Senado francês aprova casamento entre pessoas do mesmo sexo

Maravilhosas as palavras de Ministra da  justiça.

A alegria de momentos como estes, diz.

Finalmente, colocar em lei este direito, diz.

Finalmente, uma instituição da República é agora enriquecida, acolhendo os cidadãos que dela estavam injustamente excluídos.

Finalmente.

4 thoughts on “Senado francês aprova casamento entre pessoas do mesmo sexo”

  1. BADALHOCOS (alguns cristãos, e não só)… estão contra o casamento e a adopção aos casais homossexuais… e depois, em simultâneo (!?!?!)… promovem a NATURALIZAÇÃO de pessoal (ex: islâmicos) que reprime os Direitos das mulheres [ mulheres tratadas como uns ‘úteros ambulantes’ ] com o objectivo de alcançar uma vantagem competitiva demográfica… argumentando que se deve aproveitar a ‘boa produção’ demográfica dos islâmicos para resolver o deficit demográfico na Europa!?!?!
    Pelo Direito de ter filhos em Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas [nomeadamente, o Direito a ser Pai Solteiro]: ver blog “A origem do TABÚ-SEXO”.
    .
    .
    .
    Anexo:
    UMA QUESTÃO A LEVANTAR:
    O Direito de ter filhos em Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas!
    .
    Ainda há parolos que acreditam em histórias da carochinha… mas há que assumir a realidade:
    – Nas Sociedades Tradicionalmente Poligâmicas apenas os machos mais fortes é que possuem filhos.
    – No entanto, para conseguirem sobreviver, muitas sociedades tiveram necessidade de mobilizar/motivar os machos mais fracos no sentido de eles se interessarem/lutarem pela preservação da sua Identidade!… De facto, analisando o Tabú-Sexo (nas Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas) chegamos à conclusão de que o verdadeiro objectivo do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos sexualmente mais fracos; Ver http://tabusexo.blogspot.com/.
    .
    Concluindo:
    – Nas Sociedades Tradicionalmente Poligâmicas é natural que sejam apenas os machos mais fortes a terem filhos, no entanto, as Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas têm de assumir a sua História: não podem continuar a tratar os machos sexualmente mais fracos como sendo o caixote do lixo da sociedade!… Assim sendo, nestas sociedades, numa primeira fase, deve ser possibilitada a existência de barrigas de aluguer {úteros artificiais – deve ser considerado uma Investigação Cientifica Prioritária!…} para que, nestas sociedades {a longo prazo} os machos (de boa saúde) rejeitados pelas fêmeas, possam ter filhos!
    .
    Nota 1: Incompetência sexual não significa inutilidade… de facto, os machos mais fracos já mostraram o seu valor: as sociedades tecnologicamente mais evoluídas… são sociedades tradicionalmente monogâmicas!
    .
    Nota 2: Hoje em dia, por um lado, muitas mulheres vão à procura de machos de maior competência sexual, nomeadamente, machos oriundos de sociedades tradicionalmente Poligâmicas: nestas sociedades apenas os machos mais fortes é que possuem filhos, logo, seleccionam e apuram a qualidade dos machos.
    Por outro lado, hoje em dia muitos machos das sociedades tradicionalmente Monogâmicas vão à procura de fêmeas Economicamente Fragilizadas [mais dóceis] oriundas de outras sociedades…

  2. sou a favor,mas com estes indices de natalidade a baixar,qualquer dia os nossos rapazes ou raparigas não conseguem arranjar companheiro,e o filhos se os houver são todos de proveta.não vai ser o buraco do ozono que nos vai lixar.por favor não abusem do frango!

  3. Isabel Moreira

    Devias é de te preocupar mais com estas situações.

    Uma mexicana de 27 anos foi raptada e violada pelo ex-namorado, José Manuel, a 13 de Maio de 2012. O resultado? Uma gravidez indesejada e um aborto que deveria ser legal. Agora, María de Lourdes está na cadeia, acusada de aborto ilegal e de prestar falsas declarações.

  4. umquarentão

    A Isabel Moreira, depois de ler lido o que tu escreveste, deve-lhe ter dado uma apoplexia. ehehehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.