Meteorologia

Rhone.jpg

Que bela noite. Perfeita para o fim do mundo. Uma noite quente, de céu claro, com milhões em quintais recém-regados, apontando telescópios para astros que nunca despontarão. Uma noite abafada, húmida, em que tudo nos parece justo, correcto, no sítio mais próprio. O calor que denuncia a iminência das grandes catástrofes geológicas. A calmaria que sugere o fim de todas as tribulações. Que bela noite.

6 thoughts on “Meteorologia”

  1. “Que bela noite. Perfeita para o fim do mundo.”
    Credo! :-)
    Mas gostei de o ler. Vero.

    Aprecie a boaventura de uma noite quente, de céu claro e repleto de luzes astrais.
    De onde lhe escrevo, são raras…

  2. LUIS,

    Podes regar os quintais que quizeres, mirar céus nocturnos com olhos de ateu de circunstância e correcta moda; abrir rasgos com setas de ironia universal que escapa a grande parte dos teus leitores, incluindo os iconoclastas, mas jamais conseguirás alterar, por mais que tentes, as leis blogo-climáticas impostas pela Providência Divina com a ajuda da mandriice do Valupi e do resto dos violinistas. Resta-nos a consolação de sabermos muito bem que às tuas procelas da alma em noites caldas e abafadas se seguirão as inevitáveis, bem-vindas e repousantes Benâncias. Pois, do Fernando, já viste.

    TT

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.