15 thoughts on “Pensamentos para a jornada”

  1. Eu não li, nem irei ler, o resto. Mas assim à primeira vista parecem-me duas asserções bastante cagalhonas, porque contraditórias e justificativas da sociedade moderna de roubalheira política e apodrecimento mental.
    Reparaste nisso? Também eu.

  2. Eu não votei em Sócrates. Mas confesso que isto que está acontecer para além de enjoar, mete medo.

  3. Tudo bem, sejam cagalhonas lol. Mas não me parece que justifiquem o que quer que seja. Constatam, apenas, o momento que se vive e a respectiva mensagem que se pretende passar. Ou MJ Morgado não se enquadra no perfil da justiceira que chegou para limpar o país?

  4. Nã, isto é a consciência do nosso crítico residente FV à procura de bóias de salvação. Encontrou duas, num Jornal de Qualidade, como seria de esperar. E o mais certo, vindas de uma amiga…

  5. TheCynical,

    És um pulha, és um sacana (eu sei que te estás a vir, o dr. Freud já explicou isso bem, mas prossigamos), és um canalha. E eu, com queda para a lágrima, deixo-te fazer aqui a tua terapia (o dr. Freud também explica). Mas há, informo-te, mais centros médicos.

  6. FV: pela boca morre o peixe, já lá dizia a minha avó, peixeira que nunca leu um Jornal de Qualidade na vida e não tinha muitos amigos.

  7. TheCynical,

    A sabedoria das avós: é sempre aonde acaba agarrado o contendor coxo.

    Estas coisas [gesto de palma da mão batendo na testa…] devia eu tê-las previsto.

  8. FV: um eminente crítico de um Jornal de Qualidade e, ainda para mais, a viver na Holanda, não tem mais que fazer do que responder a um “tarado”, um “pulha” e “coxo” no painel de comentários? O meu duro verniz de cinismo começa a quebrar pela genuína pena que me faz, homem…

  9. A mim a ideia que me dá é que o sr Thecnycal levou algum dia um coice do sr. FV que não contava. Ó depois, como inda lhe não passou…
    Eu acho que não se vem praqui, pró espaço público, com estas guerras privadas. Se um homem tem razões, vai-se-lhe às fuças na viela e pronto. Mas enfim…

  10. E também tenho a dezer que lá no bairro nunca vi jornais de qualidade. É mais da bola e dos crimes.
    Às vezes lá aparece um calcinhas com um jornal de referência.
    Mas isto é como em tudo, quem sabe ler lê, quem não sabe ler vê os bonecos.

  11. Opovo: idem aspas, eu também nunca tinha visto ou lido ou sequer sabido da existência de “Jornais de Qualidade” até o ter lido das palavras doutas do nosso FV.
    E mesmo isso do “de Referência”…. hmm

  12. hum… a ver se percebi: portanto, jornais desportivos, mais o 24 horas e outros que tais, não são jornais de qualidade. Logo, passam a jornais regionais? Ó FV, o senhor perdeu a cabeça ou escaparam-se-lhe os dedos para o vernáculo?

  13. rms: veja bem, é simples: Jornal de Qualidade é todo aquele em que o nosso estimado FV escreve, ou todos aqueles que albergam os seus amigos.
    O problema vai ser no dia em que lhe calhar um João Marcelino como director… Aí ele vai usar o termo “jornal de qualidade” a engolir em seco. Recomendo Mebocaína.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.