Pergunta ao Governo

Agora que a direita descobriu que os factores da crise têm origem internacional e que não são pregos orgulhosamente sós; agora que já podemos falar nos mercados e assim, por que é que apesar das palavrinhas da senhora alemã, toda a gente fala na Grécia e quase não fala na Irlanda?
Então e os mercados e as taxas de juro e o crescimento?
Ficamos pelo elogio da Senhora?

8 thoughts on “Pergunta ao Governo”

  1. madame Isabel Moreira , com certeza que compreende que um bote mal amanhado desde sempre ( desde 1975 ? ) quando encontra um mar mesmo muito revolto tem mais hipóteses de se afundar , não é? e o mar parece que anda a parir ondas daquelas malucas só para surfistas exímios a toda a força nestes últimos meses..nos meses do zézito ainda parecia , prós crédiulos no I&D e serviços , que uma calmaria podia vir por aí. mas não veio , que a ganãncia é um poço sem fundo e os donos da Goldman Sachs não descansam até serem queimados/gaseados no forno pelos alemães ou serem até expulsos do planeta globalizado pelo people normal , que a malta não é de ferro . caramba.

  2. E agora mais a sério : se a senhora merkel fosse mesmo um homem há que tempos que tinha ido à vida. é giro ver como permitem o pior nas mulheres quando chegam ao topo do poder. cavalheirismo? vão lá ser cavalheiros com gajas giras , please..é que serem com a frau não lembra ao diabo. estás por aí , Valupi ?

  3. A dentadinha moreirista no país católico ou na coisa católica é que nunca pode faltar. É fatal e da praxe como a azeitona em certos aperitivos. Esta mulher deve ser uma fanática da aromaterapia.

    E a direita não sabia que a origem dos factores crísicos era internacional? Estúpida, estúpida, estúpida, minha grande estúpida da direita.

    O que a direita e a esquerda e os centros namorados possivelmente não sabiam é que a crise foi provocada, planeada, bem estudada pelos super-papás dos banqueiros da Nova Ordem Mundial de tradições velhas, tudo muito bem temperado com um medo patológico das grandes lições chinesas em capitalismo acelerado para adultos. Na área da UE a Espanha continua a ser o alvo principal da camarilha organizadora, porque o papado, esse está na mão. Por enquanto. É, se o conseguirem, o ajuste de contas com juros de 500 anos.

    O paralelo com a Primavera Árabe só não o é para míopes. Primeiro foi-se à Tunísia e ao Egipto, mas o objectivo, não sendo Burma com o Errol Flynn, era a Líbia e a Síria.

    Grandes e espertíssimos macacos que até enganaram a arguta Isabel Moreira. Natal Feliz.

  4. Estás brava hoje, madame anohnimoh. Então já te tiraram os 17 agrafos que levaste no rasgão perineal depois daquela descida fatídica entre os rebeldes teus amigos na Líbia? A mim parece-me que sim, senão estarias caladinha que nem um a rata.

  5. oh metanos! larga a asneirola gratuita e bota aí as maravilhas do sistema de saúde líbio que tanto te fascinam.

  6. Pois é Isabel, é que a Irlanda já cresce e os juros no mercado já são inferiores ao valor que estavam à data em que foram intervencionados.
    A Irlanda não foi na aventura do não-crescimento, por cá, emprstamos o Páis para laboratório duns senhores que nem sequer pagam o aluguer e ainda têm a lata de nos pedir dinheiro para fazerem a borrada que estão a fazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.