Re-Intermitência

 

 

 

 

 

 

 

 

Carregar no botão e olhar o ecrã. Mulheres despidas a seduzirem homens nus. E depois homens despidos a dominarem mulheres nuas. A certeza de que é tudo, apenas, uma questão de poder a dois. De um lado, estão os que são dominados. E do outro estão os que são dominados.   

29 thoughts on “Re-Intermitência”

  1. Sedução e amor é a sintese feliz do que fomos e somos. Já não interessa falar em montante ou jusante. Desaguados num mar sem fim. Quase sempre apenas sonhado. E a foz prenúncio da morte.

  2. ai morte
    ai morte
    que se és sorte tens porte
    bailanos em pontas sem fim
    bailando em saias de tule
    bailando sem sul nem norte
    bailanos em cetim

    :-)

  3. A indubitável decadência de um manso que se deixa dominar do lado de fora da jaula…

    tsss tsss

    Que tal a cura por osmose?

    Sugiro a aquisição e manuseamento uma fera indomada em full time…

  4. Pá, Mário, estás aí com uma vontade imensa de traçar tanto como eu. Meu animal…é isso aí cára! Vamos fazer uma divisão? Que parte lhe queres? rsrsrsrsr

  5. Caro Mestreeeee….
    Veio falar comigo!
    A que se deve esta repentina descida à terra dos simples inexistentes?

    Mas veio tarde, lamento. O leilão já fechou!

  6. Não divido, caro Mestre! Aquilo de que estou a falar, sedução e amor, é único e indivisivel em cada gesto. Vive-se e morre-se e ninguém pode tomar o meu lugar e o dela. Que estupidez, não é? Ou lindo de morrer.

  7. Tsss tsss tssss caro Mestre, desculpe que não tinha visto a sua pergunta…

    Continuo a fazrt minhas as minhas palavras:

    Veio tarde, o leilão fechou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.