O Passos Coelho ainda faz parte do Governo?

Nos últimos dias, os jornais têm dado notícia da guerra em que se transformaram os muitos Conselhos de Ministros, publicando os desabafos de alguns dos participantes. Não sabemos se são verdadeiras as notícias, mas o facto destas reuniões se terem transformado em autênticas maratonas e de apesar disso os porta-vozes das mesmas nunca terem nada de concreto para anunciar ao País revela que as notícias não devem andar muito longe da verdade. Segundo os tais desabafos, de um lado da barricada está Gaspar e do outro Portas, que não concorda com os cortes propostos pelo ministro das Finanças. Apesar de não ser novidade, consta que a coligação tem estado “por um fio”, mas Portas não está sozinho nesta guerra, têm surgido nomes de ministros do PSD que estarão do seu lado.

O que não tem sido notícia, o que pelos vistos ninguém desabafa, é qual tem sido o papel do primeiro-ministro no meio disto. É como se não participasse nas reuniões, ou como se o que pensa não contasse para nada. Parece que está para o Gaspar como a Cristas e o Mota Soares estão para Portas, eles que resolvam. A coisa chega ao ponto de já nem ser o primeiro-ministro a assinar as cartas dirigidas ao líder do PS, mas sim o novo ministro-adjunto que, dizem as más-línguas, está muito próximo de Cavaco. Aparentemente, isto já não incomoda ninguém e é visto como normal neste Governo anormal, onde já são mais do que as mães os que mandam mais do que o primeiro-ministro. A verdade é que isto não é um Governo, é um bicho de sete cabeças, literalmente.

3 thoughts on “O Passos Coelho ainda faz parte do Governo?”

  1. O primeiro-ministro de Portugal pertence à categoria das múmias políticas.

    Pois Passos Coelho morreu politicamente após o desastre da comunicação da TSU (que lhe valeu a maior manifestação de que há memória em Portugal) e a demissão por défice anímico de Relvas. Porém, por artes balsâmicas de Cavaco Silva, a figura política de Passos Coelho lá continua a aparecer, agora na forma de múmia política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.