Será desta?

Ter deixado de executar plenamente as suas funções presidenciais para proteger Dias Loureiro não chegou. Ter mentido a respeito da sua ligação ao BPN não chegou. Ter alinhado estratégias com um partido político para fazer oposição ao Governo não chegou. Ter usado os Açores para provocar um clima de alarme social contra governantes não chegou. Ter sido a eminência parda de uma golpada político-jornalística com a finalidade de perverter actos eleitorais não chegou. Ter insultado todos os candidatos presidenciais no discurso de vitória não chegou. Ter ido ao Parlamento numa ocasião solene para instigar à queda do Executivo não chegou. Ter feito tudo ao seu alcance para que o PEC IV fosse chumbado não chegou. Ter opiniões radicalmente contrárias dependendo de quem esteja no poder não chegou.

Talvez agora, por causa de 1300 euros, chegue. Chegue para ser vaiado pelos portugueses que tiverem o azar de se cruzarem com este miserável Presidente da República na rua.

75 thoughts on “Será desta?”

  1. a crise só poupa os da poupança colossal.

    (aqui fica o meu apupo misturado com riso por me lembrar que já não tenho poupança e que me resta apenas uma alma erecta) :-)

  2. O que de verdade não chega é que textos como estes (e outros) espalhados pela blogosfera
    não consigam chegar a muito mais gente. Os blogers de direita andam calados, quiça envergonhados. Muito envergonhados. Este (des) governo não tem defensores. Precisa-se, isso sim, de um mínimo de organização para que estas e outras mensagens cheguem à rua. Como? Nem que tenhamos que ir distribuir panfletos para a rua!!!!! Porra!!!Confesso não saber, que outro caminho teremos que percorrer. A assim não ser, andamos todos a escrever – citando Abelaira – na água. Inutilmente.

  3. isso seria uma oportunidade para virarem o bico ao prego, mais-outro, e apelarem ao desperdício de papel e tinta e ainda acusarem o povo de agressores do ambiente. :-)

  4. Portugal no seu pior:
    Ontem ao ouvir Cavaco Silva dizer que o que ganha com a sua reforma não dá para viver, fiquei com a sensação, que batemos mesmo no fundo. Não tem respeito pelos milhões de portugueses com reformas inferiores ao ordenado mínimo nacional.
    Quando o Presidente da República – escrevo em letra maiúscula pelo respeito ao cargo e não à pessoa – tem estas declarações, diz que as agências de notações deviam ter mais confiança em Portugal e, ele que devia ser o garante dessa confiança, vem lamentar-se que não ganha para as suas despesas o que pensam essas mesmas agências de nós.
    Depois admiram-se que o comandante do navio, Costa Concórdia, Francesco Schettino, o tenha abandonado para salvar a pele! Com gente desta, que chora na praça pública, com a barriga cheia e não se lembra que a maioria da população portuguesa vive abaixo do lumiar da pobreza, que não tem amigos nos bancos, nem acções oferecidas para vender, vê-se o carácter delas.
    Cavaco Silva sempre demonstrou ser um ser humano desprezível. Foi com a denúncia sobre o sogro na ficha preenchida na pide. Com o estatuto dos Açores. A guerra que desencadeou com Sócrates para pôr no Governo a sua amiga de estimação. O rodear-se de pessoas corruptas e gatunas. O povo português diz e com razão: diz-me com quem andas dir-te-ei quem és ou é tão gatuno o que rouba como o que fica à porta.
    Depois não admira ouvir dizer que isto não é uma Presidência da República nem um Governo mas, sim uma gruta com Ali Babá e os quarenta ladrões. Se assim não fosse não se compreendia com tantos poucos ganhos quererem estar à frente da “gruta”.
    Cavaco Silva está a léguas de Presidentes da República como Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio. Nestes víamos sabedoria, em Cavaco Silva só estupidez. Se a pudéssemos exportar algum ganho teríamos. E… se também fosse o dono da patente o ganho era a dobrar. Pense nisso, Cavaco. Só uma minoria ficava a perder… os seus amigos.

