O que são “valores nacionais”?

Lendo o seguinte preceito da lei que aprova o Estatuto do Aluno e Ética Escolar, e isolando a expressão “valores nacionais” de todas as outras, que expressam, talvez, não sei, valores “estrangeiros”, fica a pergunta: quais são os ditos “valores nacionais” a incutir aos alunos numa sociedade plural a todos os níveis?
“Direitos do aluno”
Artigo 6.º
Valores nacionais e cultura de cidadania
No desenvolvimento dos princípios do Estado de direito democrático, dos valores nacionais e de uma cultura de cidadania capaz de fomentar os valores da dignidade da pessoa humana, da democracia, do exercício responsável, da liberdade individual e da identidade nacional, o aluno tem o direito e o dever de conhecer e respeitar ativamente os valores e os princípios fundamentais inscritos na Constituição da República Portuguesa, a Bandeira e o Hino, enquanto símbolos nacionais, a Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Convenção Europeia dos Direitos do Homem, a Convenção sobre os Direitos da Criança e a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, enquanto matrizes de valores e princípios de afirmação da humanidade”.

20 thoughts on “O que são “valores nacionais”?”

  1. mas que raio de misturada sem nexo! quatro vezes ‘valores’ numa só frase desvaloriza qualquer valor que se preze. não há ninguém maioria da a.r. que escreva em português? e ‘valores nacionais’ serão os velhos três efes salazarenhos – fado, fátima e futebol? valha-nos a santa!

  2. Valores nacionais? Não há. Não há base, não há mentalidade, sequer há uma coisa chamada patriotismo. Mas há um parlamento que vende valores nacionais falsificados, um pouco como as marcas da feira, onde os Trambolhos gostam de papar os erários públicos e privados.

  3. «Os olhos do menino de dez meses reflectem a seriedade com que uma criança tão jovem na idade…», etc., etc e tal.

    Que pena não poder escrever na caixa dos comentários do JCF: que lindo! E quanta verdade, quanta perspicácia, nas palavras do autor!

    P.S. Agora, vejam lá, não suprimam nem acrescentem, nem uma palavrinha que seja, a esta prosa de tão fino e poético recorte literário! Não estraguem! Agradecida.

  4. Penitenciando-me desde já, Dra. Isabel Moreira, por invadir o seu espaço com um comentário que nada tem que ver com o teor do seu post, gostaria, se tal me for permitido, de perguntar ao ilustre escriba e postador, Sr. José do Carmo Francisco o seguinte:
    Se não é permitido colocar comentários em resposta aos textos que inclui nos seus posts, porque diabo continua lá a chamada “Inicie os comentários”? `Será gozo?

  5. S. Bagonha, isso deve-se ao sistema onde o blogue opera, o qual gera esse equívoco, não somos responsáveis por ele. Irei tentar descobrir uma solução, mas não sei se existe.

  6. Daqui a uns dias,constará no cardapio dos valores nacionais,o uso da farda…e verde,se possivel, mesmo que para isso tenham que encomendar à troika, numa das vampiricas reuniões.

  7. a razão foi ofendida por um cabrão transformista.
    o menino de tão falso-precoce só pode ser teu neto, o cão de pilhas deve ser um rottweiller dos 300, as molas de madeira se não tiverem ferrugem são ideiais para a criança engolir, já o painel de azulejos asa ratio ex ove leo é de mais díficil digestão quer pela ambiguidade interpretativa, história e por só teres roubado metade da obra. deixo aqui o link (ver págs. 36/37)para o que vale a pena e o resto da prosa que se lixe bem como a autor que só diz asneiras. agora com a caixa dos comentários desligada é que vai ser um fartar de vilanagem, não tarda estás atracado à pilar e a enrabar o jazigo do saramago.

    http://books.google.pt/books?id=xeHLX8HtqhUC&pg=PA35&lpg=PA36&ots=rwrXDi172L&dq=azulejos+asaratio#v=onepage&q&f=false

  8. Ola,

    Não sei o que sejam “valores nacionais”.

    Agora se me falarem em tradições nacionais, digo que uma das mais tristes e das mais tenazes, é precisamente a mania que os nossos clérigos têm das frases ocas sem sentido de que o post da exemplo.

    Irra é que não se percebe nada ! Ou melhor, a unica coisa que se percebe é que o infeliz asno que escreveu as frases em causa, não tem a mais pailida ideia do que significam as palavras que emprega. Nem realiza que é possivel construir frases com sentido, e não apenas para encher a boca.

    Tenho pena, mas se existe uma tradição multisecular em Portugal, é a da permanência desse espirito balofo e vazio, sintoma obvio de incompetência, de inapetência e de atraso mental grave.

    Se urge fazer alguma coisa para melhorar a nação, o que acho cada vez mais duvidoso, sera acabar de vez, rapidamente, com esse “valor nacional”.

    Eu vou aos arames com isso. Não é possivel que tenhamos que pagar universidades para esta merda de resultado, é so o que digo.

    Boas

  9. o menino de dez meses do bizinho da benedita é precoce, mais um pouco e toca piano de ter oubido na barriga da prugenitora. debe ser neto de alguém mui inteligente.

    cumpra-se a cunstituiçãoe da republica purtuguesa, sa faxavore e puvlique-se.

  10. há dias, na TV, perante as imagens de agressão à deputada comunista por parte do deputado neo nazi(aqui é que eles ficam porcos da vida, insistem em ser chamados nacionais socialistas), um cidadão (apoiante da maioria crescente da extrema direita) dizia que se tratava de uma manifestação dos valores nacionais.
    neste momento estou-me positivamente cagando para os valores nacionais, até porque acho que se reduziram a comprar barato no Pingo Doce, e se me derem com eles na cara não me fico.

    O texto não apetece, está confuso, mal escrito.

    E sempre se dá uma perninha para a trilogia de que o Val fala aqui mesmo, no aspirina, enfim, siga,

  11. O Xico Francisco deve estar a dar entrada num manicómio. Aquilo que escreve é perfeitamente sem nexo sem interesse, um aglomerado de palavras sem sentido, digamos uma verdadeira merda.
    E se é de merda que o Xico sabe escrever ele que vá bordamerda!

  12. O da Bendita deu entrada no Parque da Saúde. Mas o gájo tá tão furibondo que num tinham camisa que lhe serbisse e o corte inglês de Lisvoa num tem tamanhos grandes, ó pazinhos. mandaram-no emvora e o gajo baie acuntinuare a redigir com vase nos insinamentos da 3ª classe. Consulte-se a custureira da cabaca silba, ela é originale e save fazer saias vrancas pra receções ao Papa.

  13. E o que é que está mal com o vertido no artigo 6º, ó Senhora Doutora?
    Eu poria a questão de outra forma: que fazem os parlamentares portugueses para que os putos dos alunos possam compreender preceitos como aquele que publica?

    cultura de cidadania? Diga-nos lá o que faz o legislador para que esta seja promovida, para além de embelezar diplomas e afins, com nomes vários?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.