queridos tão caluniados! E começaram logo pela insuspeita Reuters, fundada, controlada, financiada e ainda explorada pelas mesmas famílias de gajos à frente do Hezzbolah e do Hamas!

    OK, vamos brincar às democracias dos laboratórios fotográficos, e toca a assentar as lupas sobre a foto-prova de desumanidade da guerra de há sessenta anos. Há por lá muito material a desbravar e a precisar de reinterpretação.

    Pergunta enigmática do dia, já que estamos a falar de películas: Por que é que Tinseltown nunca produziu um único filme cheio de detalhes horrorosos dos campos de exterminação, via honrado trabalho forçado, de opositores ao regime pre-stalinista russo? “Kolyma, mon amour” teria sido um excelente título, a lembra-nos de bombas. Será porque ninguem se lembra dos nomes dos (desculpem o meu alemão) Herr Kommandants? Se alguem se lembrar, mandem a informação para: Boorbanco Studios – Oliude, El Ei, Kalifornia. Podem ter a certeza de que será devidamente considerada para incineração.

    TT

  2. mas esta questão toda quer dizer o quê: a cidade afinal não foi puto bombardeada, é?
    É por essas e por outras que eu nunca mando as minhas fotos para a Reuters: ainda me acusam de desenhar uns cornos na babeça de certos gajos que eu cá sei!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.