A Moody’s não tem razão

Um país cujo Presidente da República encheu os bolsos próprios e da família graças a condições negociais extraordinárias, nunca esclarecidas, obtidas junto de pessoas da sua confiança política e pessoal que estão agora a ser julgadas por suspeita de terem cometido variados e desvairados crimes, e que é também cúmplice, ou até mandante, de uma conspiração lançada a partir da sua Casa Civil para denegrir governantes e influenciar eleições, um país em que o partido vencedor das legislativas se lamenta, pela boca do seu líder, por não ter conseguido colocar como Presidente da Assembleia da República um populista acéfalo que nem sequer alguma vez tinha sido deputado, um país onde o Primeiro-Ministro não desmente obedecer a sms’s enviados por apresentadoras de televisão célebres por difamarem e caluniarem impunemente elementos do Governo, não é lixo.

É uma outra coisa muito mais suja.

20 thoughts on “A Moody’s não tem razão”

  1. Muito, muito mais. E dói, mas… “la lucidité est la blessure la plus rapprochée du soleil” (René Char).

  2. O Val anda a abusar do vinho, nota-se ferpeitamente nos adjectivos bombásticos, no desvairamento e na acefalia e mais ainda no respingar da tese soez de caluniosa. Val, amigo, larga o tinto.

  3. O Álvaro já ordenou que os ceramistas das Caldas produzam umas valentes poias com umas bandeirinhas em cima? Isso, este Verão, vai vender-se que nem Sol.

  4. Aqui está um bom frutificante anímico para o dia de hoje, e a razão é simples; lê-se o rótulo e ficamos a saber exactamente o que a embalagem contém; a bota bate com a perdigota. Não cura mas alivia.

    Apenas quero referir que, dado a alta toxidade dos ingredientes, devia constar bem estampada no topo, ou por ali algures, uma caveira tipo estandarte, daquelas que o capitão Morgan, usava nas Caraíbas para alertar os incautos da sua presença ali.

  5. Caro Val:
    Palavras tão certas!! A asquerosa criatura vai conseguir em 20 anos de poder, transformar o quintal, numa esp+ecie de pós-chernobil. Nada mais vai medrar (ou merdar?).

  6. Acutilante texto. Bravo! A Moody’s não encontrou no Dicionário um equivalente, em Inglês, para o vocábulo técnico que pretendia utilizar: TRAMPA. Ou, em bom vernáculo popular português, a DITA MOLE.

  7. Pois Val, mas não esqueçamos que, se a memória não me falha, no dizer de um dos personagens de Sven Hassel, nos Carros do Inferno, Porta (um dos personagens), sobre os generais emitia a seguinte opinião:
    – Enquanto tudo vai ao fundo, a bosta sobrenada!

  8. Só me resta repetir “ad nauseam”: E NINGUEM FEZ NADA! Parece que só a agência de rating viu a justiça, fundamento de uma nação, morrer aos pés dos intocáveis. Isto classificaram, e bem, como lixo . Porque a trampa pode vir ao de cima a qualquer momento e será mais que lixoi É uma naçâo sem ética e sem moral, não no povo mas nas suas elites. Eles sabem o que nós desconhecemos, das máfias que domesticaram os nossos magistrados e os nossos jornalistas (?).

  9. para não chorar, será masoquismo os portugueses aplaudirem quem classifica a dívida soberana de Portugal como trampa? hoje foram os bancos…

    Estivesse lá quem estivesse, seja o Passos, ou fora o Sócrates, isto teria acontecido porque é um ataque concertado às dividas dos estados mais fracos, de modo a agravar os juros e sugar as reservas e os cidadãos. É ver este exemplo de perversidade do sistema financeiro. Está em curso um ataque brutal do capitalismo financeiro internacional sobre os países europeus periféricos, a democracia, as pessoas. Não tenho solução – revolução?

  10. é como dizes , K , esses tipos , a mando sabe-se lá de quem ( ainda que eu tenha um palpite histórico ) andam a lançar bombas atómicas sobre os países , agora foram os mais fracos mas hão-de bombardear os outros , para rapinarem tudo. só espero que lhes dê uma grande indigestão e lhes caia o céu em cima da cabeça . tenho fé no karma. não tem falhado.

  11. Muito bem, Val! Muito bem, Mário! E tu, Lúcio, vê se mudas de nome e arranjas forma de iluminar essa pobre cabecita!

  12. Eu concordo com a ideia de uma Revolução, com forças ainda menos armadas do que em Abril.
    Estão a fazer-nos a folha e nós sentados à espera. Até os espanhóis já perceberam onde está o inimigo e andam a juntar-se para impedir que a banca deite a mão às casas dos que deixam de pagar as prestações.
    Fiquem com a merda das casas às pessoas mas deixem-nas em paz, não as vinculem a pagamentos que as impedem de alugar uma casa sequer.
    Há leis e paradigmas para mudar com urgência e se não vai a bem…

  13. Falta acrescentar … pena, pena … foi o Sócrates não ter deixado cair mesmo o BPN! Sim, foi um erro mesmo! Um erro do Sócrates … Ou será que o Presidente tem lata de dizer que não foi ele a exigir esse resgate como Fundamental … Vamos ver os semeadores Oficiais de ventos por conta desta tempestade a colocarem outros protagonistas no epicentro da catástrofe …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.