  5. que o gajo se queixe, é mais um. grave, é o cabrão querer passar a ideia de coitadinho que vive com € 1.300 por mês quando recebeu €140.000 de pensões em 2011 e não haver um jornalista, umzinho, que lhe pergunte se a próxima declaração será de insolvência.

  6. Alguem falou nos coments em Mário Soares, estão a falar de um dos piores portugueses de toda a história de Portugal.

    Insultou-me, mentiu-me e atraiçoou-me.

    Eu sou português como ele e disse que joguei nas carta errada quando fui para as colónias.

    Disse que em democracia, se Algarve pedisse a independência tinhamos que lha dar.

    Os algarvios são tão portugueses como ele.

    Falam em Mário Soares, não o comparem nem com Ramalho nem com Cavaco.

    Vá lá que o comparem com Sampaio que acabou com uma lei de século XVI que o rei português condenava à fogueira os judeus.

    Sampaio não é monárquico, que vá gozar com a família dele mas não com os portugueses.

    Cavaco não presta? optimo mas não comparem com quem abusa da memória do povo.

  7. Olinda, minha amiga, aceitam-se sugestões. Sobretudo tuas que tens contigo a arte da boa escrita. Andamos TODOS à procura de um caminho, uma alternativa. Sente-se.
    Tem um bom fim de semana.

  8. Retornado,
    Vê-se mesmo que representas aquilo que fomos encontrar em Angola, Moçambique e outras paragens, para onde nos enviaram e onde alguns ficaram e outros vieram estropiados… Quando lá estavas a sugar o sangue aos dono das terras que ocupaste, não te lembravas de tanta democracia.
    E quando nós que por lá passamos à força éramos maltratados e ignorados por vocês, ainda que estivéssemos a garantir a vossa segurança…
    Eu sei, vi e senti o desprezo que nos dedicavam…
    Tiveste azar, e esse ressabiamento que te perdure para sempre, porque não consegues modificar o curso da história!
    Quanto ao Cavaco, tenho pena de ter um presidente assim.

  9. Previsão: nos próximos dias vai rebentar um novo escândalo no Correio da Manhã. Poderá involver um vizinho do primo da médica de um amigo do Sócrates que tem várias contas bancárias e não declarou tudo o que ganhou na sua declaração de IRS de 1989. A relação de vizinhança, contrária às residências declaradas, é atestada por Bernardino Zagalito Malandroto, ex-casapiano anteriormente violado por Carlos Cruz, Ferro Rodrigues, Jorge Sampaio e vários Pedrosos, depois de obrigado ele próprio a violar a jornalista de investigação Felícia Cabrita e vários menores de 6 anos, tudo a instâncias do «Filósofo», nome de código por que o ex-primeiro ministro português é conhecido nos bas-fonds criminosos de Paris.

  10. Caro Valupi, claro que não será desta, Cavaco vai argumentar que não disse bem isto e vai enviar para o famoso facebook todas as explicações adicionais e isto bastará, como sempre.
    A imprensa «calará» e dentro de pouco tempo será apenas mais uma, a juntar a todas as outras «inofensivas» discrepâncias deste super sério e intocável homem.
    No entanto o rei continuará a ir nu, aplaudido por esta inteligência de país.

  11. Xixaboy, tenho orgulho de ter trabalhado e vivido com africanos que hoje recebem os “doutores” netos daqueles que estivemos lá de tamancos.

    É pelo respeito da convivência que existiu com os retornados, que os angolanos e moçambicanos teem paciência para ouvir as baboseiras dos «novos colonizadores» que é a actual «juventude ALTAMENTE PREPARADA».

    Ninguem andou a erxplorar em África trabalhou-se honradadmente e vai chamar explorador à tua familia.

  12. E se todos os políticos declarassem sem medo o que ganham?

    Até que dentro de uma certa ingenuidade, Cavaco é capaz de ter iniciado um hábito muito dificil de engolir por muitos figurões que nos governan e teem governado.

  13. “Ninguem andou a erxplorar em África trabalhou-se honradadmente e vai chamar explorador à tua familia.”

    podias lá ter ficado e continuado a trabalhar honradamente, ninguém te obrigou a ser retornado.

