Bloquistas, Dadá e Salesianos

O “Acidental” resolveu associar-se à exposição “Dadá”, do Centro Georges Pompidou, através da pena de Jacinto Bettencourt. Parece que um “bloquista” o terá atacado de forma soez e imperdoável. Isto terá também a ver com um alarmante “projecto público que o seu plano holista tem para cada um de nós” (?). Vai daí, o homem tratou de fechar as suas caixas de comentários e de descobrir que a exposição “prolongada a padres salesianos resulta numa redução dramática da massa cerebral”.
Hoje, o autor, que patentemente andou mesmo nos salesianos (como eu, aliás), tratou do conveniente acto de contrição. Mas alguém me indica o caminho para os tais comentários do “bloquista” aleivoso — membro da corja que todos reconhecemos como “incapaz de viver em sociedade de forma civilizada” — capaz de provocar semelhante desvario?

9 thoughts on “Bloquistas, Dadá e Salesianos”

  1. ó meu paquiderme, então foste tu que fizeste o comentário que irritou o jacintinho. O que é que dizia que eu não consegui apanha-lo a tempo?
    Estou cheio de curiosidade sobre o que transformaria o fleumático Raposo no kung fu da reboleira.

  2. Luis, ja agora posso perguntar-te o que achas que eu deveria ter feito ao inefavel “Aiai”, que durante alguns meses me perseguiu e insultou no Blogue de Esquerda? Talvez nao te recordes dele, pois os comentarios anonimos dele eram mais frequentes no periodo em que saiste do blogue. Quando em boa hora regressaste, os comentarios tornaram-se menos frequentes, mas nao acabaram. Olha que o autor tambem parecia ser bloquista…
    Entretanto desculpa la mas quem, como tu, apagou textos que escreveu, nao tem moral para vir perguntar pelos tais comentarios apagados. Ja viste o que era se o Jacinto tivesse vindo perguntar pelos textos que tu escreveste e apagaste?
    (Os comentarios do Aiai, entretanto, continuam todos “em exibicao” no BdE. Ate fiz uma compilacao.)

  3. Filipe,

    Respondo-te a correr. Mas olha que não perguntei por comentários apagados. Aliás, nem me passou pela ideia que estivessem apagados; não sei se tal sequer é possível com o sistema deles. E é mesmo muito diferente apagar textos que escrevemos, dos quais podemos dispor à vontade, ou prosas alheias. Não tem mesmo nada a ver. Apagar um texto meu é um direito que sempre me assistirá. Apagar comentários de outrém, só com boas razões.Nem estou a ver onde encontras tu a tal “moral ” misturada neste assunto.
    Quanto a comentários desagradáveis, tenho tido mais que qb; lido com eles sobretudo com algum fair-play e humor.

  4. Caro Luís Rainha,
    O propósito de fechar a caixa de comentários foi precisamente a de evitar curiosos. Noto, no entanto, e para mero esclarecimento, que o cobiçoso não escreveu nada de grave, simplesmente meteu-se em campos pessoalíssimos – ao que parece conheceu-me, embora não muito bem -, e a coberto do anonimato. Ora, perante esta novidade, eu apenas aceito uma de três opções:
    i) fechar a caixa de comentários;
    ii) autorizar comentários sem referências e/ou ataques pessoais, o que não me parece possível perante este género de pessoas;
    iii) autorizar comentários com referências e/ou ataques pessoais, com identificação do tipo que se habilita a levar a merecida resposta (e/ou chapada).
    Parece-me razoável. Não acha?
    Cumprimentos.

  5. “Apagar comentários de outrém, só com boas razões.”… O que serao as boas razoes? So o autor do blogue sabe! Nao as podes julgar. Apagar os comentarios e sempre um direito que lhe assiste. Outra definicao e subjectiva.

    Luis (Oliveira), o tinto alentejano nem sempre resolve tudo. Da ultima vez que nos encontramos havia tinto alentejano (e eu dei-lhe bem…). Lembras-te do que eu acabei por te chamar? (Ja agora, em homenagem ao saudoso Bombatomica, sugeria-te que comecasses um blogue com esse nome. Ficava-te a matar.)

  6. Vê se percebes: eu não acusei o Jacinto de ter apagado os comentários. Francamente, até me parece que o sistema que eles usam não o permite.
    Portanto, não estava a “julgar” coisa nenhuma!
    Só perguntei onde estava o post e as respostas da discórdia. Só isso.

    Já agora, as minhas “boas razões” são as seguintes: publicidade abusiva, spamming, insultos a terceiros, falta de educação em grande escala.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.