Contradições propositadas dirigidas ao povo alegadamente iletrado

Passos Coelho (e os membros do seu Governo por si) sabem que é difícil convencer as pessoas de que há qualquer racionalidade num conjunto de medidas (OE) que são um salto para o abismo mas, também, e sobretudo, a concretização do sonho ideológico de espatifar o Estado.
Passos Coelho travou uma guerra sem regras.
É um político amoral.
“Chocado” com o PECIV, que continha medidas de austeridade, mas com conta, peso e medida, e um programa de apoio ao crescimento da economia, gritou “nem mais um imposto” e abraçou-se à extrema-esquerda para fazer melhor.
Durante a campanha, disse o que todos ouvimos, mas, neste momento, o que mais impressiona recordar é a crítica feita a Sócrates, por parte dos analistas atentos, no debate com PC, a respeito da descida da TSU. Aquele Passos tinha explicado tão bem, mas tão bem, como baixar a TSU sem as consequências disparatadas apontadas pelo então PM em gestão.
Impressiona ainda, para efeitos desta certeza de que estamos perante um político amoral, recordar Passos Coelho clamar que dele nunca ouviriam dizer não conhecer a situação “actual”.
Ele conheci-a, sabia como dar a volta à crise que era culpa de Sócrates (a crise internacional parava em Espanha), sabia ao detalhe onde cortar a despesa, sabia que não aumentaria impostos, sabia que nunca tocaria nos subsídios de natal e de férias. Era, enfim, um sábio.
Só pensando nos funcionários públicos, que sofrerão uma estucada quatro vezes superior ao exigido pelo memorando da TROIKA, Passos (ou os seus) já disse que essa gente ganha mais do que os trabalhadores privados.
É uma tirada simplória, irrealista e ofensiva.
Depois, disse que a medida era provisória.
Depois disse que talvez no futuro os subsídios desses sanguessugas talvez venham a ser distribuídos pelos 12 meses (Pode ser que assim “aprendam” a gerir o dinheiro que ganham, esses despesistas?).
É isto. Passos passeia de contradição em contradição, é todo ele uma contradição, fala de um OE a partir de “desvios” descobertos – “que ninguém diga que eu não conheço a situação actual” -, mentindo, e de boca fechada, quando lhe mostram as contas certinhas.
Independentemente de juízos de inconstitucionalidade que algumas das medidas desta direita possam sofrer, Passos Coelho só deixará de ser um político amoral quando disser claramente que este OE é assim porque ele quer e não porque descobriu buracos já desmentidos; Passos Coelho só deixará de ser um político amoral quando assumir que este OE encerra uma via política que tem um cunho ideológico evidente.
Se o fizer, direi que o que já sabia foi verbalizado e não atirado ao passado ou aos tugas que viveram que nem uns malucos durante anos e anos “acima das suas possibilidades”.
O plano de destruição do Estado como o conhecemos, começando pela culpabilização dos funcionários públicos, é trágico. Mas seria bom que o responsável pelo plano assumisse a sua paternidade.

15 thoughts on “Contradições propositadas dirigidas ao povo alegadamente iletrado”

  1. isabelhinha, talvez ainda nao te tenhas dado conta mas a tua conversa de caca impressiona pouco menos que um caracol.

    Nao dizes coisa nenhuma e e totalmente indiferente para o mundo o que pensas, dizes ou dizes que pensas.

    tu e mais o val-alucinado, vegas, guiduchas e demais lulus que vos lambem as botas e o ideário alzheimico de uma esquerda demente e parasita, que não têm uma única ideia realista para resolver a maior cagada que criaram, persistem nessa demanda de socratinizar – provavelmente à espera de uma qualquer páscoa redentora em que o vosso amo regresse do degredo o fdp, e balbuciar cangalhada ideológica completamente MORTA.

    acordem fiéis da igreja socrática: vocês NÃO TÊM PONTA DE CAPACIDADE E SENTIDO PRATICO PARA RESOLVER A MERDA MONUMENTAL QUE CRIARAM. É EVIDENTE … NÃO?