  14. em ideias não sou poupada, mais-outro, apesar de a minha ruralidade me inclinar sempre para a concertação humana muito antes da social.

    talvez a humanidade só consiga ver vendo-se no outro. assim de repente, imaginei uma peça de teatro ou um filme – a serem gratuitos e, desta feita, ao alcance de todos – cuja personagem secundária, pois a principal seria Portugal, uma mulher, filha comum do fantástico, e parte da sua biografia, passado recente em destaque. uma mulher altamente qualificada que vivendo com o terror da sua sobrevivência em risco e sem qualquer apoio do estado, decide – ao invés de regressar a casa do seu pai, onde a troco de tudo seria a dona do sofá, ou de se vender à conjugalidade com um homem de poupanças qualquer, e porque lhe é negada qualquer oportunidade de trabalho indiferenciado pela vastidão de competências e experiência de trabalho -, porta a porta, oferecer as suas mãos para limpar e assear as casas alheias. as mãos, precocemente envelhecidas pela precaridade e tristeza, enquanto simbologia da força de trabalho, adoecem e será apenas nessa altura que algum trabalho qualificado surge renascendo, assim, a alegria: a alma.

    o título: a cavaca em passos de borralheira.

    e o final, em aberto, interactivo como impõe a modernidade, seria uma escolha do povo: ou uma reforma estrutural do corpo político ou o contágio da síndrome da mão doente da personagem principal.

    :-)

  15. Esse aldrabão atrevido omitiu despudoradamente quanto recebe da reforma de nível máximo do Banco de Portugal, para sustentar – mentindo abjectamente – que só recebe 1300 euros mensais (“Ouviu bem, 1300 euros!”), com os quais mal consegue fazer face às despesas.

    Esse aldrabão atrevido sustentou que, nessas circunstâncias, o casal só poderá dispor do dinheirinho que foi pondo de lado ao longo da vida para conseguir fazer face às despesas actuais e futuras.

    Esse aldrabão atrevido tentou também salientar quão sacrificado ele é, que nem recebe o vencimento de PR. Na verdade, ao “abdicar” desse vencimento para ficar com a pensão (simplesmente porque é obrigado por lei a escolher), ele conseguiu aumentar os seus rendimentos anuais para 141,5 mil euros. Se escolhesse antes o vencimento, o PR receberia só 138,9 mil euros, dizem os jornais.

    Esse aldrabão atrevido já tinha mentido aos portugueses em Novembro de 2008, quando publicou um comunicado em que omitia ter comprado as famosas acções ao Oliveira e Costa (para dois anos depois as vender com 140% de ganho bruto).

    Patife de aldrabão atrevido!

  16. podias lá ter ficado e continuado a trabalhar honradamente, ninguém te obrigou a ser retornado.

    Olha anónimo, essa maneira de me responderes é a forma classica de descriminares um concidadão.

    Como retornado ou como emigrante ou como emigrante que regressa.

    És tão obtuso como mau português foi Mario Soares quando me descriminou, a mim e aos Algarvios-

  17. Val, se o sr. Silva é capaz de fazer o que fez (e a lista do Val é apenas enunciativa e não taxativa), também não será capaz de fazer o que decência mandaria fazer. Quem não tem decência nem ética, não é capaz de assumir comportamentos éticos e decentes.
    Abraço.

  18. o que o retornado queria é que outros portugueses morressem nas ex-colónias para manter o nível de vida dele e de outros como ele! Enfim!

  19. Ibn Erriq, se és daqueles que te julagas que eras meu guarda costas, e que te sacrificavas por mim, desanafalbetiza-te e actualiza-te, porque eu tambem fui para lá de tamancos mas desembruteci.

    Não precisava de guarda-costas como tu, porque pelos vistos, antes me espetavas uma faca nas costas.

  20. Ó retornado és um pandego pá! se tivesses desembrutecido como dizes e não precisasses de guarda costas, terias criado lá uma revolução para ti e corrido com os tugas. Aí tu e os teus irmão nativos (sim eles eram e são os nativos) teríeis criado lá uma nação.

