14 thoughts on “Bunny Antoinette”

  1. Já reparei que o João Pedro gosta de matar coelhos. A única e última vez que vi um caseiro matar um coelho, tinha eu 9 anos e passei toda a tarde a chorar. Não havia nem mãe, nem criada, para me consolarem. Até a carne me soube mal. Nunca mais comi coelho e, quando como, penso sempre nesse maldito coelho.

  2. (Coelhinha, Susana.)

    Lapin à la moutarde, Claudia… Tens que provar!!! Mas concordo contigo – matar é mau. Ver matar ainda pior. O melhor é cozinhar e, por fim, saborear o petisco.

  3. é verdade, sininho, já me esquecera da figura real.

    eu matar também não mato, mas como e cozinho. sininho, hás-de experimentar, com os restos do coelho, uma tarte do bicho com cogumelos e espinafres. uma delícia.

    vingança da maria antonieta, o joão levar com receitas de coelho na caixa de comentários dele…

  4. Isto só me revela que aprecias cabidela.
    Dize-me, sentiste pelo menos um leve rubor enquanto retalhavas de forma tão sanguinária a infeliz criatura virtual?

  5. Essa tarte deve ser boa, Susana.
    Já agora e para acompanhar as tuas nuvens, já provaste pombo? Das melhores refeições da minha vida.

  6. nunca gostei muito de pombo, sininho. lá está, onde cresci para os animais, os coelhos eram criação, mas os pombos tinham um pombal e, de resto, andavam em liberdade…

  7. Lá onde eu cresci, os pombos também andavam em liberdade… por sinal continuam a andar – cagam telhados, beirados, varandas, vidros, carros,…
    Aqui, onde estou agora, são as gaivotas. Dizem que a carne sabe a peixe. Blah! Não me sinto tentada a provar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.