  2. Rute Carolina: A que merda te estás a referir? À Madeira ou ao BPN? Ou será aos submarinos? Ou aos desmandos dos instituições financeiras internacionais? Podias especificar! E, já agora, dizer qual delas é da resposabilidade do governo anterior. E não vale a pena vires com a conversa de que, se tivessemos pedido ajuda/empréstimo à troika 6 meses antes estaríamos salvos e a crescer…

  3. evidente é o barrete eleitoral que elegeu estes aldrabões e branqueou a roubalheira que contribuiu para o buraco das contas públicas. não se aproveita um, do bpn à rosalina, vieram todos do ppd.

  4. Ó Rute Carolina, começas uma conversa com caca, e terminas a mesma conversa com MERDA. Não achas que tens um problema qualquer?
    A não ser que sejas toda cocó e faças das fezes o teu estilo de vida, se não é melhor tirares a boca do esgoto, porque és capaz de ficar com mau hálito.

  5. Oh Rute Carolina, a menina está um pouco atrasada. Olhe que o Sr Passos Coelho agora já vende computadores Magalhães e o Sr Cavaco Silva já descobriu que a crise é sistémica e mundial a precisar de uma resposta global.

  6. E olhe, Rute, Duarte Lima também fez parte do bando do BPN. Se eu tinha dúvidas, agora jáo nâo tenho de que o governo do país foi confiado a um bando de mentirosos e criminosos. É isto que vos queima. FdP são os dos teus. Atarantados, perderam a cabeça, como dizem que a perdeu um dos vossos. Pretendem enganar quem, Rute? Pesa-te a mentira e o crime dos teus?
    Imagina o bruá nas televisões se em vez de amigo de Cavaco, Duarte Lima fosse amigo de Sócrates. Imagine, Rute, imagine por um instante.
    Se tivesse vergonha na cara, im pingo que fosse, calava-se.

  7. Penélopezinha, estou a referir-me como tu bem sabes, mas como és doentiamente apagada, ao sequestro criminoso do Estado pela máquina de derreter, limpar e gamar os recursos públicos ao sabor de projectos pessoais e partidários que se chama partido XUXIALISTA.

    anonimo, vai-te deitar com o rosário de nosso senhor pinócrates e vê se acordas com algum dos três neurónios que te restam a funcionar. depois falamos

    Carlos Sousa, o problema é que tu e eu e a gajada toda estamos atolados na mesma merda que os xuxas incompetentes criaram. e eu até nem uso nenhuma anilina para a colorir de desculpas hipócritas e cínicas, como a da izabelhinha socrateira

    oscar, lá estás tu a cagar postas de carvalho

    Passaroika, é pá, tu pareces aqueles canídeos a grunhir que nem latir sabem.

  8. Carolina vai para puta da tua mãe. Se ela trabalhar à noite ou tiver, durante o dia a casa cheia de clientes, e não a podes contatar vai fazendo, entretanto, ginástica nos cornos do teu pai que a comichão que tens no olho do cu te vai passar.
    Se não passar de todo volta aqui, se não quiseres ir ao meu consultório, para eu te enrabar. Vais ver que com o tamanho da bengala a mesma até te vai atingir a cabeça, no sítio onde deverias ter o cérebro mas não, é precisamente aí que tens os intestinos.
    Se entretanto os tais xuxialistas te chatearem muito vira-lhes o cu e manda-os f*der.

  9. anónimo Portuga eu bem te disse, mas não queres crer: não fazes óó o suficiente e depois já nenhum dos três rascas neurónios que recebeste de herança do teu pai alcoólico xuxa, te podem ajudar

    tu és isso mesmo: um rasca nojento, nem pinta para ordinário tens

  10. RUTE CAROLINA, em minha casa dizia-se que o princípio da educação é um idiota nunca se sentir validado na sua idiotia. Eu ainda hoje resmungo, mas concordo, com essa premissa. Já leu o que a Isabel escreveu? Ótimo. Agora, leia o que a Rute escreveu. Está a ver a diferença? Com esse discurso, a Rute não tem certamente assento nem compreensão (e muito menos aceitação) no centro-direita. Mas é bom ver que existem escravos felizes, e que há quem goste de ser humilhado e rebaixado. Creia-me, Rute: farei tudo o que o estiver ao meu alcance para que gente como a Rute pague o que merece – e mais ainda. Afinal, fazem tudo com tanto gosto… Aguarde-me- Aguarde-nos. Vai doer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.