    Podias lá ter ficado, não me perece que faças muita falta por aqui.

    Pelos visto não passas de um bazófias!

  21. Ora já estamos no sec. XXI, , há vários anos, temos um presidente que se insecreveu para funcionário da PIDE e que chegou a faze denúncias sobre a própria família, que se queixa dos 1.300 ue são 10.000, e temos um ministro da economia que diz que temos de ser os mais pobrezinhos e baratinhos da Europa e estas merda toda está a deixar muito confortáveis fascistas – que é o que é o PR . para se estenderem à vontade, reivindicando direitos que são crimes.
    Está bonito.

    Pergunto-me: entre a manifestção de 300.000 indignados (à rasca) com Sócrates, que alinharam alegremente com o partido neo-nazi português (Frente Nacional) e em que estes se mostraram muito pacatos, e a de hoje, com uns valentes 1.000 indignados, em que os fachos se sentiram muito mais à vontade, haverá coincidência? E porque sim porque não?

  22. Fazia um grande favor aos portugueses e às portuguesas, se fosse viver (mesmo que à “rasca”…) para a sua vivenda faralhada do Algarve. Livrar-nos-ia de termos de ouvir baboseiras senis e não deixaria de a receber na mesma a sua “miserável” pensão, mas, ao menos, escusava de comprar farpelas novas à Maria sempre que aparece na Tv…(sim, porque ela também só recebe uns míseros 800 euros, mesmo tendo sido professora…) e sempre pouparia na modista e viveria feliz e contente com os seus netinhos e animais de estimação e deveria, ainda, dar algum, para comprar bolo-rei… e poupar-nos com as carantonhas de boca cheia…

  23. Ocorreu-me agora. Apesar de (cada vez menos) aparecerem aqui defensores do Passos e gang, nunca ninguém vem defender o eleitíssimo PR, que até é (cito as suas póprias palavras, de hoje) “o Provedor do Povo”.

    O que me leva a declarar que se ele é o meu provedor, então eu não sou povo.

  24. Olha, até que peguei muito bem…
    E agora até vou ser mais assídua aqui no aspirina, porque já recebi reclamações via -mail qu estou demasiado chata e paranóica com a actual situação política, social e e económica. De maneira que só posso mandar anedotas de alentejanos (só de pensar as secs que levei durante seis anos e nunca me ocorreu o diagnóstico de paranóia, mas enfim).

    Gosto de desafios, portanto, cá vai o mesmo carlos hendrix mas com o david holland
    http://www.youtube.com/watch?v=zJRDE-7xKDw&feature=related

  25. Grande Tina.Ainda bem que se livrou do gajo que lhe dava porrada todos os dias….Vê quem sobreviveu. Sisters, are ou listening?

  26. Partilhando com desconhecidos o que deixei de poder partilhar com conhecidos. Mail que envie há pouco para uma série de pessoas:
    “The End.
    Só para anunciar que a partir de hoje deixo de mandar comentários sobre política,porque me foi transmitido que estou a ser apelidada de paranóica. (Deus me livre). Como sou tótó, nunca me lembrei de tal táctica quando, durante seis anos, tive de levar com as imbecilidades mais idiotas contra o governo em vigor na altura e contra as minhas opiniões. Viva a lucidez. Abaixo a paranoia.

    P. S. ” A solidão engorda” – Isabel Moreira, deputada do PS

    Quem disse mesmo que cada merda de povo tem a merda de governo que merece?

  27. … este miserável Presidente da República…, infelizmente também o foi enquanto primeiro-ministro, proponho que os “tapados” que votaram nele o ajudem a melhorar (ainda mais) a vida, já agora esqueça as ajudas de custo/representação e as mais valias com o roubo do bpn.

  28. Nos EUA, as bojardas do parvalhão sobre a insuficiência da sua reforma seriam motivo mais que suficiente para “impeachment”. Como isso aqui é improvável, que tal meter o pobrezinho junto do elefante do Jardim Zoológico e atirar uma moedinha ao paquiderme para que aplique um “impichamento” ao reformado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.